New World | O horror e beleza de uma ilha amaldiçoada


Essa foi a maior aposta do início de carreira da Amazon Games, que fez alguns testes catastróficos. No entanto, os esforços para tornar New World algo real, a Amazon conseguiu conquistar boa parte do público com um preço acessível e um amplo mundo para ser explorado, além de investimento pesado como dublagem em português.

A história se passa na ilha de Aeternum, um ambiente sobrenatural que conta com muitas riquezas e diversos aventureiros foram tentar a sorte. No entanto, uma força maléfica conhecida como "corrupção", domina o lugar e traz de volta aqueles que morreram, porém em versões maléficas e prontas para destruir qualquer um.

Esse é um jogo que usa uma mecânica com grande liberdade de movimentação e combate. Para queles que se sentem presos a certas mecânicas de MMORPGs em que o personagem é meio duro, preso ao inimigo em combates, pode ser interessante. Aqui você ataca, defende, pode saltar, escalar montanhas e assim a sensação é de realmente poder fazer uma grande exploração.

A ilha oferece um vasto ambiente, onde os jogadores podem se alinhar a uma facção e escolher entre jogar algo com o PvP ligado, podendo enfrentar outros, ou simplesmente seguir a história. Conversar com personagens e partir para viagens entre as cidades. A opção de lutar o modo de PvP pode ser ativada em qualquer momento.
 

No meu caso, gosto mais de uma experiência tranquila e nunca fui muito de PvP, então fui dar uma explorada. Ouvi falar que esse jogo é para ser jogado com os amigos e não sozinho. Talvez por isso eu tenha achado tedioso quando joguei inicialmente. No entanto como fiz uma série de lives para fazer essa review, logo comecei a me divertir e até mesmo a ter vontade de jogar.
 
O negócio é que apesar de o jogo acertar em ser todo soltinho e te permitir ir a qualquer lugar com a opção de salto e escalada, eu não vi nada que considerasse inovador. Não tinha um novo tipo de mecânica ou algo assim que conseguisse se destacar em relação a outras coisas. Sendo assim, é um jogo legal, mas que eu me sentia só andando por aí e matando monstros.
 
Por outro lado, se você observar isso como algo divertido em sua simplicidade, talvez pode realmente agradar. E talvez tenha sido nesse ponto que o jogo me pegou, mesmo jogando só, pois dava vontade de dar uma volta por lá, fazer algumas missões e ir tranquilo, sem se preocupar muito com a coisa, mas apenas conhecer.
 
Mas já digo que realmente é o tipo de jogo que teria sido mais interessante se eu tivesse jogado com um amigo. Chamar ele para fazer as missões, entrar em cavernas, matar chefes e tudo mais. Foi algo que gostei de fazer, mas sem ligar tanto pra coisa. Agora com um amigo, iria ser ótimo bolar estratégias, pedir tempo pra me curar e etc. 
O combate adotou aquela fórmula que se popularizou tanto com Dark Souls, que usa a combinação de ataque, defesa e esquiva. Conta com estamina que desce dependendo das suas ações e fazendo com que sejam limitadas. No entanto não é um combate tão preciso quanto o de um soulslike, além de ser mais fácil também.

Apesar de tudo é um estilo elegante para se usar, no entanto como você tem bastante vida e não toma tanto dano assim dos inimigos, é comum você só abandonar a estratégia toda e partir para o ataque batendo sem parar, aguentando o dano direto dos inimigos, pois será bem fácil recuperar e assim não vale a pena na maioria das vezes usar escudo.

Também é possível ser um personagem de ataque à distância e assim é possível usar cajados para conjurar magias, arcos para lançar flechas e mosquetes para atirar. Você escolhe o estilo de personagem à distância que quer ser. Só é possível usar um tipo de arma de longo alcance e outra de combate direto ao mesmo tempo. Portanto você escolhe a combinação das duas e faz o tipo de personagem baseado em sua estratégia ou no que se sentir mais à vontade.

Você não foca em classes nesse jogo, mas sim nas armas que utiliza. Se você quiser se tornar um mago, vai ter que usar muito o cajado, se quiser virar um arqueiro, terá que usar o arco. Mesmo que você fique super poderoso em uma arma, não quer dizer que vai dar muito dano quando equipar outra, pois não depende do seu nível, mas sim do nível daquela arma.
Esse é um elemento que acredito que possa dividir opiniões. Alguns jogadores podem querer focar completamente em um estilo de personagem e ter as vantagens fixas quando trocarem de arma, mas outros podem achar boa a liberdade de simplesmente poder se aperfeiçoar na hora que quiser em um outro tipo que viu que era mais interessante do que pensava.

Em especial, aqueles que usam armas de combate direto podem não achar tão interessante, já que elas também variam. Ou seja, se você usa muito o machado, ao equipar uma espada, vai ter que treinar o uso dela também, mesmo as duas sendo armas de ataque direto. E dessa maneira, quando se vai fazer um simples teste, pode ser não tão agradável. Isso porque você precisa usar ela e matar vários inimigos pra subir de nível com a arma.

Outro detalhe é que é preciso ficar de olho nas características das armas, enquanto você foca na estamina quando estiver com armas de combate direto. É preciso pensar nas flechas quando se é um arqueiro e na mana presente quando se está utilizando um cajado. Cada um desses itens vai diminuindo e você precisa ficar atento.

Os tipos de arma contam com sua própria árvore de habilidades que destravam ao subir de nível, podendo ser passivas (que são bônus permanentes) ou ativáveis (Que você precisa ativas). Existem botões pra ativar essas habilidades, com tempo de recarga para você não ficar usando o tempo todo. Assim que você troca pra outro tipo de arma, as habilidades daquele tipo de arma vão substituir os botões de ativar, apresentando novos tipos de habilidades.
Também é um jogo com muitas opções de interação com o mundo e que você pode ficar evoluindo com isso. Indo desde minerar pedras até coletar vegetais. Você ganha experiência com os mais variados tipos de coisas que estiver fazendo e vai evoluindo com isso. Sendo assim, se você é do tipo de jogador que não quer matar nem criaturas, é possível, apesar das missões em si exigirem coisas como matar alguém ou algo, dá pra subir de nível sem.

E para esses tipos de jogador, existe a opção de viajar, você pode montar um acampamento em algum lugar no mapa para viagens rápidas e também prepare coisas como refeições para cura ou outras vantagens. Cozinhar também é algo que te faz evoluir e você pode virar um mestre da caminhada e realmente se sentir descansado em seu acampamento, se preparando para continuar.
 
Mas outra opção é ir até cidades e se registrar em uma estalagem, permitindo que rapidamente volte pra lá. É cheio de possibilidades mais robustas e você pode não apenas forjar comida, mas armas, negociar itens no mercado, pegar missões e mais. Nelas há uma quantidade enorme de jogadores e aqui foi uma droga, pois fica bem lento, eu vi muitas pessoas passando por esses problemas, o que é uma droga.

Com a evolução, você vai destravando pontos para gastar em atributos e é um sistema meio semelhante ao que vimos em Conan Exiles, onde se você evoluir o suficiente, chega em pontos onde ganha vantagens passivas únicas naquele tipo de atributo. Até o nível 20 você consegue redistribuir os pontos para o que achar mais adequado.
Existe um sistema interessante de se ganhar vantagens enquanto você vai fazendo missões e explorando determinadas terras. E assim, se você se dedicar a um lugar, vai destravando essas vantagens que você escolhe. Assim que recebe um ponto de vantagens, pode escolher entre algumas "cartas" que te dão benefícios como ganhar mais XP enquanto estiver ali, extrair recursos mais rapidamente, ter desconto nos impostos, entre outras coisas. 
 
Os gráficos do jogo são ok, não achei algo maravilhoso, mas estão bons. Não roda em qualquer PC, mas achei razoavelmente leve. Ele teve certas polêmicas relacionadas a placas de vídeo, no entanto a própria EVGA disse que foi um problema na fabricação de um lote de placas 3080 e o problema na solda fez com que superaquecesse. No caso o que fez isso rolar foi o New World, mas se não fosse ele, provavelmente outro jogo iria acabar dando esse problema. 
Fiquei surpreso do jogo ter uma dublagem em português, e não seria problema algum se um jogo desse tipo só tivesse legendas, mas mostra que a Amazon realmente quis investir pesado e seguindo a tendência de outras gigantes como a Ubisoft, Sony e Microsoft, quis abocanhar esse mercado da melhor maneira possível.

Enfim, New World é um jogo interessante para se passar o tempo. Não o achei o melhor jogo que já joguei, mas foi agradável passar o tempo. Ao conversar com alguns fãs de MMOs, vi que as opiniões variam. O preço lançado no Brasil foi bem acessível e acho que vale a pena experimentar com os amigos. Recomendo sempre dar uma olhadinha no preço dele na Greenman Gaming antes de comprar na loja direta, algumas vezes os preços deles estão bem abaixo do normal, e sempre lembre de olhar os cupons de desconto que eles espalham pelo site, que deixa a coisa mais barata ainda, dê uma conferida aqui.

Postar um comentário

0 Comentários