Biomass | Soulslike em pixel art sobre um futuro devastado

Esse é um jogo que me atraiu imediatamente por sua beleza e que facilmente entraria para a lista de maravilhosos jogos em 2D, e uma daquelas obras que apesar de serem pra computador, acaba sendo perfeitas para se deitar na cama e jogar com um controle de PC, ainda mais porque me parece o tipo de obra que realmente acaba combinando muito com consoles.

A história se passa em um mundo inundado onde apenas se pode ver os topos dos prédios de um outro tempo. Em meio a isso, torres se destacam por ser onde pessoas vivem e a civilização tenta seguir em frente. Você é alguém que vaga por esse mundo e descobre seus segredos e cultura, conhece pessoas, faz alianças e enfrenta inimigos poderosos.
Todo mundo sabe que muitos gêneros de jogos carregam em si, mecânicas de outros tipos. E o gênero soulslike costuma naturalmente ter também o gênero metroidvania, com toda aquela mecânica de ir e voltar nos lugares e somente quando conseguir certas habilidades, poder atravessar certas partes. Mas no caso de Biomass, apesar de ser um soulslike, o gênero metroidvania consegue se sobressair, o que achei bem interessante.

Apesar de tudo, aqui nós temos um soulslike verdadeiro, não é como Vigil: The Longest Night, que se vende como sendo desse gênero, mas na verdade é meramente um metroidvania sombrio. Aqui, por outro lado é um desses jogos difíceis que tanto amamos. Se você vacilar, simplesmente morre e pronto, tem que se virar para pegar o que perdeu e tem que tomar cuidado.
Uma coisa bacana demais é o fato de ser um jogo minimalista, com tudo sendo muito simplificado mesmo. Você não tem aqueles menus enormes cheios de detalhes e com a história dos objetos. É algo mais compacto e direto ao ponto. Isso faz com que baita aquela sensação de algo grandioso construído com uma apresentação minúscula, já que se passa em um mundo devastado com toda uma cultura própria, porém a limitação no visual pixel-art e as coisas mais direto ao ponto deixa tudo com cara de compacto.

A mecânica é aquela normal que conhecemos do gênero soulslike, você ataca, defende, rola no chão e precisa tomar cuidado com cada inimigo, pois se juntar mais de um a coisa já fica bem mais desafiadora. É importante saber os momentos certos para fazer os movimentos ou você toma um dano cabuloso. Se morrer, sua biomassa cai no chão e é preciso voltar ao lugar para pegá-la, mas se morrer antes disso, ela se perde pra sempre.
O combate é bem gostoso, tem alguns elementos interessantes que te fazem parecer um jedi, como por exemplo usar seu sabre para desviar balas, ou usar o ataque especial para quebrar defesas dos inimigos. Além disso tem um sistema meio bizarro de recuperar vida, quanto você mais bate, mais carrega uma barrinha, ao chegar na metade, ela é sua garantidamente, mas se chegar em menos da metade, vai diminuindo até chegar a zero. É possível gastar a barrinha pra recuperar vida ou usar um item que aumenta essa barrinha automaticamente.

A biomassa aqui serve para evoluir o seu personagem. Quanto mais inimigos morrem, mais biomassa e objetos aleatórios você coleta. Em alguns painéis da cidade é possível fazer upgrades em quatro atributos. Vitalidade atualiza sua durabilidade, Resistência atualiza a estamina, Tech atualiza a força, Mech atualiza a potência das armas de fogo.
Eu achei extremamente pesada a exigência para atualizar. Não é como aqueles jogos que você atualiza e sobe um pouquinho o custo. O jogo sobe uma quantidade meio alta, então pra quem gosta de farmar, talvez não seja tão rápida a coisa aqui. Também dá pra melhorar as habilidades em combate com os itens que coleta, lanças, granadas, upgrades temporários e assim vai.

Você também ganha novas habilidades com determinados itens equipáveis, como por exemplo o rolo de tirolesa que você ganha logo no começo. A princípio é preciso andar um pouco, enfrentar alguns inimigos e você vai vendo as tirolesas por aí, podendo até atravessar elas segurando na mão, mas com um limite de energia até cair. Agora quando acha o rolo, é só colocar e deslizar rapidamente.
O visual pixelizado é simplesmente maravilhoso! Com certeza foi a primeira coisa que me chamou a atenção no jogo. E mesmo sendo pixels bem grandes, é notável que o artista por trás conseguiu criar a sensação de imensidão, apresentando detalhes como a parte distante lá atrás com drones voando pelo céu, os enormes arranha-céus em ruínas e a inundação embaixo.

Enfim, um jogo simpático que pode trazer muita diversão para aqueles que querem uma experiência simples, porém atmosférica. Recomendo sempre dar uma olhadinha no preço dele na Greenman Gaming antes de comprar na loja direta, algumas vezes os preços deles estão bem abaixo do normal, e sempre lembre de olhar os cupons de desconto que eles espalham pelo site, que deixa a coisa mais barata ainda, dê uma conferida aqui.

Postar um comentário

0 Comentários