Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

O Gralha - Tão banal quanto o original

Acredito que todo mundo vez ou outra acaba se deparando com sites que fazem uma lista de super heróis brasileiros, e naturalmente eu também já acabei vendo por aí alguma delas. Apesar disso tenho que assumir que nunca me interessei tanto a ponto de procurar mais a fundo por material, até mesmo porque nem mesmo os heróis que mais gosto me empolgam tanto a ponto de procurar por histórias, normalmente isso acontece pela empolgação que eu estiver no momento, mas hoje vou escrever um pouco sobre um herói brasileiro que acabei tendo a oportunidade de ler algumas aventuras, estou falando do Gralha.

Certamente eu achei o personagem bastante familiar embora não lembrasse muito claramente dele, então é (MUITO) provável que eu o tenha visto em uma das listas de heróis nacionais. No caso, a revista que li foi "O Gralha - Tão banal quanto o original", e não sabia nada sobre ele, e assim também não imaginava o que podia esperar da coisa.

Inicialmente pensei que tratava-se de algo mais voltado para o lado da comédia, especialmente por causa da apresentação dos personagens no começo da HQ, isso porque alguns deles tem umas histórias um tanto esculachadas demais, porém me surpreendi rapidamente já nas primeiras histórias quando vi muitos temas apresentados de forma profunda e até mesmo personagens que parecem um pouco idiotas, como o Homem-Lambrequim, apresentam histórias filosóficas que fazem ficar pensando bastante. Apesar disso há também diversos momentos de humor, e assim pode ser colocado como um meio termo, ao mesmo tempo que não é um super herói com um clima completamente maduro, também não é algo que foi feito para usar e abusar de humor paspalhão. A sensação é de que é uma mistura do velho com o novo, afinal de contas muitos heróis super sérios de hoje em dia, como o Batman, começaram como algo infantil e bobinho, já hoje é pura seriedade. O Gralha faz exatamente um pouco de cada uma dessas gerações, apresenta algo ao mesmo tempo profundo e descontraído.

Essa edição é uma coletânea de histórias feitas por vários artistas, e assim você verá o Gralha e outros personagens em várias formas diferentes, alguns fotorealistas, outros com uma arte bastante poluída, e outros usando um estilo mais infantil. As várias histórias costumam ser rápidas, e assim é aquele tipo de volume que você não precisa ler todo de uma vez, mas pode ir aos poucos, dar uma lida em uma história um dia, ler outra depois, é perfeito para se passar o tempo e servir como entretenimento rápido devido a essas divisões, além de que para cada nova aventura é uma surpresa ver a forma de se expressar que os criadores tiveram.

Para os cidadãos de Curitiba a coisa certamente é mais intensa, isso porque o Gralha é um herói curitibano, e isso é citado constantemente, mas não se passa na época atual, tudo ocorre no futuro, porém é aquele tipo de história que você não tem uma sensação forte de que é algo distante, pra falar a verdade parece muito com a nossa realidade, inclusive muitas coisas são citadas como "Faziam isso no século passado!", e assim você pode identificar ao que estão se referindo.

Enfim, se você estiver afim de experimentar algo diferente e ver como nossos artistas apresentam um super herói, O Gralha pode ser uma baita de uma boa opção, afinal de contas além de reunir diversas histórias, também apresenta vários pontos de visão diferentes desse estilo de trama. Quem se interessar pode dar uma conferida no site oficial da editora.

Nenhum comentário: