Batman Ninja | Tão tosco quanto o título indica ser

Desde a primeira HQ em que Batman apareceu, o herói cresceu monstruosamente, primeiro conquistando o público infantil, depois o público adulto, e em meio a essa diversidade, surgiu uma tonelada de derivados do Homem Morcego, incluindo algumas obras de arte como Batman Deliverance, e naturalmente o contrário, que é bem o caso de Batman Ninja.



Esse é um filme que nem me passava pela cabeça assistir. O título me pareceu tosco demais, soou como "Hulk com Lasers!", "Superman Gigante" ou "Thor de Metralhadora". Aquele toquezinho trash que pareceu bem ser algo focado no público infantil. Nada contra é claro, mas em meio a tanta coisa pra assistir, jogar, ler... Não dá pra ficar gastando tempo com coisa que não sou o público alvo né?

No entanto um amigo começou a insistir, insistir, insistir. Resolvi assistir a bodega com ele, e nos primeiros minutos, me interessei. Isso porque pensei que se tratava de um filme na época atual, mas ao ver que a história apresenta Batman e vários vilões sendo enviados na marra pro Japão Feudal, logo comecei a pensar nas possibilidades e se eu não estava diante de um Batman Ano Um da vida.

Bom, a alegria durou pouquíssimo! O filme é só a bagaceira, eles não estão nem aí. É uma mistura de "Power Rangers do mal" com ideias completamente aleatórias e não tem foco no público infantil porque o linguajar é pesado e algumas cenas também. Então sinceramente, sei lá, a sensação é que alguém conseguiu os direitos de fazer um filme do Batman e decidiu tacar qualquer ideia que vinha à mente.

Pra vocês terem uma ideia do que estou falando, os castelos de cada vilão se transformam em robôs gigantes e lutam. Eu achei triste o desperdício de potencial, pois no início imaginei que iam trabalhar a limitação tecnológica da coisa e como os personagens iam sofrer pra se virar com o que tinham, mas não... Construiram máquinas super tecnológicas gigantescas como se não fosse nada.

Tem uma cena em que eles simplesmente matam o Batman e no momento seguinte ele acorda com uma faixa na cabeça, sem nenhum hematoma. Não existe explicação nem nada, nem se esforçam, é simplesmente "Oh, me salvaram e colocaram numa cama", e a história segue deixando a coisa desse jeito mesmo.

Existe uma única parte do filme, que tem uma faísca de genialidade, que é um momento em que até o traço é diferente, mostrando Arlequina e Coringa como um casal sem memória, trabalhando no campo. É uma baita de uma cena pesada e intrigante, com um visual peculiar demais. Caiu tão bem, e é tão bem feito, que não dá pra acreditar que é dos mesmos autores, e inclusive funcionaria bem como curta separado.

Tenho até a desconfiança de que essa era a ideia original de Batman Ninja, mas foram chegando novas e novas pessoas e sufocando ela, até só falarem pro autor "Tá... A gente deixa você tacar um pedacinho com sua ideia, vai", e enfiaram essa cena do nada no meio do filme, que é inclusive um pecado estar junto de uma obra tão tosca.

O visual da animação é 3D, em boa parte dela é bastante decente, com um céu muito bonito que parece ser feito de pintura. Tem horas que fica parecendo muito com um joguinho e eles só ressaltam isso colocando apresentações dos personagens com os nomes aparecendo, mas tem momentos também que o visual fica realmente bacana.

Enfim, se você só quer ver um monte de explosões e gritaria sem muito sentido, talvez se agrade. Agora se estiver esperando uma história com reviravolta ou alguma profundidade, sinceramente não vale a pena não. A única coisa que se destaca é a parte que citei, de resto é um desperdício monstruoso de potencial.

Comentários