Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

quinta-feira, 1 de junho de 2017

As desculpas de Robert Kirkman por morte em TWD 167

Sem sombra de dúvidas a morte que aconteceu na edição 167 de The Walking Dead, conseguiu se destacar diante de outras. No começo pensei que não seria nada demais, porém quando terminei de ler, me senti tocado pra caramba. Então não foi uma surpresa total ao ver a carta do autor Robert Kirkman pelo acontecimento. Se não quer spoiler de quem morreu, não leia.

Tem algumas mortes em The Walking Dead que acho bobinhas e repentinas demais, especialmente a do Tyreese, que achei a morte mais fraca de toda a HQ. Então quando vi que a Andrea foi mordida, pensei "Nossa, que desperdício", pois pensei que ia ser bobinha também, ia ter uma choradeira mas nada realmente marcante. Porém eu estava bem errado!

Eu achei impressionante a carga emocional colocada, aliás acho até que foi baseada na morte de uma pessoa real, pois todas as frases usadas e a forma delicada que a coisa foi colocada realmente saiu incrível demais. A ideia de colocar vários personagens se despedindo ficou extremamente tocante. Isso porque em geral a maioria só morre rapidamente, mas ela viveu o bastante para dar tempo aos outros.

Aliás, como já tinham matado a Andrea da série há séculos, logo veio aquele pensamento de "Será que vão adaptar isso?", porque a carga emocional ficou a cara da série e se foi algo pesado assim em uma história em quadrinho, fiquei imaginando como seria colocar uma coisa tão terrível em live action.

Um outro grande peso da coisa foi o fato de ser a última personagem viva do primeiro grupo sem ser Rick e Carl. Andrea tinha durado tanto que ficou essa sensação de "Nossa, agora acabou!". Simplesmente não tem mais ninguém que seguiu pai e filho desde o começo da história. A primeira aparição de Andrea foi já na edição 2, quando o primeiro grupo apareceu pela primeira vez.

Quando terminei a edição, a sensação foi de "Nossa... Que terrível!". E o autor Robert Kirkman resolveu fazer uma declaração em relação a isso, aqui está a carta dele:
"Me desculpem.
Peço desculpas aos meus fãs e a mim e a Andrea. Sinto como se tivesse matado um amigo próximo. As mortes nessa série nunca são encaradas de forma leve, nunca são feitas com um senso de satisfação. Elas pesam em mim da mesma forma que pesam em vocês. Esses personagens são muito reais para mim, e suas mortes são tristes até para mim.
Eu planejei esta edição durante uma viagem de avião alguns meses atrás. Eu bolo minhas histórias com um lápis e papel, e lá estava eu no meu assento, delimitando cenas e escrevendo notas de diálogos, cercado por estranhos que provavelmente achavam que eu estava anotando uma lista de compras. Enquanto eu escrevia alguns dos momentos desta edição, comecei a chorar. Me peguei olhando para os lados, secando meus olhos, torcendo para que ninguém tivesse percebido. Eu convivi com essa morte por meses… e não gosto disso.
Tive bastante tempo para mudar de ideia. Tive bastante tempo para fazer isso. Afinal, eu estou no controle desta história. Mas sinceramente, às vezes parece que não estou. Esse foi um desses momentos. Eu não gosto disso. Eu não quero isso. Eu quero que Andrea viva. Eu quero escrever mais histórias com ela. Eu quero ver Rick e ela envelhecerem juntos, vendo Carl crescer e ter seus próprios filhos. Eu quero esse tipo de felicidade para esses personagens.
E mesmo assim, aqui estamos.
Andrea está morta e a história continua. Eu não sei por que isso tinha que acontecer… mas eu sei que precisava. Sei que este é mais um momento decisivo na vida dessa série. Sei que a morte de Andrea terá um significado, que irá ressoar na história nos anos que vêm pela frente. Mas mesmo assim eu não gosto disso. Isso ainda me chateia.
Eu amava Andrea e realmente sentirei sua falta."
– Robert Kirkman

Realmente era necessário. Tem muita gente reclamando, mas uma das coisas que fazem The Walking Dead ser o que é o fato de não ser mais uma história de mortos vivos onde todos são comidos pelos zumbis, mas você não tá nem aí porque não tem apego algum com os personagens. O que torna fantástico é o fato de você realmente gostar dos personagens e sentir o peso de sua perda.

Além da série, no Brasil é possível achar disponível volumes e livros de The Walking Dead. O sucesso da coisa também acabou fazendo com que surgisse uma segunda série não tão falada, a Fear the Walking Dead. Mas e vocês, o que acharam da morte de Andrea?

Nenhum comentário: