BMW IconicSounds Electric | A trilha sonora que substituiu o som dos carros do futuro

Uma coisa que sempre foi padrão na história dos automóveis é o barulho. Por um tempo quanto mais alto, mais potente, depois a beleza evoluiu para ser potente e silencioso ao mesmo tempo. Mas aquele ruído sempre esteve lá. Daí vieram os carros elétricos extremamente silenciosos e símbolos da elegância e do futuro, mas o ruído mostrou que não era apenas poluição sonora, era algo útil. E a BMW apresentou um conceito fantástico transformando-o em uma experiência aos sentidos.



Após os carros elétricos começarem a se popularizar, as críticas passaram a surgir. A questão sonora tem suas vantagens, dando uma sensação de pureza imensa ao motoristas que corre em alta velocidade e silêncio, e deixando cidades bem mais silenciosas sem o rugido de motores. Por outro lado ciclistas não gostaram tanto, e nem pessoas cegas. 

Um problema passou a surgir e acidentes repentinos que não aconteciam antes começaram a surgir, por exemplo quando alguém vai passar em frente a um carro e ouve o motor ligando, a pessoa sabe que é melhor parar. Em um carro elétrico o carro só vai e quando menos se espera, já tá passando por cima de algum infeliz que foi passar na frente bem na hora.

O resultado disso foram leis que obrigavam a por ruídos em carros, e a BMW decidiu aproveitar isso de uma forma graciosa pra caramba. Ela não quis colocar apenas um ruído, mas uma trilha sonora feita pelo compositor alemão Hans Zimmer, ganhador do Oscar em 1995 pela trilha sonora de O Rei Leão, e indicado inúmeras vezes por outras obras, além de ganhar dois globos de ouro.

No entanto música em carro é algo que todo mundo já viu, convenhamos né? Até nos anos 90 já se via aquele batidão brilhante surgindo no horizonte e indo direto pro baile funk. Era alto e claro! Mas o conceito apresentado não foi apenas de música, pois isso a pessoa poderia ter só ligando o som com uma orquestra. O conceito foi de uma experiência auditiva que substituísse o ruído  e transmitisse a sensação de potência.

Já vimos que a audição é um sentido que mexe com a gente, seja aquela música triste que faz pessoas chorarem, seja músicas dançantes que causam vontade de dançar. Inclusive existem programas que brincam com isso, como o simulador virtual de drogas i-doser, que usa a audição para brincar com os sentidos, ou mesmo as fantásticas técnicas de holofonia.

Então para os carros elétricos de 2023, da linha BMW Vision M NEXT, a empresa resolveu configurar o carro com um ruído peculiar. Pois por um lado é ruído, indicando ser uma máquina ali, mas por outro, é um ruído personalizado feito especificamente para mexer com os sentidos das pessoas e transmitir uma sensação de potência ao dirigir.

Enfim, bacana pra caramba o conceito, não acham? Ao invés de música, um ruído que se mistura com trilha sonora e varia à medida em que a pessoa dirige. Baita clima de filme cyberpunk dos anos 80 não é? Uahahaha. Fico imaginando que coisa insana não sairia nas mãos de certos compositores, como Susumu Hirasawa. Mas e vocês, o que acharam da ideia?

Postar um comentário

0 Comentários