Smiling Friends | Animação da Adult Swim com humor ácido e elementos de horror

Não dá pra dizer que a ideia de desenhos focados no público adulto são uma novidade, indo desde coisas ultra populares como South Park em 1997, até animações mais underground que não são focadas no humor, mas sim em ser obras psicológicas como The Maxx de 1995 e Æon Flux de 1991. No entanto o passar dos anos foi fazendo surgir cada vez mais séries animadas humorísticas para o público maduro e Smiling Friends é um desses exemplos.

A história é focada em uma instituição chamada "Smiling Friends Inc.", que tem foco em trazer felicidade para as pessoas, as fazendo rir. E o foco é especialmente na dupla Charlie e Pim, que são enviados para as missões mais estranhas que vão desde suicidas até artistas fracassados que precisam de ajuda para se restabelecer e começar tudo de novo.
Como veem, a ideia é um tanto boba, talvez até mesmo desanimadora para aqueles que apenas leem assim. Mas felizmente o foco não é em ser algo bonitinho, mas sim algo extremamente esculhambado, ficando naquela pequena linha entre algo sério, com personagens mais ácidos no jeito de ser, mas não chegando à seriedade de Bojack Horseman e nem tão casual quanto F for Family, mas também não sendo tão descontrolado como Mr. Piclkes (Apesar de ser quase), sendo assim acho que Ugly Americans talvez seja o mais perto de parecido.
O que parece é que a Adult Swim pegou a ideia padrão de um desenho animado de criança, mas ao invés de colocar personagens tão bonitinhos no jeito de ser, optou por um monte de gente não tão animada assim, com aquela essência de trabalhador de escritório, apenas fazendo o trabalho deles, mas com reações humanas em relação à coisa.
Portanto quando um malucão saca uma arma e coloca na cabeça, dizendo que vai acabar com aquilo tudo, ao invés de ser "Não amigo, não faça isso!", é mais pra os personagens dando um berro e falando "P#TA M3RDA! ABAIXA ISSO AÍ CARA!". Sem contar com a quantidade de situações realmente cabulosas que dão um toque meio sombrio.

Aliás, achei muito bacana os elementos de horror presente, sendo muito comum acontecer algo bizarro e mudarem o personagem para um visual fotorrealista, que não sei se é um modelo 3D super sombreado, ou uma escultura ao estilo stop motion, super bem detalhada e com aquele visual mais sinistros. Isso misturando com o visual do desenho normal e frequentes jump scares.
Outras situações frequentes que acaba dando um certo clima de horror, é a presença de coisas meio inexplicáveis como um personagem caçando as criaturas que estão infernizando a agência e então, ao abrir a parede, descobrir que tem um maluco pelado todo estranho, mexendo em um PC e cobrindo o que tá na tela. Ele tá apenas morando escondido lá dentro da parede. Acaba dando aquele toquezinho de creepypasta.

Esses elementos mais de terror são usados do nada, seja por um personagem citando algo misterioso e deixando aquele climinha de suspense no ar (de forma bem desnecessária, mas é o que deixa engraçado) ou somente a bizarrice surgindo de repente, como quando Pim vai coletar gravetos na floresta e surge um demônio das sombras, começando a perseguir ele de forma descontrolada e com um visual realista de diabão mesmo.
 
A animação meio torta também tem um charme muito especial que eu sei que muitos de vocês vão acabar ficando encantados. Os personagens tem visuais peculiares, que embora às vezes sejam claramente animais, na maioria das vezes parecem apenas hominídeos disformes mesmo, onde você não sabe bem o que são. Isso abre a possibilidade de deformações ainda mais engraçadas nas partes de sustos.

Enfim uma surpresa escondida na HBO Max, fica aí essa dica pra vocês, uma animação muito boa pra passar o tempo e que parece ter os elementos na medida certa, pra não ficar exagerada em uma frequência alta demais a ponto de ficar forçadas, mas ainda assim contar com as situações bizarras que levam o exagero no momento certo para surpreender.

Postar um comentário

0 Comentários