Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

segunda-feira, 13 de março de 2017

[Conto] Aquele que carrega a Terra

Soldados me levam apressadamente por um corredor e me colocam em uma sala. Meu coração está disparado, todo o meu corpo treme. Um homem baixinho entra na sala poucos minutos depois, me pergunta algo. Não consigo entender, ele parece estar falando francês ou algo assim. Respondo em minha língua, começo a fazer perguntas. Ele ouve atentamente, balança a cabeça de forma positiva e sai.

Em alguns instantes uma outra pessoa entra na sala, esse é um homem com uma aparência muito cansada, olheiras imensas como se não dormisse há dias. Sua pele pálida e corpo magricelo fazem parecer que está doente. Logo ele se senta e pergunta em minha língua:

-Quem é você?
-Não sou ninguém. - Respondo nervosamente sem pensar muito na pergunta.
-Ninguém? Como veio parar aqui?
-Eu sonhei com esse lugar há muito tempo atrás, nunca consegui parar de pensar nele. No começo pensei que era só tédio pela vida que tenho e então me dediquei por anos pra conseguir viajar pra cá. Mas... O que é aquela coisa?
-Vamos chegar lá, antes de tudo quero saber mais sobre você e esse sonho.
-Eu só sou um cara normal, entediado, tenho 36 anos, não tenho esposa, meus amigos não são muito próximos. Meu pai me deixou três apartamentos e isso me fez começar a comprar e vender imóveis, passei a ganhar a vida desse jeito. Ganho bem, mas não posso dizer que amo o que faço. Eu tive esse sonho uma única vez aos 29 anos e desde então passei a pensar nesse lugar e... O que é aquela coisa? O que é aquilo?
-Já falei que chegaremos lá. - Diz o homem com tom de cansaço - Você chegou aqui, não foi chamado por ninguém, queremos saber quem é você antes de fazer perguntas.
-Tá... Desculpe, é só que eu... Nossa, eu não consigo parar de pensar naquela coisa, aquilo me deixou em pânico e fascinado ao mesmo tempo, é o puro horror e é incrível.
-Sim, prossiga...


-Então... Eu sonhei quando tinha 29 e no começo parecia só um sonho, quero dizer, o que mais seria? Porém eu ficava pensando nele. Já viajei para alguns lugares, eu me divirto fazendo coisas normais como assistir TV ou ir a um restaurante, porém não são coisas que me deixavam verdadeiramente realizado. As pessoas tem sonhos, viajar para um determinado país, comprar um carro caro, ter um grande amor, ter um ótimo emprego. Entende?
-Não sei, você está dizendo que vir aqui virou um desejo?
-Bom, não meu sonho de vida porque eu não sabia realmente porque. Mas eu tinha essa vontade. Isso de uma forma como nunca tive antes, então sem perceber comecei a juntar dinheiro, me preparar. Inicialmente eu não assumia o que estava fazendo, parecia só um "Vai que eu queira ir, né?". Porém comecei a juntar até que percebi que estava pronto. Na verdade deve ter um ano que minha vida estava perfeitamente preparada para isso, desde então fiquei apenas tentando criar coragem, como naqueles momentos da vida em que você quer fazer algo, mas está receoso e só falta um último impulso. Tipo saltar de uma cachoeira com todos os seus amigos embaixo dizendo "Pula".
-Então é isso? Você sonhou com esse lugar do nada e veio? O que seus conhecidos falaram disso? Não pensou em trazer ninguém?
-Eles não sabem, parecia uma experiência pessoal demais para trazer alguém que não entenderia o que sinto. Eles sabem que resolvi fazer uma viagem de iate, porém não tentei explicar o motivo, até porque eu mesmo não sei. Mas me diga logo o que é aquela coisa? Como aquilo é possível?
-Nós também não sabemos, a estudamos, mas pelo jeito sempre esteve ali.
-Como? E os navios? E os programas de computador que mostram tudo via satélite? Meu Deus! E os programas que mostram o espaço? Ninguém viu aquilo no espaço? Bilhões de pessoas e você me diz que ninguém notou aquela coisa?
-Sabe, na época das grande navegações os marinheiros morriam de medo de monstros marinhos, criaturas gigantescas escondidas na imensidão do mar, para eles aquilo era realmente real e esperavam encontrar algo. Sendo assim, certamente foi uma surpresa bem menor para eles quando acharam isso.
-Essa coisa foi avistada pela primeira vez na época das grandes navegações?
-Sim e boa parte deles surtou como qualquer pessoa normal, a igreja logo assumiu. Sabe aquelas histórias sobre grandes conspirações mundiais e que grupos controlam o mundo? Bom, é verdade. A igreja não queria que as pessoas soubessem de algo assim, era perigoso demais, como explicar? Nem mesmo ela sabia explicar, mas com o passar do tempo a coisa se tornou não apenas religiosa, mas uma informação capaz de facilmente causar o desespero. Não seria bom pra ninguém, poderosos sempre querem que as pessoas estejam calmas, desde políticos a grandes corporações que querem vender seus produtos.
-Mesmo assim, é possível ver aquilo a olho nu a quilômetros! Meu Deus! Aquilo vai até o céu! Até o espaço! Isso é uma loucura! Como é ao menos possível? E aquela coisa no espaço? O que é aquilo?
-Quando avistou, por que continuou se aproximando?
-E como não continuaria? Quem não se aproximaria mais de uma coisa assim? Eu precisava ver de perto.
-Nós estamos muito próximos à Antártida, não é uma rota comum. Grandes empresas não colocam seus navios para passar por aqui, como falei as corporações estão sempre envolvidas. E pessoas como você, viajando de forma independente não vão passar por um ambiente tão gelado. Até porque rotas de volta ao mundo costumam ser feitas próximas a locais de embarque, não a parte baixa do oceano pacífico.
-Mesmo assim, isso é grande demais para as pessoas não saberem, e tem tantos outros detalhes. E o movimento de rotação da terra? Aquela coisa está girando junto?
-Imagino como se sinta, talvez esteja pensando em Nicolau Copérnico e Galileu sobre a terra ser realmente o centro do universo ou mesmo ser redonda.
-Eu... É... Acho que sim, isso é tão confuso! Quando eu estava me aproximando e vi essa imensa barra de ferro quilométrica tapando todo o oceano e subindo até o espaço eu...
-Titânio.
-O que?
-O objeto cilíndrico gigantesco é feito de Titânio.
-Não importa, o que quero dizer é... Nossa, isso é uma loucura! Uma barra de metal assim tão gigantesca, como algo assim não pode ser falado? E aquela coisa no espaço? Aquilo está no espaço não é?
-Sim, como o sol ainda está presente é como aqueles dias em que a lua aparece no céu azul, pouco visível, mas você pode ver lá.
-Então a noite é possível ver ele claramente? Sim, você quer ir lá fora olhá-lo mais uma vez?
-Eu... Sim... Quero dizer, é perigoso? Que pergunta idiota, como não poderia ser não é?
-Sim, mas como você deve imaginar, ele nunca fez nada, pois se fizesse a humanidade seria destruída com um único movimento.

O homem se levanta e começa a andar, eu vou atrás, pelo mesmo corredor por onde me trouxeram. Vejo cientistas em algumas salas e militares passando, assim como homens engravatados. Todos com aspectos bem sérios e a maioria parecendo cansada. Noto um dos militares que me tirou do iate e trouxe pra essa instalação aquática à beira do imenso objeto.

Quando saímos à luz do dia, meu coração dispara quando vejo o imenso objeto metálico. Não consigo ver até onde ele chega, é simplesmente grande demais. Me pergunto como é possível corporações serem capazes de alterar tanta coisa pra esconder algo assim. Imagens de satélite certamente mostrariam, mas pelo jeito são alteradas.

Lentamente vou subindo o olhar, meu coração parece cada vez mais aumentar o ritmo, sinto que vou desmaiar, eu sei que a qualquer momento vou olhar mais uma vez para a coisa. Me seguro para não gritar, a minha vontade é de correr, berrar, bater minha cabeça contra a parede, é como se eu simplesmente não conseguisse compreender e nem ao menos sei se é algo que eu desejaria. Não entendo como todos aqui podem estar tão calmos, eles devem ver isso há anos.

Cada vez mais minha visão vai subindo, até que finalmente vejo parte da coisa gigantesca, uma mão humana segurando a imensa barra de titânio. No ângulo que estou é impossível ver algo além da mão, então fecho os olhos e respiro fundo para me virar de costas e ver a parte desse imenso corpo que tinha me chamado tanto a atenção. Faço uma breve pausa e lentamente vou me virando, então começo a abrir os olhos e novamente o horror toma conta do meu corpo.

É um rosto gigantesco de uma pessoa, quase urino nas calças vendo novamente essa coisa, me abaixo e vomito. Começo a tremer, o homem ao meu lado não faz nada, apenas aguarda como se quisesse observar minha reação diante de tudo isso. Eu sinto que estou perdendo o ar e respiro forte, tento me controlar, coloco a mão no meu peito e respiro um pouco mais. Após uns instantes me recupero e levanto, olho mais uma vez pra cima.

Em frente aos meus olhos está a pálida visão, ofuscada pelo brilho do dia, do que parece ser um homem gigantesco, muito maior do que a terra, segurando uma barra de titânio. É como se eu estivesse de cabeça pra baixo e se ele fizer um movimento mínimo, irei cair em direção ao espaço. A imagem me deixa um pouco atordoado, é como se eu estivesse em uma ficção estranha. Eu pergunto:

-De noite ele fica nítido?
-Não perfeitamente porém, assim como acontece com a lua, o brilho do sol reflete em seu corpo e graças à escuridão do espaço ele fica bem mais nítido.
-O que é essa coisa?
-Ninguém sabe, existem muitas teorias, a maioria sobre ser algum tipo de raça alienígena.
-Mas você falou que ele está ai no mínimo há séculos!
-Sim, ele nunca se mexeu, nunca mudou de expressão, não sabemos se está vivo.
-E não enviaram algo ao espaço? Quero dizer, você disse que há muitas pessoas poderosas, com influência para esse tipo de coisa?
-Sim, enviamos, fizemos observações com telescópio, fizemos e continuamos fazendo de tudo.
-E conseguiram algo?
-Ele está muito mais distante do que a lua, então apenas sondas se aproximaram.
-Meu Deus! Como isso não pode ser visto em outros lugares da terra? É algo imenso demais!
-Alguns dizem que ele não quer ser visto, é complicado e difícil de explicar. Teorias e mais teorias, talvez se toda a terra soubesse nós descobriríamos, teríamos mais liberdade, mas não podemos nos arriscar.
-Eu entendo a preocupação, isso é surreal demais.
-Não dá pra saber qual seria a reação das pessoas porque é algo único, porém se revelássemos isso poderia gerar um caos tão grande que o mundo como conhecemos iria mudar completamente e mudanças bruscas sempre geram preocupação. Talvez viver na ignorância seja o melhor.
-Isso geraria suicídios, fanatismo religioso, se eu vomitei vendo isso, imagino o que não causaria em algumas pessoas.
-Fanáticos religiosos... Sim... Sabe, nós descobrimos que aos pés dessa criatura gigantesca tem fogo, muito fogo, alguns dizem que é o resultado de uma supernova, uma estrela gigante que explodiu. Em meio a várias teorias é natural que algo religioso surja e uma delas é a de que esse imenso ser é Deus e logo abaixo dele está o inferno, apenas esperando para o dia em que ele soltar a barra de titânio e nos deixar cair.
-Deus? - Eu pergunto olhando novamente para o imenso rosto e sentindo um frio no estômago.

Um soldado se aproxima e entrega uma pasta para o homem, que imediatamente começa a folhear. Eu continuo observando, pensativo. Deus? Isso seria algo horrível, não sou religioso e nem acredito nessas coisas, mas acho que a humanidade imediatamente iria tender para esse lado se viesse essa coisa. Religiões se desfariam, outras iriam se adaptar como dizer que esse é o demônio e estamos no final dos tempos, ou mesmo dizer que é Deus voltando para nos salvar.

Me pergunto se viver na ignorância não é mesmo melhor do que saber que algo tão gigantesco está  tão próximo, nos observando. Descobriram ele há séculos, mas deve existir mesmo antes da humanidade andar sobre a terra. Não acho que enquanto eu estiver vivo essa coisa fará algo, então será mesmo que as pessoas precisam saber? Pra que? Ficarem estressadas?

-Esse é seu dossiê. - O homem diz me mostrando uma ficha com uma foto minha, o que me surpreende.
-Onde você conseguiu isso?
-Como falei, esse é um segredo centenário senhor. Precisamos estar precavidos e conhecer qualquer um. - Ele aponta uma arma pra mim, mas ainda estou tão surpreso com a criatura no espaço que sinto como se meu corpo estivesse dormente, simplesmente não sinto medo.
-Por que está apontando essa arma?
-Sabe, talvez a humanidade estivesse pronta, talvez ser claro e mostrar a todos isso para que se acostumem e possamos ter maior liberdade fosse algo bom. Mas a humanidade é imprevisível, não podemos dizer o que as pessoas realmente vão fazer após esse conhecimento. Nós não duramos tanto tempo em vão. Vejo que você é alguém que talvez aceitasse muito bem, não sei como veio parar aqui ou o que te fez ter esse sonho, mas não podemos te deixar sair. Eu sinto muito.

Eu olho uma última vez para o céu e vejo os gigantescos olhos da criatura, é a última vez que sinto calafrios na minha vida.

[FIM]

Autor: Thiago P. Correia

Bom pessoal, eu tinha me deitado agora a pouco pra pensar em como seria o próximo capítulo de A terra em que Deus mentiu e acabei foi pegando no sono uahahaha, dormi uns vinte minutos, mas aí tive esse sonho de um homem gigantesco segurando a terra. Deu um pouco de frio na barriga e quando despertei pensei "Por que não escrever algo sobre isso? Depois vou pesquisar um pouco". Mas como vi que não tive nenhuma ideia realmente legal pra A terra em que Deus mentiu e que, assim como uma penca de ideias que tenho, essa iria ficar abandonada e eu ia desanimar porque gosto de fazer uma baita pesquisa, resolvi escrever improvisado mesmo.

Sei que pareceu um bocado com O Chamado de Cthulhu por ser um sonho do cara e algo no Oceano Pacífico, mas não foi, o lance do sonho é porque eu mesmo sonhei com isso e o Oceano Pacífico é porque fica mais distante de áreas com terra do que o Atlântico. Na real a inspiração foi muito mais no Junji Ito, já que ele costuma colocar essas coisas extremamente exageradas nas obras dele, em especial um capítulo extra do mangá de Uzumaki, que pra falar a verdade não lembro direito, mas era algo assustador no espaço em forma de espiral e tentei transmitir o sentimento que tenho em relação ao meu medo e atração pelo mar. Enfim, não pesquisei nada nem me preparei, mas espero que tenham gostado. =)

Obs: E se gostam desse tipo de história não deixem de comprar meu livro Folhas Secas Daquele Outono kkkkk.

2 comentários:

Unknown disse...

Ei Sky, tem um filme muito bom cyberpunk, chama "Immortal" (ad Vitam) se vc ainda nao assistiu, recomendo fortemente

BlackHyatti disse...

Com um pouco de adaptação esse conto seria muito bom no site dá SCP acho que seria genial ter esse ser naquele site.