Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

domingo, 19 de março de 2017

Ghost Recon Wildlands - A Bolívia é seu novo playground!

Bom, esse é o primeiro Ghost Recon que eu jogo, mas sinto que foge um pouco da fórmula padrão, já que é um jogo focado no multiplayer cooperativo em um gigantesco mundo aberto. Mas de qualquer forma independente se é ou não parecido com os outros, tenho que dizer que achei divertido pra caramba e que certamente fãs de um coop podem usufruir bastante.



A história apresenta um poderoso cartel boliviano que controla o país inteiro e faz com que os locais não tenham alternativa a não ser pedir ajuda dos americanos para uma operação secreta. E assim um grupo de quatro soldados é enviado e deve trabalhar às escuras, localizando cada um dos líderes e descobrindo suas ligações, até conseguirem chegar a aquele conhecido apenas como "El sueño", o grande líder do cartel.
Aparentemente a Ubisoft decidiu pegar pesado na ideia de jogos com foco tanto no multiplayer quanto no singleplayer. Assim como me foi uma surpresa ver que For Honor tinha uma campanha espetacular, Tom Clancy's Ghost Recon Wildlands também me surpreendeu demais. Isso porque também apresenta um jogo com cutscenes, dublagem em português e uma história profunda. Tanto que depois de algumas horas no multiplayer, acabei decidindo que eu ia zerar primeiro antes de jogar mais, pois queria prestar atenção na história.

O jogo oferece um mundo aberto gigantesco, onde cada membro chefe do cartel é responsável por uma área. Nessa área há uma determinada quantidade de missões que primeiro você tem que investigar papeladas para destravar ela, daí você vai investigando até chegar ao topo da coisa e matar aquele chefe, dessa forma descobrindo ligações com outros chefes que dominam outras áreas.

Além das missões principais, esse é um jogo onde você evolui o personagem e assim tem que pegar informações sobre coisas como locais onde estão passando comboios, áreas para proteger, antenas para sincronizar com a resistência local, e etc. Existem vários tipos de suprimentos e cada habilidade exige uma determinada quantidade. Além disso algumas exigem nível, que você ganha fazendo missões, e todas exigem pontos ganhos ao passar de nível, fazer missões ou coletar medalhas.

Eu achei a dublagem desse jogo fenomenal e me surpreendeu a quantidade de possibilidades. Os NPC's só estão presentes quando você está jogando sozinho, mas eles sempre estão se comunicando, seja fazendo piadinhas, seja compartilhando alguns pensamentos sobre coisas variadas. Por exemplo tem uma hora que vocês estão indo pra uma missão e um pergunta "Como você acha que ele vai ser ein?" e falam as possibilidades.

Mas não é só a questão de várias falas, mas como as vezes as coisas parecem reais, nem sempre os personagens dizem certas coisas, portanto vez ou outra você pode se surpreender. Além disso quando estão observando um lugar, eles te dão a orientação direitinho, tipo "Avistei um tenente com uma submetrelhadora, ele tá ali à direita, perto daquela pilha de pneus, tá vendo?".

Se você é fã da série Narcos, certamente vai achar maravilhoso demais, pois a atmosfera é absurdamente parecida, inclusive os personagens se referem aos personagens como narcos mesmo. E aquele ambiente boliviano é tão fantástico, cidadezinhas pequenas, estradas de terra, muros sem pintura, bancas de venda de alimentos. Vez ou outra você chega no lugar e começa aquela musiquinha de violão, é tão atmosférico.

Isso sem contar no meio da ação, tem uns ambientes que parecem uma favela e vocês tem que invadir, daí tem toda a preparação, observam antes o lugar, marcam o que conseguem e improvisam com o resto. De vez em quando rolam uns imprevistos como um informante resolvendo fugir e vocês tem que correr atrás sem matar, pegar um carro e sair da cidade perseguindo.

Também há outras coisas como reforços chegando, helicópteros observando o lugar e mais. As missões ficam diferentes dependendo se está de noite ou de dia. Por exemplo na noite o grupo pode acabar enrolando demais e de repente o sol começar a nascer. Daí bate aquela sensação de "Vamos galera! Apressa que o sol vai nascer!".

As possibilidades são maravilhosas, certa vez eu estava deitado observando com uma sniper. Começaram a aparecer inimigos, cada um que surgia eu atirava, eu tava super desconcentrado, até que olhei o mapa no canto e vi que uma mancha laranja se mexia perto de mim(manchas laranjas são detecção de pessoas por perto mas sem serem marcadas). Daí no chão mesmo soltei um daqueles drones fodões e vi meu corpo deitado no chão e um muro ao meu lado, e ao olhar por cima do muro só vi um inimigo se aproximando bem devagarinho, prestes a me pegar. Na hora desliguei o drone, me virei e BAM Ò_Ò! Uahahahah, é muito bom!

Mas não são só as cidades que tem um climinha incrível, há lindos ambientes naturais como montanhas com neve, ilhas isoladas, desertos com imensas montanhas e mais. Se você conseguir um grupo de conhecidos com certeza vai ser uma experiência maravilhosa andar com eles por aí, fazendo missões e vendo a história juntos.

Apesar de tudo esse é um jogo que sinto não ter uma personalidade própria. Ele é divertido, porém não apresenta nada que eu não tenha visto antes nos próprios jogos da Ubisoft. É como se a empresa tivesse pego os melhores elementos de vários jogos e os colocado juntos. Inclusive no começo fiquei pensando muitas vezes que se logo após o lançamento de Far Cry 4 ela tivesse anunciado esse como Far Cry 5, certamente se encaixaria.

Veja bem, é um ambiente exótico com aquele toque de simplicidade, você evolui o personagem, invade bases, tem três grupos o cartel, o grupo de mercenários La Unidad e a resistência. Quando se encontram eles entram em conflito, você deve conseguir suprimentos pra ajudar a resistência. Existe uma rádio que fica transmitindo coisas sobre o lugar. Sério, tem muito de Far Cry nesse jogo.

O próprio formato do multiplayer lembra demais o formato de Watch_Dogs 2, ambos te colocando com outros jogadores para ir até bases, soltar seus drones, localizar os bandidos e eliminá-los, assim como perseguir carros, evoluir os personagens para conseguir mais pontos e deixar o personagem tunado, etc...

Ou seja, Ghost Recon Wildlands é um jogo que pode divertir pra caramba, mas se você joga muitos jogos da Ubisoft, a sensação pode ser de que a coisa não está apresentando nada de inovador embora seja divertido. Tem gráficos maravilhosos e acho que a melhor forma de jogar é focando no modo história, sem se deixar seduzir muito pelos vários brindes do mundo, pois pode acabar enjoando.

Os gráficos são maravilhosos pra caramba, mas infelizmente é um jogo pesado pra caramba. Eu joguei no Ultra e ficou em 37fps então pra mim é super tranquilo, mas se você é do tipo que quer 60fps, pode  ser um verdadeiro pesadelo. Mas em geral são ambientes lindos e as vezes você acaba dando uma paradinha pra olhar o quanto certos lugares são simplesmente incríveis.

Enfim, esse é um jogo empolgante pra caramba, cheio de armas para serem coletadas, acessórios para aperfeiçoar as armas e mais. Certamente uma obra que pode causar um baita vício especialmente naqueles que gostam de jogar online, mas pode ser também uma incrível experiência singleplayer. Vale a pena dar uma conferida no site da G2A pra ver o preço que está lá, pois eles costumam vender keys da steam por um valor bem mais barato que na própria steam e ainda aceitam boleto bancário. Dê uma conferida no preço que tá lá, clicando aqui


Nenhum comentário: