Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

domingo, 21 de fevereiro de 2016

Dying Light - Uma experiência cooperativa fantástica

Esse é um jogo que assim que vi pela primeira vez já me apaixonei, isso porque sou um baita de um fã de Dead Island, um jogo que acho injustamente mal falado por muitos e que sei muito bem que tem muita gente perdendo a oportunidade de jogar um jogo fantástico por preconceito ou por não querer jogar de verdade a coisa. Mas apesar de tudo não experimentei Dying Light de primeira e só fui jogar quando saiu a "Enhanced Edition", uma versão cheia de melhorias, sendo assim essa análise é referente a ela.


No entanto antes eu quero falar um pouco sobre a própria experiência do Dead Island já que acho que esse jogo tem tudo a ver com ele pois é da mesma desenvolvedora e uma quantidade imensa de elementos da jogabilidade foram reutilizados aqui. Além de ser a continuação espiritual daquele jogo. Pelo o que entendi esse seria mesmo um jogo da franquia mas no fim das contas mudaram de nome por alguma coisa envolvendo os donos do nome.

A primeira vez que joguei Dead Island eu tomei um susto em ver como o personagem era lento e isso me irritou, mas logo vi como aquele pequeno elemento de "barra de stamina" fez toda a diferença. A sensação de que você se cansa e não pode lutar eternamente, saber que se entrar no meio de um monte de zumbis ou dar golpes seguidamente sem parar poderia ser morte certa já que você podia se cansar e ser atacado. Aquilo sim conseguiu simular os filmes de terror, colocando um personagem sem energia infinita.

Mas o povo ficou irado, um dos principais argumentos é que o trailer é enganador. Sabe-se lá como diabos aquilo pode ser enganador né? Quero dizer, queriam que aquele cinematic fosse o jogo? De trás pra frente? Quando você fala isso alguns dizem que é enganador porque você não controla aquela família, mas falando sério mesmo, se você controlasse os membros daquela família de repente tudo ia ficar maravilhoso no jogo?

Então sinceramente o que acho é que as pessoas começaram uma partida e viram que o personagem é lento, viram que os zumbis são difíceis pra cacete de matar e pensaram "Ai que saco!" e desistiram para começar a falar que é o pior jogo que já jogaram em suas vidas e que é impossível existir algo pior que aquilo.

Uma coisa que me faz comprovar que boa parte das pessoas só odeia por preconceito, foi um amigo meu que chamei pra jogar o cooperativo. Ele ODIAVA Dead Island, descia o cacete mesmo, falava que era chato, era ruim em tudo. Mas enchi o saco dele pra jogar comigo e dois amigos, insisti sem parar, até que ele aceitou com muita má vontade e assim formamos um grupo com quatro pessoas pra zerar juntos.

Resultado, exatamente esse amigo que tanto odiava era o que mais vinha insistir pra continuarmos logo. Aquela sensação de quatro pessoas em uma aventura por uma ilha paradisíaca cheia de zumbis, cada um tendo sua própria classe e elementos de RPG como subir nível, missões alternativas e árvore de habilidades próprias. Poder mostrar pros amigos o que sabe fazer, ou uma arma nova que construiu, andar de carro todos juntos pra uma área do mapa. Aquele é um jogo realmente gostoso de se jogar com os amigos.

Sendo assim eu sou realmente um fã apaixonado por Dead Island e pelo jeito ao menos aqueles que compraram mesmo o jogo (porque assim acabaram jogando de verdade já que não queriam tacar o dinheiro no lixo) acabaram gostando mesmo. Como sei disso? Bom, embora eu veja gente descendo o pau pra todo lado, quando olho na página da Steam a surpresa é ver as análises no marcador "Muito Positivas" e quem olha isso na steam sabe bem como é chato chegar nesse nível já que o povo dá negativo por tudo.

Foi até uma surpresa ver isso já que todos falam mal, mas foi assim que cheguei a conclusão que quem comprou o jogo, provavelmente jogou pra não ter gastado dinheiro atoa e na marra acabou vendo o potencial do jogo não tendo como postar uma análise negativa depois de uma baita experiência como aquela.

Então vocês já notaram bem o quanto eu amo Dead Island e acho um jogo fantástico pra caramba. Quando bati os olhos em Dying Light a coisa simplesmente não poderia ser diferente. O sucessor espiritual dessa maravilha adicionando elementos de parkour e com tudo mais. Além dos gráficos espetaculares.

Tenho que assumir que eu imaginava que o jogo fosse um pouco mais diferente de Dead Island, mas é notável que a equipe sugou demais daquela fórmula inicial. Praticamente todos os elementos já vistos anteriormente estão presentes, a única mudança brusca mas que ainda assim não é tão inovadora, é o ciclo de dia e noite em que aparecem criaturas noturnas.

Mas vamos lá! Pra começar, os gráficos são maravilhosos mas realmente me surpreendeu como a coisa é polida pra caramba e que consegue rodar em computadores fracos. Sendo assim por mais que seja assustador o visual do jogo e a primeira impressão de alguns seja "É... Isso jamais vai rodar no meu PC da Xuxa!", a coisa ficou bastante polida, bom ao menos a "Enhanced Edition" né? Imagino sim que o jogo era mais pesado na versão inicial, mas nessa a coisa fica mais tranquila.

É um jogo realmente fantástico de se olhar, todas aquelas partículas, e embora o ambiente seja um tipo de favela bem detonada, é em uma área paradisíaca com águas bem azuis e partes naturais realmente lindas de se ver. Além de que tem todo um charme especial essa cidade, pois mesmo as casas sendo um monte de barracos, ainda assim são em uma área tão bonita de se ver que é maravilhoso subir em um ponto alto e ver aquela vastidão toda.

Além disso há efeitos constantes de partículas, sempre tem alguma coisa voando na tela, pequenos elementos que dão um tempero especial a toda a coisa, como por exemplo faíscas saindo do fogo ou muitas gaivotas passando voando por uma área e que dão um baita charme por exemplo quando você está correndo por uma área alta e as vê.

A história fala sobre a cidade de Harran, onde uma praga atingiu os habitantes e causou o caos, deixando o mundo chocado ao ver mortos andando. A área entrou em quarentena e o mundo ficou sem saber o que fazer. A única solução para acabar de vez com a coisa foi destruir a cidade inteira, no entanto documentos importantíssimos estão no lugar e nas mãos da pessoa errada.

Você assume o papel de um agente que é enviado para descobrir como está a vida na cidade, localizar os documentos e recuperá-los, pois só após isso a bomba poderá ser lançada. A sua surpresa é ao descobrir que facções foram formadas e pessoas lutam para sobreviver. Você tem que interagir e investigar.

Eu simplesmente adorei a trama do jogo, não é algo muito complexo mas é bem gostoso de se ver acontecendo. Essa ideia de agente secreto, de conversar com as pessoas mas estar com planos diferentes, isso ficou simplesmente. Ainda mais que constantemente você tem que subir a um lugar alto e usar um rádio para passar relatórios sobre a situação do lugar.

Uma baita de uma surpresa que tive quanto a esse jogo é que ele é dublado em português! Eu realmente não esperava isso, não me surpreenderia se o jogo fosse somente em inglês afinal e ficou ótimo por sinal. Achei uma dublagem bem agradável de se ouvir. Acho que o estúdio selecionado fez um bom trabalho. Joguei com um amigo que tava jogando em inglês e muitas vezes deu pra comparar a coisa, realmente ficou bem legal.

Um dos elementos bem destaque do jogo é a presença do Parkour, essa mistura com jogo de zumbi foi uma das coisas que mais provocou o povo ao ver o trailer do jogo. E é realmente bem fantástico, esse é daqueles jogos que você ganha pontos de habilidades e pode gastar, aqui tem três árvores de talento, e uma delas é a de movimentos.

Então inicialmente você começa com coisas básicas, mas depois passa a escorregar por lugares baixos, usar corpos dos zumbis para pegar impulso e dar pulos altíssimos, entre outras coisas. Você realmente sente que está melhorando, o que inicialmente dá medo e te faz parar sempre pra ver se tem algum lugar pra pulara depois passa a acontecer naturalmente.

A cidade é lotada de ambientes que te permite entrar em corrida e seguir naturalmente escalando, saltando, caindo em lugares como montes de lixos e carros para amortecer quedas, entre outras coisas. Com as habilidades que vão sendo destravadas você só se sente mais livre, mas isso também as vezes te faz se dar mal e pular sem pensar, as vezes até morrendo.

São três árvores de habilidades, cada uma relacionada a um quesito em especial do jogo, e uma quarta árvore de talentos para ser destravada depois. Você evolui dependendo do que mais fazer no jogo, por exemplo se você for o tipo de jogador que corre muito, salta e fica fazendo movimentos sem parar, ganhará mais pontos relacionados a isso. Por outro lado se você for um jogador do tipo lutador, que fica dando voadoras, metendo cacetadas e etc, essa será a que você mais vai ganhar pontos, e assim vai.

O sistema de armas é aquele mesmo de Dead Island, com a diferença de que você não pode se apegar muito às coisas, você pode fazer um super porrete elétrico e usar muito, mas de repente ele tem um limite de durabilidade, coletando metais é possível arrumar até um certo ponto em que ele não aguenta mais, e a cada arrumada é menos um ponto de durabilidade.

Vasculhar por coisas na cidade é essencial, então você sempre se vê mexendo no lixo, abrindo armários, procurando algo em orelhões. E assim vai, os objetos achados variam, podem ser coisas como cigarros que você usa exclusivamente pra vender, mas pode ser também alchool usado para coquetel molotov ou kits médicos. Além é claro das armas modificadas. Quanto a isso é também possível arrombar baús e carros fechados, por exemplo um carro da polícia pode ter armas, uma ambulância pode ter itens de cura.

Existem missões alternativas que surgem do nada, aviões passam lançando suprimentos e você deve correr até o lugar antes que bandidos cheguem e pode achar itens muito bons, mas pode também achar um monte de bandidos prontos pra lutar por aquilo, ou e demorar demais pode não achar absolutamente nada. Há missões também de salvar pessoas sendo atacadas por zumbis ou rendidas por bandidos.

O som é algo importante a se tomar cuidado aqui, cair em certos lugares pode fazer muito barulho, assim como usar armas de fogo, explodir botijões de gás e assim vai. Isso atrai infectados especiais que são muito mais complicados de se enfrentar do que o normal, como os recém transformados, que correm e escalam lugares, ou os que cospem um tipo de ácido, além dos que explodem. Mas o som pode ser usado a seu favor como para atrair inimigos disparando o alarme de um carro.

E tem o ciclo de dia e noite que é uma baita de uma maravilha! Quando a noite tá chegando você recebe um comunicado pelo rádio dizendo que tem uma hora para achar um abrigo. É possível dormir para que a noite passe logo. A única coisa que não gostei é que demora demais, o dia é gigantesco, parece que não vai acabar nunca, a noite passa extremamente rápido. Acho que fizeram isso para que jogadores achassem mais fácil a coisa e não tivessem que ficar voltando pra abrigo o tempo todo.

A minha primeira noite eu parecia uma galinha louca, saí correndo sem saber o que fazer. Aparecem criaturas chamadas "Pesadelos" (Ou "Voláteis") que são extremamente fortes e correm pra caramba. Eles ficam vagando pela rua com um campo de visão aparecendo no mini mapa e te perseguem sem parar, se você for cercado, acabou. O problema é que o ambiente é muito escuro e os zumbis normais ainda estão pelas ruas mas se você acender a lanterna, fica mais fácil de ser vistos. Aí já sabem né?

Mas depois do susto inicial, correr a noite passou a ser uma maravilha! Adrenalina pura, uma experiência diferente. O anuncio da noite chegando não me causou mais sensação de apenas medo, mas sim uma pressão fantástica de "Agora a coisa vai ficar intensa!" e não é apenas por isso, toda a experiência é muito maior do que de dia, tudo o que você faz te faz se sentir recompensado.

Sendo assim correr com os amigos pela noite em direção a um objetivo, saber que tá lotado de monstrão por aí e acontecer coisas como um ficar pra trás pra dar a volta por outro lado ou mesmo você tendo que se separar do grupo e ir por outro caminho é realmente maravilhoso. Sem dúvidas vale bastante a pena.

Enfim, jogo fantástico! Realmente uma experiência cooperativa maravilhosa, é um daqueles que vale demais a pena você procurar por três amigos para zerarem juntos. Sem sombra de dúvidas vai valer seu tempo! Veja se seu PC consegue rodar. Para todas as plataformas você pode achar por preços relativamente bons versões físicas a venda no Brasil. Vale a pena dar uma conferida no site da G2A, pois lá eles costumam vender keys da steam por um valor bem mais barato que na própria steam e ainda aceitam boleto bancário. Dê uma conferida aqui.


Um comentário:

Rui M Rodrigues disse...

Se em modo solo já é bom...