Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Uriel's Chasm - Ficção com forte influência religiosa

Esse é um daqueles jogos que você imediatamente percebe que é muito estranho e com um toque fortemente psicodélico, aquele tipo que ao mesmo tempo que pode ser visto por alguns como uma verdadeira blasfêmia, por outros pode ser enxergado como uma ideia ousada e que coloca um toque religioso em ficção científica, misturando tecnologia e crenças. Sei que de imediato pode parecer algo meio esquisito demais para os mais preconceituosos e falar "Blé... Religião...", porém ao se parar para olhar, é possível ver diversas obras bem conhecidas na cultura pop que tem toques religiosos bem fortes, como por exemplo Neon Genesis Evangelion e o macabro Dead Space. Apesar disso eu não diria que Uriel's Chasm é um jogo de fácil absorção e pode acabar sendo limitado a um público peculiar.

A história se passa no futuro e apresenta a freira "Irmã Tabitha" que finalmente desperta após um longo sono de oito anos, e logo ela percebe que algo aconteceu, o monastério orbital chamado "Enoch's Hope" simplesmente desapareceu, e ela deve usar sua nave para buscar por pistas que a levem a respostas sobre o ocorrido.

Bom, esse jogo me pareceu como um //N.P.P.D. RUSH//- The milk of Ultraviolet, com aquele climinha surreal e psicodélico de algo muito estranho acontecendo em um ambiente bem esquisito, porém dessa vez no espaço, e qual não foi a minha surpresa ao conferir outros jogos da desenvolvedora? Pois é, os dois são criados pela Rail Slave Games e aqui você consegue ver bem que a empresa sabe deixar uma marca própria em suas criações.

A jogabilidade em si eu realmente não gostei muito, ele é um jogo meio abstrato, é o tipo de coisa que você nota bem que é mais para ser sentido do que jogado, com alguns diálogos um tanto complicados de serem compreendidos, um clima que te faz sentir algo forte em relação a grandiosidade do universo, mas ao mesmo tempo com ficção científica no meio. Inicialmente você começa como um jogo de nave que tem que vagar por um ambiente vasto, procurar por fragmentos, destruir inimigos, ficar de olho na gasolina, etc, mas de repente você se vê em um jogo de plataforma, é algo bem esquisito sem dúvidas.

Uma coisa legal que os criadores fizeram, foi criar um certo ambiente por trás do jogo com um "Baseado em uma bíblia não licenciada" e umas tais de "Shovelware Queens" que começaram a analisar esse jogo esquecido nos anos 90 e agora foi novamente achado e lançado, os próprios gráficos do jogo são pixelizado, dando um clima de anos 90.

Enfim, tenho que assumir que não digeri tão bem quanto deveria, mas é notável que esse é o tipo de jogo que ou você ama completamente, ou cria um ódio imenso. Sendo assim acredito que só testando para realmente se saber se você vai gostar.

Nenhum comentário: