Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

sábado, 19 de julho de 2014

9 Clues: The Secret of Serpent Creek

Esse é mais um empolgante jogo da Artifex Mundi, e em especial achei um dos mais carismáticos, com uma atmosfera bastante intensa e gostosa, e um clima de mistério que a empresa tanto gosta de colocar em seus jogos. E aliás, vendo o toque de terror colocado nessa obra, eu comecei a pensar em como os desenvolvedores dessa empresa acabaram criando um universo próprio, cheio de mistério e acontecimentos sobrenaturais. Existe um baita padrão em seus personagens, a maioria femininos, com tendência a investigação, e que acabam se deparando com o sobrenatural, além de raças diferentes vivendo secretamente na terra e deuses antigos. A forma dos caras se expressarem é quase como se fosse uma versão feminina da obra completa Lovecraft.

A história se passa nos anos 50, e você assume o papel de uma investigadora privada, que recebe uma mensagem de correio de voz de sua amiga Helen Hunter, uma repórter que foi até uma cidade chamada Serpent Creek para fazer uma reportagem sobre o festival que está acontecendo na cidade. Porém a mensagem de voz não era nada amigável, e sim um pedido desesperado de ajuda. Quando você chega ao lugar, descobre que a repórter desapareceu, e assim passa a investigar.
Você é do tipo que fica empolgado com livros do tipo Tudo o que Não Querem que Você Saiba, que apresenta uma penca de conspirações? Então certamente vai adorar o climinha de investigação aqui! O jogo realmente consegue manter uma atmosfera muito intensa, já de cara quando você chega à cidade, vê uma criatura bizarra em cima de uma pessoa, em frente ao hotel, e consegue assustá-la com a buzina do carro, logo depois uma pessoa misteriosa começa a tentar manter contato, e ao vagar pela cidade, você não demora muito para perceber a quantidade coisas esquisitas acontecendo, como por exemplo as constantes cobras achadas pelo lugar, e a forma esquisita das pessoas agirem.

A jogabilidade é a padrão usada por muitos outros jogos dessa empresa, portanto é um point and click, mas com um foco muito mais forte no cenário de fundo, já que você não vê o personagem, então você tem que observar muito bem tudo que está no ambiente para poder clicar e pegar coisas. É possível falar com personagens e usar os itens para fazer combinações, ou improvisar em certos lugares.
Uma das coisas que se destaca nesse jogo, é o modo detetive, onde em alguns momentos você olha para certos lugares, e tem que ver o que tem de estranho, e assim você clica, como por exemplo um óculos quebrado no chão, ou uma mancha de sangue na parede. Quando você consegue ver todas as pistas do lugar, a personagem faz uma recriação mental do que ocorreu, é bastante bonito de se ver.

Graficamente o jogo está lindo como sempre, todas as imagens tem aquele estilo de imagem pintada a mão e extremamente bem feita, eu não sei se foi feito em um PC, mas realmente parece pintado a mão, ficou espetacular. Infelizmente dessa vez eles não usaram os CG's que tanto costumam usar em suas apresentações de jogos, onde quando você menos imagina o CG vira o cenário do jogo, mesmo assim as animações usando os gráficos do próprio jogo ficaram ótimas, super bem detalhadas.

Então fica aí a dica de um ótimo jogo de mistério galera, e como sempre, esse também veio com legendas em português brasileiro, facilitando muito para aqueles que não sabem inglês e com uma boa adaptação. Se você gostou de A Sombra de Innsmouth e quer uma atmosfera semelhante a aquela, talvez esse te agrade demais. No site da G2A é possível achar esse jogo a venda por um valor extremamente mais barato que na steam e aceitam boleto bancário! Dê uma conferida aqui.

Um comentário:

Rafael Araujo disse...

Gostei muito do jogo nunca joguei um desse gênero e bem esse é meu primeiro comentário conheci o blog 2013 e nunca postei um comentário no blog (eu devo ser esquisito) mas chegando a ponto gostaria que você fizesse uma analise desse jogo Soul Gambler é indie e para melhorar é brasileiro