Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Illuminati - O polêmico cardgame que previu o futuro

Hoje vou falar sobre um tema um tanto badalado que de tempos em tempos todos acabamos vendo por aí e que mesmo assim é muito interessante. Essa é uma das histórias mais bizarras envolvendo um cardgame e que deixa muita gente arrepiada, querendo muito distância desse joguinho. Uma das coisas que mais gosto é que essa história rapidamente me faz ter aqueles sombrios pensamentos sobre a nova era, aquele "E se..." que todos temos em um momento que abrimos a mente para possibilidades de certos eventos sinistros que podem estar acontecendo.


Mas bom, vamos começar do início. Todo mundo já ouviu falar de teorias da conspiração envolvendo controle mundial e tudo mais, muito dessas coisas conseguiram se difundir pra valer com a popularização da internet, o que acaba dando a falsa impressão de essa gente que fala dessas coisas só surgiu de 2000 pra cá, porém não é verdade. Lembro que nos anos 90 eu vi um filme evangélico sobre Nova Era e morria de medo daquilo, nele havia uma quantidade gigantesca de teorias conspiratórias sobre como o anticristo está para vir e como estamos sendo manipulados, por exemplo nos códigos de barras de qualquer coisa tem três barras que não tem números e são maiores que as outras, uma no início, uma no meio e uma no fim, e nessa fita de vídeo dizia que cada uma das três barras simbolizava o número 6, formando assim o 666.
Isso aconteceu naquela época e por acaso tive a sorte de estar na casa de uma conhecida da família no dia em que ela pegou essa fita emprestada, e definitivamente não foi naquela época que aquilo começou, apenas foi um dos meus primeiros contatos com teorias da conspiração e como não havia internet como algo popular ainda, a informação simplesmente demorava para circular e assim corria o mundo de uma maneira lenta, através de fitas cassetes, gravações, textos de revistas e outras maneiras mais lentas, fazendo assim com que apenas um determinado público pudesse ter conhecimento dos relatos, mas bem antes disso já haviam muitas coisas por aí, em diversas décadas anteriores a paranoia vagava pelo mundo.
E nos anos 60, os americanos Robert Shea e Robert Anton Wilson trabalhavam como editores da revista playboy e uma das coisas que eles faziam era trabalhar na parte de organizar as cartas dos leitores. Mas uma coisa que lhes chamou a atenção é que havia uma quantidade imensa de cartas falando de teoria da conspiração, essas eram bem variadas em seus temas, alguns sólidos, outros muito surreais. O resultado foi que em 1969 os dois ficaram inspirados e começaram a escrever um livro com a premissa "Todos aqueles malucos estão certos, e cada uma das conspirações que eles reclamam realmente existe!". Então já dá pra imaginar o tipo de loucura que sairia a partir daí, ein? Sendo que é mostrado diversos grupos como os Illuminati afim de dominar tudo.Indo desde o governo com planos malignos, até alienígenas infiltrados e algumas conspirações mais fantásticas como Gnomos de Zurique e Adoradores de Cthulhu.

O livro acabou de ser escrito em 1971, mas estava um tanto grande assim teve que ser dividido em três e transformado em uma trilogia, que só seria lançada em 1975. Os volumes foram nomeados de The Eye in the Pyramid, The Golden Apple, e Leviathan. Quase uma década depois lançaram uma versão de colecionador com os três livros juntos, chamada "The Illuminatus! Trilogy", que saiu em 1984, e acabou sendo o volume definitivo, sendo assim o nome da trilogia ficou como o nome oficial da obra. Infelizmente o livro não foi lançado no Brasil, apesar de que é possível achar alguns outros livros também intrigantes dos criadores por aqui.
Mas bom, voltando um pouco no tempo, em 1981 a trilogia chamou a atenção de americano Steve Jackson, que é muito conhecido pelo povo do mundo dos card games e também por toda a galera que gosta de jogar RPG, isso porque ele é responsável pela criação de inúmeros títulos de sucesso como GURPS. Nesse ano ele entrou em uma conversa com o artista freelancer Dave Martin, os dois falavam sobre a admiração que tinham pelos livros e o ilustrador sugeriu um jogo. Na hora aquilo pareceu meio impossível, pois além de ser muito caro o direito autoral, era complicado adaptar uma obra com uma trama complicada daquele jeito.

Felizmente a ideia despertou a imaginação de Jackson, que resolveu fazer um jogo não baseado no livro, mas nas conspirações apresentadas ali. E assim no ano seguinte, em 1981 saiu um jogo de cartas que vinha em uma caixa e se chamava Illuminati. O jogo recebeu quatro expansões e ficou muito popular. Uma coisa interessante é que Robert Shea não se sentiu passado para trás pelo jogo "não oficial", e inclusive na primeira expansão escreveu quatro parágrafos de introdução ao livro de regras. Por outro lado, o seu colega Wilson parece não ter gostado muito e mais pra frente criticou os produtos que foram lançados para explorar o conteúdo do livro sem pagar nada por isso, mas não deu em nada.
Pouco mais de uma década depois do lançamento do jogo, Steve Jackson expandiu um pouco as coisas e lançou em 1992 um módulo para o RPG GURPS chamado Illuminati, que foi inclusive lançado no Brasil pela editora Devir, mas hoje em dia é uma verdadeira raridade. Em 1995 também foi lançado outro módulo para GURPS chamado "Illuminati University" que também envolvia ordens Illuminati, e em 1997 o módulo Warehouse 23. Então na década de 90 foi realmente um nome  muito bem explorado.

Mas agora vamos ao que realmente importa, a polêmica das cartas Illuminati, e essa história contém toques muito sombrios e não explicados claramente, fazendo assim que que muito possa ser visto meramente como especulação e acreditar ou não varia de pessoa para pessoa. É aquele caso em que céticos veem conspiracionistas como um monte de desmiolado que não tem o que fazer, enquanto conspiracionistas veem céticos como a anta da sociedade, que não quer enxergar ou questionar nada, mas apenas acreditar em tudo que parece ser, é aquela briga constante.

Porém para não haver confusão, vamos deixar logo algo claro, as cartas dos anos 80 não são as tão polêmicas cartas, mas sim um outro jogo que foi lançado também pela editora Steve Jackson e que usa regras semelhantes, isso misturado com os tantos outros títulos da empresa e jogos lançados por outras editoras faz com que muita gente acabe se perdendo em qual é qual.
Dizem que esse segundo jogo estava pronto no ano de 1990, mas a própria CIA apareceu no escritório de Steve Jackson e afirmou que pessoas estavam hackeando dali o governo americano. Existem duas especulações em cima disso, a primeira é de que o povo realmente viu planos americanos que não deveriam e os colocou nas cartas, a segunda é de que foi uma baita de uma coincidência. Além disso é claro que existe toda aquela falação sobre a empresa ter alguma ligação com algum tipo de organização secreta.

Fiz uma pesquisa sobre o assunto e realmente só acho informações meio jogadas, sendo assim não é aquela coisa firme mesmo, ou seja, pode muito bem que o povo que gosta de uma história envolvendo mistério tenha inventado essa parte para apimentar as coisas, ou pode ser que realmente tenha acontecido tudo isso e como se trata do governo, eles abafaram ao máximo, e por isso não há como se saber muito. Li que não foi ao público o motivo, mas a empresa foi processada e conseguiu ganhar, mas ficou muito mal depois disso, porém conseguiu se recuperar.

Em 1995 esse segundo jogo de cartas se chama Illuminati: New World Order (INWO) e teve um lançamento oficial, foi baseado no primeiro jogo, com regras parecidas, porém aperfeiçoadas, mas em um formato diferente, ao invés de ser um jogo fechado de caixa, era um Trading Card Game, ou seja vinha com decks prontos para jogar e a pessoa tinha que ir comprando pacotinhos para adicionar novas cartas e ir aperfeiçoando seu deck. O jogo foi um sucesso, com regras complexas, porém muito divertidas, e também sugando muito do The Illuminatus! Trilogy.
Em 1999 foi lançado Illuminati Deluxe Edition, que gera também muita confusão, pois apesar de ter sido lançado depois, mas trata-se do jogo dos anos 80 com expansões. E assim para realmente se diferenciar, é só ver que esse é chamado "Illuminati: The Game of Conspiracy", e também foi lançado em português no Brasil pela editora Devir e é outra raridade de se achar, muita gente acaba comprando ele por engano. Mesmo assim ele também tem umas coisas que o povo já acha bastante sinistro.

Porém a coisa ficou realmente quente e esse jogo começou a ser falado sem parar em 2001 quando ocorreu o atentado às torres gêmeas. Aqui no Brasil aquilo pode ter sido só mais uma tragédia, mas para os americanos foi uma verdadeira ferida no orgulho. E começaram a surgir todo aquele papo de conspiração, as pessoas passaram a fuçar de tudo e falar que estava planejado, imagens de demônios na fumaça do World Trade Center e outras coisas, os olhos estavam por todas as partes e sempre procurando por coisas novas, sendo assim as mais óbvias eram um prato cheio.

E assim o jogo INWO ganhou muitíssima atenção ao notarem que ele tem uma carta mostrava um ataque terrorista às torres gêmeas e logo a segunda veio à tona, mostrando um ataque ao pentágono. É claro que isso deixou as pessoas loucas, afinal de contas todo mundo estava agitado e de repente vem à tona que seis anos antes um joguinho mostrava exatamente esses dois lugares sendo destruídos por terroristas.
Como muitos dizem que os ataques foram bancados pelo governo americano e etc, começaram a falar que esse jogo apenas mostra planos que em espera, e por isso todas as cartas indicavam coisas que ainda iriam acontecer. Naturalmente depois as cartas passaram a ser avaliadas uma a uma e comparadas com coisas que aconteceram após o seu lançamento. Qualquer grande tragédia que aconteça fará com que as pessoas vão procurar por cartas semelhantes.

Claro que todos os olhos baixaram sobre Steve Jackson, e os pensamentos sobre ele são variados, alguns dizem que é um Illuminati e por isso sabe tanto e esse jogo é satânico, enquanto outros afirmam que ele apenas roubou as informações e agora está espalhando. Uma das coisas que Robert Shea (Co-Escritor do The Illuminatus Trilogy) colocou na introdução da primeira expansão foi "Talvez os Illuminati estejam por trás desse jogo. Eles devem estar... Eles estão, por definição, por trás de tudo" e isso só deixa as pessoas ainda mais paranoicas com o tema. Alguns dizem que é um plano dos Illuminati para brincar com as pessoas, fazer elas se sentirem idiotas e acharem que é só brincadeira e acreditar nisso seria besteira.

Uma das afirmações sobre os rostos de demônios que aparecem em diversas fotos do World Trade Center, é que aquilo na verdade se tratou de uma oferenda envolvendo demônios que atuam em nossa dimensão e por isso algo tão grande que o mundo inteiro iria ver, tratava-se nada menos do que uma das grandes atrocidades que estavam previstas, sendo que o jogo é apenas um tipo de promessa registrada e distribuída, como se fosse um lembrete do que tem que ser cumprido.

Mas agora falando pela parte lógica da coisa, esse é um jogo de estratégia bem pensado e baseado em conspirações, portanto uma coincidência dessas é possível, afinal de contas quando o jogo foi criado, os pensamentos eram em coisas que tem lógica, sendo assim um ataque terrorista em uma casa qualquer de um cidadão qualquer não teria impacto algum, agora em algo como o WTC era meio que um ponto óbvio, algo que abalaria de verdade os EUA, o mesmo com o pentágono. Quando se cria um jogo de estratégia, os desenvolvedores pensam bem, pesquisam e fazem algo adequado, e no caso diversas teorias da conspiração já falavam de um monte de coisas que tem lógica, e o jogo pode muito bem apenas ter usado essas ideias prontas ou adicionar ideias convincentes.

Há ainda dois Spin Offs em cardgames que usam a franquia, o primeiro foi lançado em 1992 e se chama Hacker, baseado unicamente nos grupos que querem o domínio através da internet, enquanto o outro saiu após toda a polêmica com as cartas e se chama Illuminati: Crime Lords e envolve criminosos que tentam dominar uma cidade, e não o mundo.

Enfim, é isso aí, esse jogo de cartas é um verdadeiro mistério, infelizmente é difícil pra cacete de achar hoje em dia e só se acha em português a "The Game of Conspiracy", apesar disso esse também tem umas cartas com coisas como o ataque ao pentágono. Mas se você quiser o de 1995 (New World Order) terá que ralar um pouco pra encontrar, comprei dois decks no ebay e deu 60 dólares com frete incluso, não é exatamente muito caro, mas ainda assim é bastante dinheiro, além do mais vi que o jogo é melhor aproveitado quando setem quatro jogadores para se haver negociações. Mas e vocês, o que acham? Acreditam que isso é mera coincidência?

Confiram também a lista de previsões feitas pelas cartas illuminati. E se quiser aprender mais sobre o jogo, veja como funcionam as cartas Illuminati.

7 comentários:

Matt Kist disse...

Parabéns pelo post, Sky. Eu não conhecia a história desse jogo de cartas.
Eu não sou um "conspiracionista", mas depois de uma certa vivência com certas pessoas e suas culturas "secretas", você acaba com um pé atrás quanto ao ceticismo.
Por exemplo: Moro em uma cidade universitária do interior do RS, com pouco mais de 120 mil habitantes. Nessa cidade eu trabalhei no maior veículo de comunicação da região (um grupo de comunicação), e neste grupo eu descobri que todas as datas de lançamento, todos os preços, todas as senhas, tudo que envolvia números, somando dava SEMPRE 9. Algum grande diretor deste grupo obrigava que tudo acabasse em 9. Ele tinha esse poder.
Também conheci alguns maçons, e descobri que em todas as cidades que possuem um sede maçom, esta sede sempre fica atrás da prefeitura. Isto porque os maçons adoram símbolos (bem como números), e o fato da sede estar atrás da prefeitura simboliza a maçonaria por trás do poder.

Toda essa vivência (com pessoas reais) e fatos que fui descobrindo durante os anos, me levou a aceitar que não importa se eu acredito ou não, o que importa é que existem pessoas que acreditam. E eu sei que existem pessoas que acreditam, e pessoas poderosas.

Dito isto, eu sempre soube o significado do número 9 e do 11. O número 9, na numerologia moderna, é o melhor número, o mais alto (não existe número 10). Mas o que poucos sabem é que a numerologia moderna tem influência do cabala, e no cabala o número 9 simboliza o grau mais próximo de Deus (este que seria representado pelo número 10, ou alfa), portanto um número de grande apreço místico.
Já o número 11 tem um significado mais sombrio. Não tenho certeza da origem deste significado, mas sei que o nosso difamado (e acredito que vocês conheçam) Aleister Crowley, em um de seus livros, descreve um diálogo que ele teve com uma entidade antiga (não lembro se era o tal do Oz) e esta entidade, ao indagada sobre quem é, responde: "Eu sou o número 11". Bem, mas sendo qual for a origem do significado deste número, ele é usado como uma forma de zombar de Deus, colocando algo acima dele, acima do 10 (lembrando, que não importa se você acredita ou não, tem gente que acredita, e gente poderosa).
Portanto o número 9 seguido do número 11, representa a negação de Deus (para quem acredita...), e este número aparece em muitos filmes hollywoodianos. Portanto há quem diga que ao ligar para a emergência (911) a pessoa está praticando inconscientemente um ritual no qual está negando a existência de Deus (novamente... para quem acredita). E este número da emergência não é aleatório, podem ter certeza disto.

Bem, eu já sabia dessa simbologia e de outras já faz muitos anos. Agora imaginem minha surpresa quando, após o atentado de 11 de setembro, eu percebo a data em que o atentado ocorreu.

Por isso, mesmo sendo agnóstico, eu tenho um pé atrás quando o assunto é crenças e rituais dessa galerinha poderosa que reside nos grupinhos internos da maçonaria e afins.
Não importa se existe entidades sobrenaturais, se existem planos secretos para implantar um chip em todas as pessoas, se existem grupinhos illuminatis. O que importa é que existem pessoas de poder, envolvida em grupos com outras pessoas de poder, e que acreditam em coisas. Estamos falando de pessoas em grupos, e a capacidade que elas têm de fazer acontecer o que elas desejam.
As comunidades estão aí, suas crenças estão aí, eles costumam ter poder e dinheiro, eles acreditam no que acreditam, então eu não duvido de nada que eles possam fazer por quaisquer motivo.

Portanto eu sigo minha vida, não faço teoria, não espalho a palavra "conspiracionista", não me preocupo se estou participando inconscientemente de algum ritual ou não, não tenho medo de meter RFID na mão se precisar, nada. Mas observo as coisas com uma certa malícia, espero o pior das pessoas, procuro ver todas as manchetes de jornal do ponto de vista que o jornal impõe e também do ponto de vista contrário, porque não gosto de ser feito de bobo.

Continuarei sempre encima do muro.

Skywalkerpg disse...

Bem bizarro O_O! Já tinha visto isso do 911, é engraçado como fica simbólico o "Você deixa de pedir ajuda pra Deus para pedir ajuda a outros.".

tailor romario richard disse...

eu quero que o brasil perca essa guerra

tailor romario richard disse...

assim eu melivro de todos eles

tailor romario richard disse...

sim e essa guerra vai mudar o futuro

tailor romario richard disse...

muitos vão se livrar e eu me envolvo tambem

Guto Souza disse...

Eu já tava meio cabreiro quando terminei de ler o post, depois desses comentários do tailor fiquei com mais medo ainda kkkk
Esse negocio do 9 e 11 que o Matt comentou eu achei bem interessante, e estranho também, vou pesquisar mais sobre isso.