Moons of Madness | Horror cósmico em uma jornada por Marte

Acho que é fácil sentir medo da grandiosidade do universo e seus mistérios e graças a isso surgiu o horror cósmico criado por H.P. Lovecraft, que ao invés de apenas apresentar histórias macabras, une o sobrenatural com a ciência, o que só torna a coisa mais assustadora, pois nos faz perguntar "E se...?". Mas embora a maioria das adaptações dos Mitos de Cthulhu sejam nos anos 30, a verdade é que a coisa tem tudo a ver com viagens espaciais, e Moons of Madness mostra bem isso.


A trama apresenta uma base construída em Marte como fachada. O público acha que o motivo é apenas exploração do planeta vermelho, mas o motivo foi um sinal de vida inteligente que foi recebido. Você assume o papel do engenheiro Shane Newehart, que logo começa a ver as coisas  ficando cada vez mais estranhas.

Assumo que o que mais me atraiu foi a temática lovecraftiana bem escrachada, inclusive no próprio nome que muito provavelmente veio de Mountains of Madness, que mostra uma exploração difícil a um ambiente hostil desconhecido em montanhas congeladas, mas acabam entrando em contato com seres além da compreensão.

E embora nós vejamos mais obras como Call of Cthulhu e Stygian: Reign of the Old Ones, elas são mais uma homenagem à época em que Lovecraft viveu do que de fato uma regra. Sendo assim temos muitas outras obras lovecraftianas nos mais variados tipos de mídia, que se passam no  futuro, em viagens espaciais, como o filme O Enigma de Outro mundo, a HQ Nameless e o jogo Observation.

Quando vi esse jogo, pensei que seria um típico correr e se esconder, mas me surpreendi ao ver que ele tem um belo de um foco em narrativa e resolução de puzzles. Acho que isso torna a coisa muito mais interessante, pois desde Slender, essa ideia começou a ser usada tanto, que simplesmente se tornou genérica.

Então aqui nós temos um bom tempo explorando o ambiente, pegando documentos, achando itens e se comunicando com o resto da tripulação, para então em certos momentos as coisas começarem a ficar tensas e aí sim ter alguma perseguição agoniante, mas no geral o foco é mesmo em um jogo em que você vai se aprofundando na história à medida em que observa o que está rolando.

Por outro lado, talvez os fãs de tensão pesadona sintam um pouco de falta. Acho que a dose até que ficou adequada para um fã de contos do lovecraft e que não tem tanto contato com jogos. Parece ser o meio-termo perfeito pra pessoa se entreter com a história profunda, sentir a tensão de ser perseguido, resolver alguns puzzles não tão difíceis e seguir em frente.

Ou seja, se o que você procura é um terror pesadão que vai te fazer cuspir o coração, não vai rolar não. É uma experiência mais aberta e que pra um jogador casual com certeza pode ser um pesadelo, porém um pesadelo dentro dos seus limites. Enquanto para um jogador já com alguma experiência pode dar um nervoso, mas bem longe da sensação que Amnesia passa.

Os gráficos são bem bacanas, não são surreais, mas são agradáveis o suficiente, bem feitinhos e passam bem a atmosfera de um ambiente marciano. Às vezes a base limpinha e perfeita, toda branca, como um ambiente super tecnológico, às vezes toda detonada com fios soltos, às vezes uma gosma estranha no lugar, e claro, tem as partes que se passam no lado externo do planeta vermelho.

Enfim, jogo bem bacana, acho que ele tá meio-termo de uma forma bem adequada e pode gerar um bom momento de diversão. Pra jogadores mais hardcore pode ser meio decepcionante, mas especialmente pra quem quer mais é ver uma história intrigante acontecendo, é bem legal. Recomendo sempre dar uma olhadinha no preço dele na Greenman Gaming antes de comprar na loja direta, algumas vezes os preços deles estão bem abaixo do normal, e sempre lembre de olhar os cupons de desconto que eles espalham pelo site, que deixa a coisa mais barata ainda, dê uma conferida aqui.

Postar um comentário

0 Comentários