Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

quinta-feira, 8 de maio de 2014

Rastro de Cthulhu - Um RPG de mesa muito sombrio!

Para aqueles que estão acostumados a visitar o blog, certamente já devem ter notado que sou bastante viciado em H.P Lovecraft, e que constantemente posto conteúdo relacionado a sua obra. Mas para quem não sabe que é o mesmo, trata-se de um autor norte americano que viveu até 1937 e escreveu uma quantidade enorme de contos, e alguns livros. Suas histórias envolviam muitos elementos de ficção científica pura, como no conto Vento Frio, horror psicológico envolvendo criaturas antigas que vivem na terra muito antes da existência da humanidade, e que se tornaram tão populares que incentivaram outros autores a fazerem mais conteúdo para esse universo, formando os Mitos de Cthulhu, e também nem todos sabem, mas Lovecraft criou o seu próprio universo de fantasia, apresentando um mundo mágico onde tudo é possível, misturando-se algo mágico, suave e intenso, com toques de horror, e esse conjunto de obras foi denominado O ciclo dos sonhos. Essas obras de Lovecraft continuam a aparecer mais e mais em filmes, jogos, séries e várias outras coisas. Hoje vou fazer uma análise do RPG Rastro de Cthulhu, lançado em português aqui no Brasil pela editora Retro Punk.


Quando se pensa em RPG de mesa é bastante comum se associar a uma aventura com muita ação, tiroteio, facada nas costas e pancadaria rolando para todo lado. Isso porque esse toque de adrenalina dá uma emoção a mais às aventuras, especialmente quando se trata de um universo medieval, onde a lei da espada costuma ser extremamente influente. Sendo assim já existem certos universos padrões que somos acostumados em jogos de RPG, sendo os dois mais conhecidos; o primeiro é o presente sombrio onde criaturas das trevas se escondem por aí, como em Vampiro a Máscara, o segundo (não necessariamente nessa ordem) é o universo medieval que tanto conhecemos e que varia de franquia pra franquia, assim como em Guerra dos Tronos. Porém em Rastro de Cthulhu, algo diferente é apresentado aos jogadores, aqui você controla personagens bastante calmos, um professor, uma enfermeira, um parapsicólogo. Podendo também escolher alguns mais agitados, como um policial, porém em geral o foco das aventuras é a investigação e atmosfera, tornando assim um RPG com um clima diferente e que pode deixar muita gente apaixonada exatamente por oferecer uma alternativa a cenários já conhecidos.

Anteriormente eu já cheguei a fazer uma análise sobre um RPG de mesa no universo de Lovecraft aqui, que é o CthulhuTech, mas o mesmo tinha um clima de ação, algo muito mais movimentando e que transmitia aquela sensação de adrenalina. Aqui as coisas são diferentes, o clima adotado realmente é aquele que Lovecraft colocava em seus contos. Sendo assim Rastro de Cthulhu acaba parecendo um verdadeiro simulador de conto de horror. Os personagens e clima pesado são os mesmos, deixando todo aquele mistério e impacto ao se descobrir que o mundo não é como realmente parece, mas que existe algo e assim ir cada vez mais fundo. Claro que ao se começar a partida, você já sabe que vai descobrir algo sinistro, mas nos próprios contos do autor você já sabe bem disso, o que não significa que não te surpreenda quando ele finalmente diga o que é "a coisa". Nas aventuras desse RPG a coisa acontece no mesmo ritmo, você interpreta o seu personagem em uma vida que normalmente é bem comum e de repente algo acontece que faz tudo mudar. Sei bem que muitos aqui vão achar bem incrível ter essa sensação de ver as coisas acontecerem.

Aqui os personagens são chamados de "investigadores", independente de sua profissão, isso porque o que se espera da aventura é que o mesmo comece a tentar descobrir algo. Sendo assim a primeiro ponto você pode ter qualquer profissão e então ganha uma motivação para ir atrás de algo, pode ser curiosidade, vingança, resgate, ou o que for, o que se sabe é que algo vai acontecer e a vida do personagem vai mudar bastante. Outro detalhe é que é desgastante, você não pode esperar ver um personagem que cada vez ficará mais fodão, mas sim um personagem que você notavelmente perceberá que está ficando pior. Ele pode perder o trabalho, deixar de receber o apoio de familiares, se tornar alvo de piadas, entre outras coisas. O personagem pode até mesmo virar um morador de rua, tudo isso graças à forte motivação que tem para seguir em frente e descobrir o que é aquilo. Sendo assim você pode interpretar com tudo, pois nesse RPG o que importa não é se você é mais bonito com sua armadura brilhante, mas sim o quanto será possível "cavar" até a resposta.

A ambientação do jogo não é na época atual, mas sim na década de 1930, sendo assim tudo é apresentado às limitações dessa época. Você não pesquisará coisas na internet, e irá conviver com fortes preconceitos. Outra coisa interessante é que se passa na época da grande depressão, lembram da crise de 1929? Pois é, a pobreza e desespero dessa década é algo histórico e que você terá que interpretar se adaptando a isso. Mas não se preocupe se você não sabe nada sobre aquela época, pois o livro é lotado de informações com vários detalhes sobre tudo, fazendo assim com que seja bem mais simples para o mestre e para os jogadores.
As possibilidades de tramas são bastante incríveis, e até mesmo as ilustrações do livro já conseguem te fazer sonhar. Por exemplo existe uma imagem que mostra dois personagens observando uma grande coisa esférica que parece estar em parte enterrada, o que já te faz imaginar sobre o que diabos é aquilo e em como aquilo poderia dar uma bela história sobre uma escavação onde uma coisa é encontrada e não se tem ideia do que se trata. Realmente para os que gostam de contar história o livro apresenta um belo de um leque de possibilidades.

Os atributos dos personagens não são fixos como a maioria dos RPG's, portanto você não tem força, agilidade, etc... Ao invés disso você tem os conhecimentos dos personagens, alguns que vem devido à profissão, outros adquiridos de outras maneiras. E são essas habilidades que permitem fazer os testes, portanto assim que um personagem vê uma certa cena ou acontecimento, dependendo dos conhecimentos dele, o jogador pode pedir para fazer um teste usando esse conhecimento e ver se consegue identificar algo ou tirar certos detalhe, e com esse detalhe é que a história irá seguir.

Os únicos "atributos" que são colocados como fixos em todos os personagens são vitalidade, estabilidade, e sanidade. Sendo que o primeiro, a vitalidade, é o básico, que é a vida e que nem se pode confiar tanto assim, visto que é um RPG mais sério com um pé no realismo, por isso você não pode bancar o Rambo, pode levar um tiro e morrer. O segundo é a estabilidade, que mostra o quanto o personagem pode ficar abalado com certas coisas e simplesmente sair correndo dependendo do horror, mas essa se normaliza com o tempo, já a sanidade é a versão a longo prazo da coisa, que realmente se torna um trauma e deixa o personagem apavorado com o que viu, dando assim um toque realmente Lovecraftiano, visto que a maioria dos seus personagens enlouquece no final dos contos, ou fica bastante perturbado.

Uma coisa que pode acabar preocupando algumas pessoas é a falta de conhecimento sobre os Mitos de Cthulhu, mas realmente você não precisa se preocupar com isso. O livro traz uma parte exclusivamente para falar sobre as criaturas, e lá você vê muitos detalhes que vão desde deuses antigos até criaturas bem menos poderosas. Dessa maneira fica fácil se conduzir até mesmo para aqueles que não leram nenhum conto de Lovecraft. Tudo fica ainda mais fácil por se ter uma aventura como exemplo, que é a "O horror em Kingsbury", o que é perfeita para quem está começando e quer se situar bem.

Enfim, ta aí um jogo de RPG de mesa com uma atmosfera incrível e perfeita para aqueles grupos que querem algo mais sombrio. Para os que gostam de jogar RPG pela internet pode se tornar ótimo para se jogar de noite com os amigos. Infelizmente o jogo não está a venda em versão física, tendo apenas o PDF, por isso não colocarei fotos aqui e detalhes sobre a qualidade do papel, mas o jogo tem belas ilustrações e especialmente para quem tem tablet fica muito bom para se colocar no aparelho e usar nas partidas. Para quem se interessar pode obter o jogo no Site da editora RetroPunk.

Nenhum comentário: