A polêmica patente da SONY do multiplayer de Death Stranding que irritou fãs de Dark Souls

Definitivamente um jogo que conseguiu se destacar de maneiras variadas, foi Death Stranding. Amado por alguns e odiado por outros, nem todo mundo sabe que esse jogo tem multiplayer e isso provavelmente se deve ao fato de que ele é um tanto discreto. Mas a SONY realmente se interessou pelo conceito e isso acabou fazendo ela patentear, no entanto a atitude gerou uma certa polêmica entre jogadores.

Em Death Stranding, o multiplayer é assíncrono  e os jogadores não ficam juntos, como se é padrão nesse estilo. Ao invés disso, o jogador acha vestígios da campanha dos outros de maneira aleatória. Sendo assim, você pode passar várias vezes por um lugar e de repente em uma dessas vezes, se deparar com uma ponte feita por alguém. Da mesma forma é possível achar itens perdidos e enviar curtidas.
Ainda em 2019, durante o lançamento do jogo, a fabricante de video games japonesa resolveu já registrar esse estilo, porém apenas em 2021 ela foi aceita e oficializada como patente. Mas nem todo mundo gostou muito, em especial muitos fãs de Dark Souls reclamaram da patente, por ter certas semelhanças com o que é apresentado por lá.

Em Dark Souls, é usada uma mecânica que apareceu anteriormente em Demon Souls, onde você pode ver os fantasmas de outras almas e como elas morreram, evitando assim comentar os mesmos erros. Também é possível ver mensagens no chão em que é dá para deixar curtidas. Isso levantou questionamentos sobre a criação realmente ter sido de Hideo Kojima, que está registrado na patente como criador dessa mecânica.
Outra reclamação é sobre o registro de mecânicas atrapalhar a indústria, já que é muito comum a cópia de jogos, com elementos modificados e aperfeiçoados. Existem diversos jogos que fazem ter uma explosão de clones e logo é necessário melhorar a coisa para se destacar e evoluir, mas com algo apenas nas mãos da Sony, isso exige que as empresas tenham que pagar pra poder utilizar, diminuindo a chance de ser usada.
 
Por outro lado, também há quem defenda que as mecânicas são muito diferentes, já que o multijogador de Death Stranding apresenta mais elementos que estão conectados, com a presença de coisas mais tangíveis aparecendo, já que não apenas estruturas são achadas, mas até mesmo doações de outros jogadores acontecem.
A evolução dos jogos de tiro em primeira pessoa é constantemente usada para ilustrar cenários relacionados à melhoria através da cópia. Isso porque no começo dos anos 90 quando a coisa foi inventada, nem nome tinha e quando as pessoas queriam falar de um FPS, elas falavam que era um jogo "Tipo DOOM".

Não é a primeira vez que polêmicas relacionadas a patentes acontecem. Por exemplo, em 2017 a CD Projekt Red registrou a palavra "Cyberpunk", que é basicamente um gênero que já existia muitos anos antes da empresa ser criada e isso gerou uma certa preocupação sobre o cuidado na hora de poder fazer qualquer coisa relacionada ao termo. E vocês, o que acham?



Postar um comentário

0 Comentários