Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

sábado, 5 de abril de 2014

Neonomicon - A polêmica e chocante HQ de Alan Moore

Eu sei o que vocês estão pensando "Qualquer coisa do Alan Moore é chocante e polêmica!", no entanto não é bem assim. O homem é conhecido por sua genialidade e forma impressionante de transmitir certas histórias de forma bastante intensa e adulta. Mas no caso de Neonomicon, foi uma história que ele escreveu e se tornou chocante e polêmica de forma negativa, com muitos fãs descendo o cacete e o autor sendo massacrado por decepcionar. Naturalmente  é uma questão de opiniões também, claro que outras obras do mesmo receberam críticas pesadas, mas essa em especial conseguiu um destaque. Claro que naturalmente esse também é um daqueles casos onde a expectativa mata a diversão, afinal essa é uma obra onde uma grande mente dos quadrinhos fez uma homenagem a uma grande mente do gênero horror na literatura, fazendo com que muitos ficassem loucos esperando para ver o que ele iria mostrar.

A trama apresenta Lamper e Bears, dois agentes do FBI que se deparam com um caso misterioso, envolvendo um copiador de um psicopata que já está preso, e assim passam a tentar descobrir se há uma ligação entre os dois e o que exatamente está acontecendo. O mesmo comete mortes macabras, cheias de simbolismo e coisas místicas. Não demora muito para os agentes perceberem que o caso vai muito além do que uma simples cópia.

Essa é uma história em quadrinhos que pode ser lida por qualquer um, no entanto é extremamente não recomendável você dar uma conferida antes na obra de H.P. Lovecraft, portanto leia alguns trabalhos do cara, o conheça e só então parta para esse quadrinho. Isso porque foi uma homenagem de Alan Moore, ao mesmo, e tem total ligação com a história. Uma das coisas extremamente faladas que se tem entre pessoas que começam a ler as obras de Lovecraft, é sobre aquilo ser real, e é exatamente esse tema que a HQ aborda, E SE aquilo tudo for a realidade? E assim existem algumas referências completamente diretas às suas obras, algumas são explicadas e outras simplesmente quem leu é que vai entender, como por exemplo uma piadinha que é feita em relação ao conto  O depoimento de Randolph Carter, e que te pode fazer soltar uma bela gargalhada ao entender, ou simplesmente ver um dos personagens rindos e falando "Boa" só que pensar que ele falou aquilo só porque achou uma bela frase pro momento.
São apenas quatro edições e a história é relativamente curta e bastante direta, mostrando as coisas de formas lineares, começa tudo muito bem mesmo, porém quando as coisas finalmente começam a acontecer, você pensa meio que "Nossa, mas já ta na metade..." e quando se menos espera, acabou. Graças a isso se pode ter uma enorme sensação de vazio e falta de profundidade, ainda mais tratando-se de um universo tão amplo quanto o de Lovecraft, e usado pela genial mente de Alan Morre, afinal de contas estamos falando aqui do autor de Watchmen e A piada Mortal.

O cenário apresentado visivelmente poderia ser mais amplo, há locais realmente interessantes que aparecem, tudo é um tanto underground. Há por exemplo um clube noturno cheio de esquisitões, onde o FBI passa a atuar disfarçado, e também um sex shop bizarro onde é vendido todo tipo de material em referência aos Mitos de Cthulhu. Isso te faz ter vontade de ver esse universo em forma expandida e não apenas em quatro edições, mas sim algo com vários arcos e que você sente o potencial, mas a forma direta das coisas realmente pode ser um tanto decepcionante.

Essa HQ causou uma baita de uma polêmica por ser "sem limite artístico" e assim há uma enorme e explícita apresentação de violência sexual, tornando assim definitivamente chocante para certos públicos. Inclusive já chegou a ser retirado de prateleiras nos EUA por deixar muita gente perturbada com o que é mostrado.

Apesar de tudo Neonomicon não é uma obra de todo ruim, estamos falando afinal de um grande mestre, não? Então o problema mesmo da obra é que se espera mais. Sendo assim é uma boa HQ, tem uma carinha de conto rápido e direto, onde as coisas acontecem de uma vez, há uma surpresinha no final, tem certos momentos incríveis durante a condução, mas também há uma impressão de que as coisas são muito apertadas e que correm. Se fosse de um autor desconhecido talvez fosse mais fácil de digerir, mas sendo do Alan Moore existe uma pressão forte na coisa e assim no padrão do autor pode ser visto como um material de má qualidade, mas acho que se for visto como uma HQ onde não se sabe de quem diabos é, pode ser um bom entretenimento.

Enfim, fica aí a recomendação, eu achei legal, queria que fosse maior e que o culto apresentado tivesse sua história mostrada de uma forma ampla, e por isso senti um vazio, mesmo assim gostei. Só que realmente é o tipo de obra que divide públicos e dá pra entender quando alguém fala que é uma total desgraça.

Obs: Vejam também a história que serve como prólogo para essa, o quadrinho O Pátio.

Nenhum comentário: