Phantasm | Clássico do horror pra te deixar confuso ao extremo

Todo mundo sabe bem citar os principais violões de filmes de terror, no entanto o fato de terem os mais populares, não significam que não tenham outros menos populares. Indo desde coisas nada popular como Chamas da Morte até obras que o povo até conhece de vista, mas muita gente só não foi atrás pra ver, como O Mistério de Candyman. E hoje vou falar sobre o primeiro de uma franquia que acabou caindo no mundo Cult, Phantasm de 1979!

A história é sobre um menino de 13 anos que perdeu os pais e vive sob os cuidados do irmão mais velho, Jody Pearson. No entanto, após espiar o velório de um amigo do irmão, ele nota que o coveiro do lugar age de forma muito estranha, conseguindo levantar o enorme caixão sozinho e o levando embora para algum lugar desconhecido. Após isso, passa a investigar e presenciar bizarrices, como pequenos seres que o atacam sem parar.
Bom, eu fui assistir esse filme sem pesquisar nada, pois realmente adoro descobrir coisas de uma maneira que tudo seja novo. E assim foi, e já aviso uma coisa... O nome "Fantasma" como ficou conhecido em português é uma tradução que não ficou nada apropriada, e acaba deixando a história mais psicodélica do que já é, pois faz parecer ser algo sobrenatural. Mas a real é que o mais adequado seria algo como "Ilusão", "Imaginação" ou "Fantasia". Isso porque americanos não são tão familiarizados com isso quanto nós, então por lá é uma palavra estranha que pode ser Espírito, mas pra gente, vai direto pra essência total de FANTASMA.
Acredito que seja importante saber isso do nome, pois pode ser realmente decepcionante esperar ver algum fantasma ou espírito e ver que a temática é outra coisa. E acredito que isso acontece com a maioria das pessoas, portanto sempre pensei que o Tall Man, o velho que aparece nos pôsteres, fosse uma aparição e sempre acreditei que fosse um filme semelhante a Poltergeist, o que foi um erro.

À medida em que assisti, notei cada vez mais uma semelhança com filmes do Dario Argento, com uma trilha sonora psicodélica extremamente marcante e que não tem como não notar toda vez que ela começa a tocar. E isso é bastante frequente, causando uma sensação de algo muito grandioso e ao mesmo tempo misterioso.
Mas a coisa ficou parecida mesmo quando começaram as esquisitices sem parar, me passando muito a atmosfera de Phenomena, com um adolescente indo pra lá e pra cá sem parar, com bizarrices sem muito sentido rolando, indo desde uma esfera prateada assassina vagando por aí, até um vilão que se lasca e reaparece como se nada acontecesse. Isso sem contar com bizarrices como o dedo dele ser arrancado e virar uma mosca gigante mutante.

A fotografia varia, e enquanto alguns momentos são realmente muito comuns, em outros os enquadramentos são soberbos, dando um toque épico e novamente relembrando o Dario Argento. Em especial as cenas do mausoléu, que é um baita de um cenário estiloso acabam parecendo ser um dos ambientes da escola de artes que temos em Suspiria.
Este é um filme que parece estar naquela linha entre o genial e a sorte. Ele foi o resultado do desespero do diretor  Don Coscarelli, que escreveu, dirigiu e produziu após fazer filmes que não estavam dando certo. Mas ele usou tudo o que tinha, indo desde chamar conhecidos até encher de gambiarras para conseguir criar efeitos visuais.

E no fim das contas temos muitos efeitos práticos interessantes e que exigiram muita criatividade para poder criá-los. Tipo a esfera voadora, que para simular voo, fizeram coisas como arremessar ela no chão e rodaram ao contrário em câmera lenta pra parecer que fez a coisa lentamente antes de acelerar em direção ao personagem.
No entanto, assim como o filme foi um mistureba pra coisa funcionar, também fica notável que a história não tem pé nem cabeça. É uma coisa realmente muito estranha e misturada sem parar, sendo fácil odiar e achar trash demais, ou amar e dizer que é cult e que há uma profundidade muito maior na coisa.

Isso faz eu me perguntar se foi genialidade ou sorte... Ou será que foi uma pitada dos dois e resultou nisso? Pois o filme é considerado um culto e inclusive rolam teorias em cima, pois você não sabe com clareza o que significa. Não é um filme que explica as coisas de verdade e pode ser que nem o diretor sabia o que tava fazendo e foi adicionando um monte de coisas ou talvez ele tenha sido iluminado e criador uma obra surrealista para ser sentida e não meramente entendida.
Sinceramente eu não gosto nem um pouco da explicação do que são as criaturas, mas por outro lado a possível explicação do final do filme acaba dando um certo sentido, mas eu acho bem bobo. Isso certamente vai variar de pessoa pra pessoa. Mas agora me agrada a coisa como algo surreal, pois não há dúvidas de que muita coisa acaba mais brincando com a essência do horror do que simplesmente sendo explicada.

Enfim, acho que esse é um filme bem gostoso pra assistir de madrugada com um amigo, especialmente se for uma noite chuvosa. No entanto é melhor ter um pouco de energia, pois a aleatoriedade do filme pode acabar fazendo não prender e bater aquele sono, portanto se você não estiver muito disposto, não se surpreenda se dormir.
 

Postar um comentário

0 Comentários