Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

sábado, 26 de dezembro de 2015

O saudosismo e o bonde dos nerds chatos

Lembra da sua infância? Os desenhos, os brinquedos, as outras crianças. Era tudo tão diferente naquela época não é? Tudo tão mais calmo, a lembrança daqueles dias causa um calor em seu coração, é intenso de repente ver uma imagem de um desenho que você se lembra bem mas que há muitos anos não ouvia falar dele. As crianças eram crianças de verdade, parecia algo mais natural, as coisas pareciam mais saudáveis. Os bons velhos tempos... Não era como hoje em dia, era tudo muito melhor, certo? ERRADO VAGABUNDO Ò___Ò! AGORA LARGA DE SE ACHAR QUE TINHA UM MONTE DE COISA NAQUELA ÉPOCA QUE ERA UM CU!


Aliás, eu aposto que se você fosse mandado de volta no tempo, não ia aguentar uma semana sem pirar. Já pensou viver sem as coisas de hoje em dia naquela época? Imagina o tédio de reviver sua infância? O pesadelo que não ia ser tudo aquilo. E não me venha dizer que você ia sair pra brincar com as outras crianças não, pois não ia, você com sua mentalidade atual só ia pensar nas coisas que poderia tá fazendo e quando o pesadelo iria acabar.

E se vier com aquele papo de "Mas eu queria voltar no tempo e esquecer tudo", então qual seria o diabo da lógica em voltar no tempo? Quero dizer, você pode falar que NESSE EXATO MOMENTO você acabou de voltar no tempo, só não se lembra. Ou seja, que coisa inútil né? A verdade é que o negócio é um verdadeiro paradoxo, a infância é uma essência que não dá pra retornar, algo que se perdeu e não tem jeito. E certamente isso é uma das coisas que a torna tão especial. A adolescência por exemplo já dá pra fazer muitas coisas da época se você voltar, mas a infância tinha a inocência e a vontade de fazer coisas bobas.

Mas agora uma coisa que eu acho a maior tosqueira é a quantidade de nerd torrando o saco de crianças. Aliás eu já tinha falado aqui que Nerd é um saco né? O que um dia já foi um grupo aleatório bizarro aí e zuado pra cacete, hoje em dia a definição é mais para a própria encarnação da chatice! Um querendo ser mais gostoso que o outro "Mas eu sou o nerd mais foda porque eu mereço e vocês não, buááá.". É uma gritaria e frescura que pelamordedeus.

Quem nunca viu imagem de uma engenhoca escrota usada há séculos atrás e a descrição "Desculpem crianças de hoje em dia, mas vocês jamais saberão o que é isso!", como se a própria pessoa quisesse voltar a usar aquela engenhoca. Ok, ela pode usar uma vez e relembrar de como a coisa era na época, mas vai ver se o infeliz trocaria a sanduicheira elétrica dele por aquele treco que colocava em cima do fogão e as crianças dos anos 90 usavam?

E o pior é que o negócio passou de geração! As crianças dos anos 80 já eram velhas demais pra ficar de frescurinha quando a mania de se achar superior por besteira pegou na internet, então a quantidade de gente é menor, sendo assim o povo dos anos 90 é que são a maioria com essa frescura mesmo (sou dos anos 90 só pra ficar claro que não to puxando corda). Mas qual não foi a minha surpresa quando vi uma imagem do MSN e "Crianças de hoje em dia nunca..." pfffffffff.

Ou seja, o povo se sentiu rebaixado pelos grandalhões e ficou desesperado pra chegar a vez deles de "humilhar" a próxima geração. Eita maravilha ein? A tosqueira sendo herdada por futuras crianças complexadas. E assim o mundo dos nerds chatos continua a caminhar.

O que me parece é que as pessoas veem o quanto as crianças de hoje em dia tem coisas mais legais e se rasgam de inveja, daí pra compensar, ficam inventando papinho. "Você se deu mal, porque a minha infância era muito melhor que a sua, você jamais poderá ter aquele prazer, sofra, sofra muito, tenha inveja de mim, veja como sou melhor que você, como me dei bem e você se deu mal.".

Mas dá um smartphone pra uma criança dos anos 90 e vê se ela vai recusar, aham... Aliás, se a pessoa tivesse a oportunidade de voltar no tempo e pudesse escolher entre levar ou não levar um smartphone pra matar o tédio da bagaceira, qual seria a escolha dela? Ficar o dia inteiro assistindo TV parece algo realmente muito divertido não? Telefone caro... Sem internet... Sem PC... Video game tinha, a era do super nintendo né? Mas tinha suas limitações...

O negócio é, nos anos 90 tínhamos aqueles vários entretenimentos que foram massacrados pela internet. O problema é que tudo custava dinheiro, a informação era limitada e tudo era limitado. Quantos cartuchos de SNES uma pessoa tinha? Quantos jogos temos hoje disponíveis? Quanto de dinheiro você podia gastar pra alugar filmes? Quantos temos hoje? Quantas revistas você podia comprar e quanto tempo iria durar lendo? Quanta informação você pode conseguir em sites hoje?

A verdade é que nós somos sufocados de entretenimento hoje em dia e somos acostumados com isso, séries, filmes, jogos, música, informação. É coisa que não acaba mais, nosso mundo é repleto de entretenimento. O que faz parecer a infância tão especial é a essência que ela tinha, pois a quantidade de coisas chatas supera em muito.

E eu não estou falando só dos anos 90 não, a cada dez anos o mundo é uma coisa completamente diferente, compara 2015 com 2005 por exemplo. Em 2005 a quantidade de pessoas sem internet ainda era imensa, super normal achar alguém que não tinha PC. Muita gente usando conexão discada ainda e em 2015 a era dos smartphones, todo mundo tendo um, muita gente nem usando PC mais. Será que esses que glorificam o passado não iria querer um smartphone porque era MUITO BOM viver sem um? Eu duvido...

Agora o pior é ver marmanjos discutindo com crianças! "O meu desenho era melhor que o seu, hoje em dia só tem BOSTA!". Eu acho tão absurda essa afirmação, tem tantos desenhos atuais que conseguem atingir tanto crianças quanto adultos. Parece que a pessoa não se deu o trabalho de ver nem nada, ela só olha com cara de nojinho e diz "Aiii o meu era melhor!", me pergunto se os desenhos da época da pessoa fossem lançados HOJE ela sentaria em frente a TV e começaria a assistir.

O negócio é, aqueles desenhos são especiais pra pessoa porque ela viu na época em que era criança, onde essa essência especial existia na vida dela. Se os mesmos desenhos de hoje em dia fossem lançados naquela época, a pessoa certamente iria amar. Aliás, tem muitos desenhos modernos que se colocados lado a lado com outros na época, a pessoa escolheria ele e não o clássico.

Enfim, o problema disso tudo não é a pessoa se lembrar dos bons velhos tempos, falar sobre eles e como gostava. Isso é muito natural, e eu também sinto uma pontada de nostalgia quando vejo aqueles bonequinhos das tartarugas ninjas, o problema é se achar melhor por isso, querer fazer invejinha com besteira e entrar em brigas com crianças. É uma coisa horrível de ver o cara careca e barbado brigando com um molequinho sobre o dele ser melhor. Podem surtar, mas vocês sabem bem que a coisa é assim mesmo. Ò_Ò

13 comentários:

Mr. Reborn disse...

Sei que é idiota mas..... estou sentindo falta dos posts da seção de Bizarrices. E eu sei, ele está atualizado.

Gabriel Villar disse...

Um tapa na cara da sociedade nerd saudosista rsrsrsrs

Matt Kist disse...

Na minha época...

Pablo Henricky disse...

Sou de 85, desculpa mais ainda sinto saudades: de brincar de policia e ladrão só valendo duas ruas, esconde escode na área do quarteirão (porque se fosse além não valia), queimada e futebol no meio da rua, juntar uma galera na casa de um amigo e passar a tarde inventando sagas com os brinquedos, disputar torneio de luta no super nintendo dos amigos e se contentar com o Dynavision III em casa e fobar na escola inventando mentiras e jogos que nunca existiram só para parecer mais descolado...
Na boa trocaria Pcs, smarths, iphones, mmorpgs solitários, fallout 3 e 4, por mais uma aventura dessas com os amigos, que hoje na sua maioria já tem seus pimpolhos viciados em minecraft, uma patroa exigente e um trabalho onde lhes tira o seu vigor junto com as responsabilidades financeiras, onde fica difícil até mesmo encontrar tempo para dormir por mais de 6 horas, quanto mais sair de casa para conversar com os amigos que é a "nova" brincadeira quando se descobre que já não é criança, aliás se conversa em tudo, zap zap, telefone, fóruns de internet, blogs, bate papo de face... mas sair que é bom méh...
De vez em quando ainda me reúno com a galera cada um em suas casas para uma partida esporádica de Tibia, que já não empolga há anos com os mesmos personagens lá dos anos 2000 só para bater um papo.

Matt Kist disse...

Escorreu uma lágrima de meu rosto, Pablo.

Paulo Eduardo Borborema disse...

Acho que o Pablo ali percebeu algo que a priori o autor do texto não se atentou: o tesouro que se perdeu é justamente essa interação mais sadia entre nossos pares na infância.

Em nosso mundo de WhatsApp e Facebook, trocar mensagens instantâneas é realmente mais prático, porém acho que nos tornamos excessivamente dependentes destes recursos.
É evidente que o efeito de se falar com alguém por um aplicativo é muito diferente de estar cara-a-cara com as pessoas, e eu nem quero entrar no mérito da questão...

Contudo, posso citar uma coisa: quando eu era criança (sou de 89), mera comum você ir com frequência na casa dos amigos pra jogar Super Nintendo. As crianças de hoje, porém, costumam entocar-se em seu próprio quarto e jogar online com outras pessoas que nunca vão trocar mais do que meias palavras. E isto é apenas um exemplo.

Olhando assim, parece até um cenário meio triste, né? Porém nem tudo é tão ruim assim, convenhamos...

Skywalkerpg disse...

Como eu disse, é natural lembrar dos bons velhos tempos e gostar daquela época, afinal de contas foi sua infância. O problema são as briguinhas com crianças atuais. Por exemplo é muito comum se falar o quanto a infância dos anos 90 era mais saudável, havia interação entre crianças, elas saíam, elas brincavam correndo, etc... Mas o negócio é, as crianças da época não faziam isso porque era saudável, mas porque se divertiam com aquilo, esse pensamento de coisa saudável é uma visão adulta atual da coisa. Agora vai perguntar pra um adulto dos anos 90 o que ele achava daquela geração. "Essas crianças de hoje em dia, assistem televisão o dia todo! Só saem quando expulsamos, se pudessem ficavam entocadas iguais a zumbis olhando, e olham de perto, não se preocupam com a vista não, nada saudável viu! Na minha época... As crianças dos anos 70 sim..."

Video game então... Os adultos viam como uma abominação um monte de crianças ali reunidinhas jogando com a TV ao invés de brincadeiras clássicas. Esse negócio de "A minha geração era melhor!" existe a cada nova geração de adultos, e as crianças da geração anterior não desejavam ser mais saudáveis, não faziam algo por causa disso, são os adultos que gostam que elas fazem.

Eu sei, é bonito de ver, é bonito de falar, mas a verdade é que crianças são crianças em qualquer época, elas se abraçam ao que acham mais interessante, e as crianças dos anos 90 ficariam exatamente iguais a da época atual se tivesse disponível, elas não falariam "Não, não vamos usar isso, temos que nos preocupar com a circulação sanguínea, precisamos de exercícios, verduras e sono cedo." hahaha.

Não acho essa geração inferior de maneira alguma, apenas acho que ela é de outro tempo. A questão dos zumbis da televisão é algo que sempre foi usado. Tem um episódio dos anos 90 dos simpsons que o Homer é acusado de alguma coisa absurda e que qualquer família saberia que não era verdade, mas o Bart diz "Desculpa pai, foi a televisão que falou, é difícil deixar de confiar em algo assim.", tem uma outra série em animação chamada F is for Family que se passa nos anos 70 e explora demaissss a ideia do fascínio pela televisão.

Então como falei, é natural ter saudades de um momento tão especial, mas a geração atual vai arrumar suas próprias desculpas daqui alguns anos e falar como essa época é maravilhosa, como agora as crianças vivem e se divertem de verdade, e a próxima vai ser um lixo... Se o negócio for interação com pessoas, acho que a "infância verdadeira" está antes da popularização do rádio, onde as crianças não tinham a tecnologia pra interferir, tinham que brincar com as outras, e o único jeito de ficarem sozinhas era com livros, que no fim ainda acabava sendo um benefício, depois disso sempre teve a tecnologia para acabar com tudo.

Marcelo Henrique disse...

Quando a nostalgia bate a porta, não tem como deixar de desejar o passado. A verdade é que quanto mais velhos ficamos, mais sentimos saudades do passado e não acho que o passado ou o futuro deixem de ser bom, acontece é que muitas vezes só damos valor em algo que já o perdemos. Eu ate duvido dessa infância perfeita daqueles que viveram nos anos 90, e acho que independente da década, ha sempre aquilo que é bom e aquilo que é chato. Como acontece quando somos crianças e sentimos vontade de viver como adultos, e quando nos tornamos adultos sentimos vontade de viver como crianças, acaba que não podemos ter tudo, mas devemos aproveitar o melhor em cada fase da vida. Ser adulto, não significa que jamais deveremos ser como criança, muitas vezes é o nosso orgulho que nos restringe a enxergar isso, e sempre achamos que ser criança é patético demais para o novo "EU". Achei bacana o post, e concordo que no futuro (se vivermos ate la) vamos ver a geração atual reclamando da nova kkkkkkk.

Pablo Henricky disse...

A única coisa em comum que eu concordo, é que a garotada dos anos 60, 70, 80 e 90, tinham em comum o fato de se relacionarem socialmente com outras crianças, mesmo cada um tendo as limitações tecnológicas da sua época, coisa que eu não vejo hoje em dia... Crianças não brincam ou correm "soltas" pela rua, pois a mesma se tornou muito perigosa, aqui onde moro, as ruas, campinhos e praças que em outros tempos eram cheias de vida, tem um pai ou outro com seu pimpolho, senhores e senhoras fazendo cooper, jovens fazendo uso de entorpecentes e vizinhos exercitando seus pets, na rua onde moro os leks não sabem nem quem são os seus vizinhos, se relacionando apenas com crianças da escola ou do seu meio familiar (primos e agregados), outra coisa que eu notei as crianças são mais "adultizadas", amadurecem mais rápido, como se sentissem vergonha de ser criança, não conhecem limites ou significado da palavra respeito, xingam a tudo e a todos (coisas que rendiam um "belo" de um espancamento), são entedidas de tudo, desenvolvem mais cedo a sua sexualidade, por causa do advento da vulgarização do sexo (internet e sua pornografia infinita), com 7 anos a crianças já conhece toda a anatomia de uma vagina coisa absurda, onde não se valoriza mais o lúdico.
Na minha opinião essa é justamente a diferença das gerações passadas para atual, onde existia mais interação social e formação de laços entre amigos que eram praticamente uma extensão do seu irmão e a casa deles era uma extensão da sua, filmes como "Os goonies, Detroid a cidade do rock, Os batutinhas, A cura, entre outros" retratam muito bem esse laço, coisa que a cada dia se perdem mais em uma geração que julga quantidade ser melhor que qualidade e valoriza o "ter" em razão do "ser".

Marcelo Henrique disse...

Pablo Henricky, realmente isso acontece mesmo, foi ate semana passada estava conversando com um garoto de 10 anos e ela contava que via pornografia no computador do pai, fora que ele frequentava a casa dos amigos e bebia garrafas de vinho, eu particularmente fiquei chocado, porque na idade dele eu não tinha noção de nada disso, e ele contava como se fosse a melhor coisa do mundo, o pior foi ele ainda dizer que tinha vontade de usar drogas, na hora me deu muita pena dele, tipo de um garoto que vai crescer já adulto, e não vai viver a melhor fase na idade dele, o que mais me deixa perplexo ainda é o pai dele ser policial e não ter nem ideia do que acontece com o filho dele. Dizia ele que um primo dele que tinha 17 anos arrumava essas coisa pra ele, fiquei mais triste ainda porque um rapaz nesta idade e totalmente desnaturado, e muitas vezes acontece de um cara desse engravidar uma garota e caba sendo um pai muito irresponsável. Realmente hoje em dia nossa sociedade não se relaciona mais como antes, acabou ficando tomada pela violência, sempre existe aquela desconfiança do vizinho, a correria do dia a dia faz com que as pessoas cruzem umas as outras mas é como se eles nem existissem, hoje as cidades não vivem mais, viraram um "robô", somos programados a manter o sistema funcionando, sem vontade própria, nem sequer questionamos mais nada, já que tudo que a mídia transmite é uma "verdade absoluta", simplesmente aceitamos, porque "é assim que deveria ser".

Miya Seat Lee disse...

Gostei da postagem, Sky! Acaba suscitando discussões, claro, mas é normal já que ela tem a ver com as nossas sensações e emoções. O poder da nostalgia é muito forte mesmo e, em alguns momentos podemos acabar meio tacanhas já que vamos sempre considerar o nosso tesouro melhor que o dos outros que não compartilharam e por isso, obviamente, nunca poderão compreender a totalidade do que falamos.
Particularmente acho que nos divertíamos muito mais antigamente do que as crianças se divertem hj. Nasci durante os anos 80 e aproveitei bastante os anos 90 tb e nossa geração foi a última a viver, efetivamente em comunidade, sem os subterfúgios virtuais. Nossos pais tb eram super sem noção e, às vezes me surpreendo por termos sobrevivido... Mas nos divertimos muito e fomos realmente crianças e não mini homens ou mini mulheres como o são as crianças de hj em dia!

Anônimo disse...

Um dos artigos mais idiotas e imbecis que tive o desprazer de ler. Parte de uma premissa errada e segue no erro até o fim. Tosco. Ninguém está falando em voltar no tempo com a cabeça e as coisas de hoje. O que se diz é que a vida era melhor em muitos aspectos do que a de hoje. Só isso.

Iscai NM disse...

Aparentemente você é uma das pessoas que entra em briguinha com crianças e ficou nervoso em ver alguém falando umas verdades, pela agressividade e argumentos na base da ofensa dá pra ver mesmo o quanto é uma pessoa de mente aberta.