Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

sábado, 21 de março de 2015

Trapped Dead: Lockdown - Um Diablo no apocalise zumbi

Esse jogo foi uma baita de uma surpresinha, pois eu estava esperando uma coisa completamente diferente. Quando fui jogar, imaginei que tratava-se de um tipo de jogo de defesa de barricada ou algo assim, uma coisa onde você e amigos tivessem que permanecer vivos o máximo de tempo possível, porém a surpresa começou assim que vi a tela de escolha de personagem e notei o quanto aquilo me lembrava exatamente o mesmo estilo que Diablo 2 apresenta, e rapidamente vi que usa um estilo de jogabilidade também semelhante, o que me empolgou mais ainda e sei que pode agradar bastante a fãs de action rpg's.

A história se passa em uma pequena cidade nos Estados Unidos, onde uma praga zumbi foge do controle e atinge vários moradores. Com as notícias sobre a epidemia, cinco pessoas com objetivos diferentes correm contra o tempo para entrar na cidade, e conseguem pouco antes do exército assumir o controle e a colocar em quarentena. Agora precisam sobreviver em meio aos constantes ataques e tentar cada um seguir o seu caminho, mantendo-se vivos.

O jogo mantém uma jogabilidade realmente um tanto parecida com o estilo de Diablo, você inicialmente escolhe quem deseja ser. Existem cinco classes disponíveis, o Soldado, o Açougueiro, o Assassino, o Marechal e o Exorcista. Cada um deles tem o seu próprio estilo de combate indo desde poderes ocultos até combate direto e armas de fogo.

Depois disso você entra no jogo e começa a fazer as missões, o jogo é linear, o que é um tanto diferente da maioria dos Action RPG's, portanto as coisas são feitas em capítulos que apresentam uma série de missões que devem ser feitas em um cenário, normalmente uma rua com estabelecimentos comerciais e residências que devem ser explorados, e por fim uma saída para o próximo ambiente, é algo equivalente a fases.

Trapped Dead: Lockdown conta ainda com o modo cooperativo, que acho que é uma das coisas que pode ser mais atraentes no jogo, pois assim você chama amigos e até quatro pessoas podem de uma vez partir na aventura, com o universo de mortos vivos apresentado, esse estilo de jogo sai um tanto interessante.

Existe todo um sistema de melhora de personagem e árvore de talentos, portanto a medida que você vai matando criaturas, seu nível vai subindo e assim você ganha pontos para gastar nos atributos que quiser, melhorando certos aspectos do personagem, assim como ganha pontos de habilidades e pode adicionar diversas vantagens, algumas passivas que ficam ativas o tempo todo, e outras que precisam ser ativadas.

Graficamente, o jogo não impressiona tanto, é algo que você percebe que passa bem a cara de um jogo indie, mas não daqueles super fofinhos, e sim um 3D que é notável que houve um esforço para tentar apresentar algo legal, porém no fim das contas acabou ficando apenas apresentável mesmo. Para os mais exigentes, podem achar o gráfico horroroso, mas para os que apenas querem se divertir, certamente não vão ligar tanto e achar mais para um "ok".

Enfim, embora linear, esse é um jogo que pode divertir bastante grupos de amigos, não é algo que acho que seria muito divertido para se jogar sozinho, porém se você tem aquele povo para jogar com você e está afim de atravessar um apocalipse zumbi enquanto vê o personagem evoluir, essa pode ser uma alternativa incrível. Quem se interessar pode dar uma conferida no site oficial da distribuidora ou ir direto a página da steam.

Nenhum comentário: