Fantasy | Video clipe lovecraftiano capaz de encantar e perturbar

Aí está algo que já tem um bom tempo que quero postar aqui no blog, mas acabei enrolando demais, porém chegou a hora. Para quem ama conteúdo lovecraftiano variado, certamente vai acabar caindo nas graças dessa belezinha, no entanto é capaz também de perturbar especialmente os desavisados e pessoas que tem repulsa a esquisitices.

Antes de tudo, DyE é o pseudônimo usado pelo francês Juan de Guillebon, suas músicas são meio suaves com uma melodia eletrônica constante ao fundo e o cara é meio underground também. Apesar de fazer música bem antes, sua carreira começou oficialmente em 2008, e três anos depois ele apresentou um single chamado Fantasy, que depois se tornou parte do álbum Taki 183.

Assim como diversos artistas internacionais, ele não era bem conhecido, porém acabou fazendo algo que se destacou em relação aos outros e virou uma certa mania na internet, na época em que foi lançado. Isso aconteceu por causa da esquisitice do vídeo. Mas para quem já conhecia o trabalho de H.P. Lovecraft, não demorou muito pra identificar características.

O vídeo clipe acaba pegando as pessoas de surpresa, e certamente esse é o ponto que o fez estourar. Não é como curtas do tipo Invectum ou Harbinger, que você já vai preparado pra coisa. Ainda mais quando se leva em consideração a própria música do cara, que é meio suave e atrai um certo tipo de pessoa. Confira:

Como podem ver, é algo um tanto bizarro. Mas sinceramente achei bastante artístico, começa com essa ideia de juventude, beijos, atração e um toque de sexualidade. São quatro jovens em uma noite quente, fazendo algo errado, invadindo um lugar pra se divertir, tomar banho e passar o tempo de forma descontraída. Aquele climinha de aventura da juventude. Até que as coisas começam a acontecer...

Eu já vi comentários de pessoas iradas com o vídeo, falando que era um absurdo fazer algo assim sem um aviso, afinal de contas obviamente muita gente vai assistir um clipe de uma música assim pra relaxar, e quando começam as bizarrices, pode ser um verdadeiro quebra-clima. Até dá pra entender, porém se você é do tipo que curte uma arte diferenciada, pode acabar usufruindo bastante.

Acredito que o fato de não ter um aviso é uma das belezas da coisa, não é como se fosse um scaryjump, mas ainda assim causa aquele impacto. O clima de tranquilidade some completamente, apesar da música continuar, e de repente começam as bizarrices loucas. Quando algo começa a mexer no bikini da menina pode parecer engraçado, mas logo tudo vira horror.

Aliás, acho que o clipe tem um extremo bom gosto em mostrar a forma de agir dos personagens, parece tudo muito vivo. Por exemplo nessa cena do bikini mesmo, a garota vai pra um canto e ela está perturbada com aquilo, mas mesmo algo bizarro assim, acaba mostrando um jeito natural de agir em nossa sociedade. Ela poderia ir direto ao ponto e só mostrar, mas você vê a vergonha dela, afinal de contas como se fala isso pra alguém, né?

Mas bom, pra quem não entendeu porcaria nenhuma. Nas histórias lovecraftianas, existem outras dimensões e seres nelas, esses seres vivem em regras diferentes de nossa realidade e seus sentidos são diferentes. No entanto em algum momento, nossa dimensão entra em choque com a deles e então há um contato, porém nos faltando sentido para conseguir captar aquilo, só resta a loucura e o caos. Por isso a transformação e por isso a cena final da garota olhando para a coisa e não conseguindo aguentar, seus olhos queimando.

Enfim, gosto muito desse clipe, até entendo quem não gosta e o acha meramente bizarro, sem sentido, mas sendo um fã de Lovecraft, apenas vejo a coisa com uma certa elegância e também acaba fugindo do padrão do que se espera de um clipe para essa música né? Sem contar que esse vídeo certamente não teria virado uma mania se fosse só mais um entre tantos. E vocês, o que acharam?

Postar um comentário

0 Comentários