Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Pharaonic - A essência de Dark Souls no Egito Antigo

O Antigo Egito é um daqueles cenários que encantam e continuam sendo usados e abusados sem parar, quem nunca ficou viciado no jogo Pharaoh? E até mesmo grandes mentes como H.P. Lovecraft não deixaram de cair nas graças e assim vemos obras como A Cidade Sem Nome. Mas logicamente a coisa não se limita apenas a ficção, até hoje existem inúmeros mistérios envolvendo aquele lugar como é o caso do Livro dos Mortos, que nem ao menos tem autor e ninguém sabe o motivo de ter sido escrito, tornando-o assim algo cheio de suposições sombrias. E por falar em Egito e Morte, a análise de hoje é sobre um jogo que tem tudo a ver com isso!


Pharaonic é um jogo que usa a temática egípcia, te colocando naqueles ambientes tão conhecidos cheio de tumbas, cidadezinhas discretas e desertos muito ensolarados. Porém ele tem um detalhe peculiar que faz muitos tremerem porém para outros é exatamente uma das grandes atrações. Trata-se de uma obra que tem um sistema de combate inspirado em Dark Souls. Que para os menos desavisados é um jogo extremamente difícil, mas que causa uma imensa sensação de satisfação ao vencer os inimigos.

Aqui você controla um guerreiro em sua jornada, enfrentando inúmeros soldados e criaturas da mitologia egípcia, além de encontrar escravos, vendedores, pessoas que precisam de ajuda entre outras coisas. Mas graças a sua fé, os deuses não o permitirão morrer sem cumprir seu destino, fazendo-o renascer, toda vez que morrer, no lugar de sua última oração.

Este jogo usa o visual 2.5D, mas ele aproveita bastante o ambiente 3D criado, assim como em Assassin's Creed Chronicles Russia, aqui há alguns pontos do cenário em que você pode entrar para uma área mais ao fundo ou "descer" para o ambiente que estiver virado para o jogador. Assim que você faz isso a câmera gira e é possível ver a câmera de um novo ângulo de visão.

Graças a esse estilinho da câmera ficar mudando de ângulo somado a possibilidade de exploração, é possível notar que apesar de obviamente haver um limite de onde você pode ir, no fim das contas há quase a liberdade de um jogo 100% 3D, até mesmo existe um mapa no jogo, para caso você queira dar uma olhada nos caminhos que tem que seguir ou procure por áreas ainda não exploradas.

O sistema de combate te coloca para temer cada um dos inimigos presentes, não importa se forem bem pequenos ou gigantescos, o dano causado por um acerto te fará lembrar rapidamente que é fácil se arrepender de não ter prestado atenção, pois além de morrer, parte de sua experiência cai no chão, e você tem que andar até lá pra pegar de volta, mas se morrer mais uma vez aí ela é perdida para sempre.

Aqui você tem que se abaixar, rolar e bloquear golpes. Cada inimigo tem jeitos próprios de lutar e a estratégia tem que se adequar a eles. Por exemplo tem alguns que simplesmente não dá para bloquear seus golpes e o jeito é rolar, outros fazem exatamente o contrário e em alguns momentos você enfrenta múltiplos inimigos com jeitos diferentes de lutar.

Você também tem acessórios que podem ser ganhos de formas variadas, porém a mais comum é matando inimigos e assim pegando do chão, porém ainda é possível conseguir por vendedores que mantém lojas em determinados lugares e por pessoas que resolvam te dar por algum motivo, seja por terem virado escravas e não terem mais o que fazer com o item, seja por missões que você completou.

Essas pessoas as vezes simplesmente oferecem opções que você tem que escolher de imediato, como dar um pouco de sua água ou pagar uma quantidade em dinheiro. Algumas vezes a recompensa é muito boa e vale a pena, enquanto outras você pode sentir que realmente foi lesado e não deveria ter aceitado.

As armas e armaduras tem seu peso próprio e podem estar na categoria leves ou pesadas, você monta seu guerreiro de acordo com o que achar melhor. Pode ser um herói rápido, lento ou médio. Existe uma barra de cansaço e cada golpe ou ação gasta um pouco, então você tem que aprender seus limites ou poderá ficar vulnerável. Também tem habilidades novas, você vai destravando com o tempo e o combate cada vez fica mais interessante.

Enfim, Pharaonic é um daqueles jogos que são super difíceis, muitas vezes podem deixar o jogador frustrado e até mesmo fazer acreditar que nunca vai conseguir passar de uma certa área, mas também é super realizador. Cada vitória te faz pegar a experiência sentindo que realmente mereceu aquilo. Vale a pena dar uma conferida no site da G2A, pois lá eles costumam vender keys da steam por um valor bem mais barato que na própria steam e ainda aceitam boleto bancário. Dê uma conferida aqui.

4 comentários:

Jefferson Nogueira de Oliveira disse...

rsrs vc é muito fã de DKS, tudo vc comprara com Dark Souls....
Esse jogo ta mais para um Sou Reaver com muito sol e carne.

Skywalkerpg disse...

É só impressão, eu não sou fã de Dark Souls não (ao menos por enquanto hahaha), mas eu analisei três jogos seguidos que se dedicam igualmente. Já sou bastante fã de Soul Reaver, mas esse jogo não é parecido na mecânica, no máximo o fato de terem construções de pedra. A mecânica principal de Soul Reaver é o fato de você poder ir para o reino espectral e fazer puzzles lá para então voltar para o reino material e a coisa ter se alterado. Se você der uma olhada em outras análises verá que essa sensação de Dark Souls não foi só minha, até mesmo nas análises de usuários no steam existe a comparação e inclusive na descrição oficial os próprios criadores do jogo assumem que usaram o jogo como base hehehe.

Gustavo disse...

vi uns vídeos e parece legal o jogo, será que tem legendas em português? vi q em espanhol parce ter

Skywalkerpg disse...

Oficiais infelizmente não, mas hoje em dia acontece frequentemente de empresas lançarem depois novas línguas. Tem também grupos de tradução que vez ou outra fazem uma surpresa. =)