Red Rush | Fofinho, socialista e absurdamente desafiador!

Vocês com certeza já ouviram inúmeras vezes a história da União Soviética e que ficamos muito próximos de viver em um mundo completamente diferente do atual. E graças a isso, versões alternativas nunca param de surgir. Em Red Rush a coisa é mais modesta e pode apresentar um futuro alternativo, mas até quando até tudo entrar em caos? Isso é com você!

A história se passa pouco tempo depois da queda da URSS, e em desespero, os socialistas elegem um último presidente, que deve usar seus profundos conhecimentos de administração de recursos para novamente levá-los à grandeza, e esse é VOCÊ, que precisará cuidar de todos os aspectos do país para que as coisas funcionem.

Esse não é um jogo que eu conhecia, mas quando o desenvolvedor me forneceu uma key para review, acabei não resistindo a dar uma conferida, especialmente por causa dos gráficos 2D com uma pixel art maravilhosa, e como vocês sabem, eu tenho uma queda por jogos com visuais assim e dessa maneira resolvi testar sem saber muito bem como era a jogabilidade, o que não me faz tanta falta, pois às vezes acabo me surpreendendo.

Bom, a temática logo me fez pensar em Papers, Please com todo esse toque soviético e fofura ao mesmo tempo, mas a verdade é que a coisa é bastante diferente. Trata-se de um jogo do gênero CMS naquela linha de coisas como Constructor e Pharaoh, porém apresentado de maneira minimalista, ou seja, toda a ideia de elementos profundos é raspada e é algo feito para partidas rápidas.

A mecânica é colocar tipos variados de construção em um mapa que tem áreas diferentes. Dependendo do território, isso pode causar vantagens ou desvantagens para a construção feita. Ela cobre uma área ao redor e se tiverem outras construções nessa área, são afetadas positiva ou negativamente.

Por exemplo, uma área de residências vai receber vantagens positivas se tiver um jardim ao lado, porém se for uma usina de energia, vai ser negativo o efeito. Existem construções variadas, empregos, proteção militar, comida, depósitos, etc... E cada uma delas gera um certo tipo de benefício e dependendo da posição, alguma desvantagem também.

A ideia do jogo é conseguir criar o ambiente ideal em um ambiente em que tudo está sendo consumido. Você pode fazer várias casas, mas isso vai gerar mais trabalhadores que vão precisar de mais empregos em construções que vão precisar de eletricidade e com pessoas que vão precisar de entretenimento. Também há eventos aleatórios, como tratados que você pode ou não assinar e isso tem reações na população que pode ficar feliz ou irada, assim como os cofres do governo.

Mas o foco é mais parecer um puzzle ultra difícil do que algo que você vai se adaptando e isso tem potencial para criar uma frustração imensa. Perder uma partida em um minuto de jogo é muito comum. Você começa e do nada "ACABARAM OS RECURSOS, VOCÊ PERDEU!" e é isso, simples assim. Os mais apressados podem não querer dar muito tempo, já os pacientes vão se sentir desafiados a ir além

O visual do jogo é bastante maravilhoso, com um toque pixelizado e construções muito bonitinhas. É meio irritante ter que girar o mouse para aproximar toda vez, mas para quem gosta de jogar de longe, talvez isso não irrite. Me surpreendeu o jogo já vir com tradução em português, além das outras duas línguas que são russo e inglês. Simplesmente muito estranho, mas muito bem vindo também

Enfim, eu infelizmente não consegui tirar tanto do jogo e ao ver algumas pessoas jogando, percebi que não sou o único. Isso acaba desanimando um pouco, mas para quem gosta de algo desafiador e rápido, talvez seja bem agradável. Recomendo sempre dar uma olhadinha no preço dele na Greenman Gaming antes de comprar na loja direta, algumas vezes os preços deles estão bem abaixo do normal, e sempre lembre de olhar os cupons de desconto que eles espalham pelo site, que deixa a coisa mais barata ainda, dê uma conferida aqui.

Postar um comentário

0 Comentários