Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

sábado, 2 de janeiro de 2016

Die Antwoord - Banda de rap/rave africana espetacular

É difícil eu escrever sobre uma banda/dupla/músico em especial, no entanto o blog em si sempre reflete em meus gostos e vez ou outra estou no clima de falar sobre certas coisas que não tem uma frequência tão alta aqui no blog como as deliciosas maldades de Paola, assim como muitas vezes falo sobre um tema devido a outra matéria que quero fazer e citar esse tema sem tem que explicar ele completamente.

E hoje vou falar sobre a banda Die Antwoord, uma daquelas coisas que geram dois públicos, um que admira, adora e sente a essência da coisa, e outro que considera completamente asqueroso. O motivo do negócio ser tão preto no branco é que a coisa é extremamente bizarra, sendo assim o impacto não é suave, é forte pra caramba e atingindo rápido as pessoas de forma boa ou ruim.


Eu conheci a banda (apesar da dupla de vocalistas ter destaque tem DJ's próprios) há algum tempo quando meu amigo Kellevra apresentou, na hora eu fiquei encantado. Era um som esquisito, parecia um chiado desagradável e visualmente feio pra cacete, mas ao mesmo tempo tão encantador. Algo diferente, esquisito, cheio de misturas.

Mas o encanto começou antes mesmo do som em si. Um dos continentes que eu tenho um encanto é a África, isso começou quando eu era criança e se não me engano foi na edição 52 da revista Dragão Brasil, nela saiu um conto que se passava na África, tão misterioso, tão sombrio. Engraçado como coisas surgem do nada né? E então BUM! Fiquei apaixonado, pensativo em como era.

Já cheguei a cogitar seriamente em fazer intercâmbio pra lá, que infelizmente a ideia não foi pra frente, pois sabem né? É aquelas coisas que dá vontade mas dá um medo, um lugar tão diferente, sem nenhum conhecido. Talvez tenha sido nessa época que eu percebi que se fosse Paris a única coisa que faria seria tirar uma foto em frente à Torre Eiffel e mostraria status para os outros, mas em outros lugares do mundo menos luxuosos eu teria uma aventura! Um impacto cultural maravilhoso, e a experiência de experimentar coisas novas.

Então quando meu amigo me mostrou aquilo, eu fiquei encantado! Era música eletrônica (coisa que amo demais), mas tinha misturas de elementos culturais e tudo acompanhado de muita bizarrice junto. Achei simplesmente maravilhoso, diferente, ousado. Fiquei até me perguntando como diabos algo assim podia fazer sucesso.

É impressionante como você vê os vídeos do cara e fica pensando "Meu Deus o que ta acontecendo? O que essa gente tava pensando quando foi fazer isso? Que loucura!", aí você vai olhar os comentários e todo mundo tá tão perdido quanto, aquela sensação de "Eu... Eu acho que eu gostei..." hahaha. É muito fantástico!

As letras dos caras podem ser consideradas asquerosas e muitas vezes vulgares pra caramba, a voz da vocalista é horrorosa, extremamente fina parecendo uma formiguinha, e há um contraste imenso com a voz do vocalista bem mais séria. Pelo o que dá a entender eles tem um fascínio pelo feio e esquisito, pois em suas próprias letras falam sobre isso.

Os clipes então, esses sim chocam, acredito que todos devem ter bloqueio para menores de idade, porque como falei outro elemento forte é a sexualidade, sendo assim os dildos rolam soltos pra todo lado, assim como poses, referências mais do que claras a algo relacionado a sexo  e coisas esquisitas. É realmente muito estranha a coisa. Mas tem também outros que são "normais" e o foco é ser colorido e com um clima de filme trash. Bom, vou por uma série de clipes deles aqui e falar um pouco sobre! Observem que vários dos atores esquisitos que aparecem são mostrados novamente em outros clipes deles.

I fink u Freeky


Esse é até suave, mas já mostra bem a visão deles da coisa, parece ser um tipo de adoração à esquisitice e feiura. Acho isso simplesmente fantástico, a ideia de mostrar algo feio mesmo, mas ao mesmo tempo existe um toque tão fantástico na coisa. E vocês conseguiram ver chuva de referência que tem na coisa? É bem comum isso de ver rapidamente certos elementos da cultura pop, além de claro os detalhes subliminares na maioria das vezes com um toque sexual. Notaram a pessoa vestida de pikachu? kkkkk. Agora vamos pra um que tem como foco a tosqueira:

Baby's on Fire


Observe que no começo a Yolandi aparece fazendo uma oração agradecendo pela comida e coisas boas, até que ela fala "E obrigado por Satan", isso momentaneamente dá aquele susto de "Hã?" e rapidamente a câmera muda pra parede e aparece um cachorro com uma coleira escrita "Satan". Esse tipo de coisa é muito comum nos clipes dele, obviamente feitas para provocar. Notaram a pantufa de Pikachu no pé dela? Acho que ela tem algum fascínio por isso. Agora o clipe que provavelmente é o meu favorito:

Pitbull Terrier


A primeira vez que vi esse clipe o achei nojento pra cacete, começando pelo Pitbull humanoide super bem feito mas esquisito pra cacete. No entanto ele transmite uma sensação tão estranha, algo que dá vontade de ver. A fotografia usada é maravilhosa, tipo no começo aos 0:42, aquela cena daquele menino tão feio fazendo cara de capetinha e ainda tendo aquela boina com chifres, andando de skate, sendo levado por um Pitbull humanoide e sacando uma arma. Isso é tão... Sei lá, estranho! Uahahaha, e a sequencia que começa as 2:23? Aquela dancinha parece que tá até te hipnotizando "Querido, aqui garoto, você é doido? Se acalma garoto, olha essa cara fechada, por que você está tão sério?" uahahaha. E antes que se perguntem o motivo desse ambiente parecer tão familiar, é do filme Chappie, onde os dois são protagonistas e o ambiente é o mesmo, isso aí aquela cena da perseguição por uma pista no final é a mesma do final de Chappie.

Fatty Boom Boom


Esse começa com os caras dando uma zuada em estereótipos que as pessoas tem com a África, mostrando um leão na rua sendo criado normalmente, assim como hienas. E caso não tenham notado a Lady Gaga é devorada por um leão, sim! Isso é uma referência a roupa de carne que ela vestiu certa vez, é um clone daquele vestido kkkkkk. Agora um último que estou cansado hahaha:

Enter the Ninja


Esse é mais suave que os outros, tem um climinha mais agradável, mas lotado também de elementos em toda parte. Uma coisa interessante é que os vídeos são bolados pela dupla e a maioria dirigidos pelo Ninja, que é o apelido do vocalista. Sendo assim é aquele tipo de coisa que transmite exatamente o que eles querem, algo que é fantástico.

Enfim, Die Antwoord ao meu ver é fantástico, consigo entender perfeitamente quem tem repulsa a essa banda, pois entendo que é mesmo bizarro. Mas sou dos que adorou, lembram do que falei na matéria sobre I, Goat Pet II? Sobre tudo estar conectado? Religião, cultura pop, política, sexo? Pois bem, a sensação que tenho é que eles captam tão bem a "existência" e colocam tudo junto. Muitos veem como uma falta de respeito colocar certas coisas, mas vejo exatamente o contrário, por exemplo a quantidade de gente feia que eles usam, parece bem algo do tipo "A vida é assim, essas pessoas existem, a natureza tem feio e bonito, não adianta se esconder, todos tem sua feiura". Não sei nem dizer com palavras, essa é uma banda que acho intensa, diferente, que consegue transmitir uma atmosfera própria. Se gostaram ainda tem mais clipes no youtube é só dar uma olhada.

6 comentários:

Rafael Candido disse...

Pow eu assisti um filme com esses caras e eles são os protagonistas, o nome do filme é
CHAPPIE até que a história é interessante.

Skywalkerpg disse...

Sim, eu cito isso na matéria kkk. =)

alex5432 disse...

Faltou Ugly Boy kkk, foi com essa música que conheci eles.

Matt Kist disse...

Eu tive meu primeiro contato com essa banda com o filme Chappie, achei o Ninja a Yolandi duas personalidades muito icônicas, me atraí imediatamente por eles, e no final do filme tem uma musiquinha...
Daí fui pesquisar e descobri que eles eram de fato uma dupla/banda/conjunto/whatever, achei o máximo e fui ouvir as músicas deles!
Se não me engano Die Antwoord significa "a resposta" em africano.
Acho que o que eu mais gosto dessa banda é que eles gostam de falar inglês errado de propósito, misturando com o dialeto local deles. Se eu fosse fazer musica trash eu certamente faria isso, hehehe. O Pewdiepie por exemplo, também gosta de escrever errado de propósito. É um culto à tosqueira que eu acho o máximo, hehhehe.

Enfim, curto eles. Ouço. Recomendo mesmo para quem não gosta de rap e eletrônico (como eu).

Skywalkerpg disse...

A música do fim do filme é exatamente a do fim do post, Enter the Ninja. Engraçado que quando fui assistir eu não sabia que eles estavam no filme, e eu já tinha assistido o trailer e tal, mas sei lá acho que criei bloqueio, no entanto quando comecei a ver e eles apareceram, deu aquele nó "O que??? Caramba!", pensei até que seria apenas uma participação rápida, mas aí quando vi que eram protagonistas foi tipo um mindfuck uahaha, baita surpresa. =D

Super Suporte disse...

Ainda não tinha assistido Chappie, e nem conhecia a banda. Mas gostei bastante é bem diferente, a musica I Fink U Ugly é muuuuito chiclete. Aguardando a versão do Latino :DDDD