Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Alien: Covenant | Um filme que eu queria ter gostado mais

Eu sou apaixonado pela franquia Alien, sendo assim criei uma gigantesca expectativa por Covenant, já me preparando para algo que iria amar. Infelizmente acabei me frustrando já no começo e impliquei o resto do filme, o resultado foi uma obra que eu vejo que é séria e charmosa, mas infelizmente não consegui ficar apaixonado.




Caso você não saiba, Prometheus faz parte da franquia Alien, e Covenant é a sequencia não de Alien 4, mas sim de Prometheus, se passando dez anos após os acontecimentos e mostrando uma gigantesca nave com colonos que estão sendo enviados para um planeta próprio para recomeçar. No entanto a tripulação é despertada quando faltam sete anos e atraída para um planeta próximo que inexplicavelmente está transmitindo uma mensagem humana.

Quando Alien saiu em 1979, o filme foi um estouro, era tudo espetacular demais, diferente. Um filme de terror no espaço e um clima tão pesado que o diferenciava de outras obras. Definitivamente não parece uma obra dos anos 70, é uma daquelas ficções científicas que as coisas foram criadas baseadas na realidade e não um mistureba aleatório no estilo Space Opera.

E aquela mágica foi feita nas mãos do diretor Ridley Scott, o segundo filme já foi dirigido pelo James Cameron e ainda era bacana e tal, um pouco mais Hollywoodiano, mas legal. No terceiro a coisa já estava meio estranha, no quarto era o samba do caboclo louco, com cowboys espaciais e só a bagaceira rolando solta.

Apesar de tudo, nenhuma das sequencias causou aquela atmosfera do primeiro, e eu nem vou comentar sobre a franquia Alien Vs Predator que não consigo nem ao menos entender como é possível uma pessoa se especializar em criar roteiros e fazer aqueles, ainda mais com milhões de dólares disponíveis.

Daí veio Prometheus em 2012, que trazia de volta Ridley Scott, e é um filme bacana e tal, a atmosfera é maravilhosa, mas infelizmente parece que falta algo... Talvez por não ser mais uma surpresa e a fórmula usada ser extremamente semelhante ao que foi mostrado no primeiro Alien, não sei dizer, é legal, mas não tem aquela "energia" de algo novo.

E Covenant é uma sequencia direta de Prometheus, recomendo inclusive que vocês assistam ele primeiro antes de ver, mesmo que já tenham assistido, pras memórias ficarem frescas e tal. Claro que não é obrigatório, mas fica a dica né? Como falei não é um filme ruim, é um ótimo entretenimento, só não tão intenso.

O começo de Covenant é fantástico, atmosférico demais, mostrando um androide em seus primeiros momentos de "vida", e depois a coisa continua legal por alguns momentos, porém assim que os personagens colocam os pés no planeta de onde está vindo o sinal, parece ser uma trapalhada atrás da outra, e isso me irritou.

Acho que essa raiva de personagem atrapalhado pega as pessoas de forma aleatória, pois no filme Vida eu vi algumas críticas pesadas de jogadores falando que os personagens eram atrapalhados demais, porém eu simplesmente não consegui perceber as coisas idiotas que eles fizeram, sendo assim não me bateu raiva.

Agora em Covenant... Nossa... Talvez seja porque eu não tinha essa ligação com o filme Vida, e com Alien tenho demais. Isso porque considero essa franquia o topo da ficção científica espacial séria de verdade. O primeiro longa me parece algo a ser levado como base para outros autores usarem na hora de criar um filme de terror espacial. Não é um Jason X da vida não, é ficção científica luxuosa mesmo.

Sendo assim imagina qual não foi a minha surpresa ao ver os personagens entrando em um planeta que não tem informação alguma sobre e não tomar cuidados? Tá que a atmosfera permite respirar, isso me incomoda um pouco mas até então dei uma colher de chá entrarem sem capacetes, só que agora saírem mexendo em tudo sem ligar pra nada?

Se você for viajar para outro país, você vai tomar umas vacinas antes, isso porque lá tem doenças que não temos aqui e por isso nunca tomamos essas vacinas, o mesmo acontece quando viajam pra cá. Então imagina outro planeta? Pois é! O povo desce e sai andando numa boa, como se fosse um passeio no quintal.

Um dos personagens vê um negócio estranho e fica com a cara COLADA lá "Dããã, o que é isso? Mas o que é isso??? O que é isso?", já dá pra imaginar o que rola com o infeliz né? Eu já tava "Chega mais perto seu puto! Encosta a cabecinha lá vai! Pega esse bagulho, faz uma carreirinha aí no chão e cheira logo que esse bagulho é louco!". E é um atrás do outro fazendo essas bagaceiras. Depois disso já fiquei de cara fechada pro resto do filme, e comecei a notar e julgar cada trapalhadazinha que os infelizes davam "Olha lá! A vadia apertou o botão de fechar a porta e esqueceu o pé dentro!", "Olha lá, mandam o puto chegar com a cabecinha perto de um bagulho bizarro e ele chega!".

Isso sem contar com os clichês né? Usam um dos que acho mais ridículos, que é apresentar um personagem antigo já conhecido, só que todo cabeludo e com um manto. Daí só porque apareceu o infeliz resolve cortar o cabelo e ficar bonitinho e joga o manto fora. É uma bagaceira só, fiquei até constrangido de ver isso.

Apesar de tudo o filme tem seus pontos positivos e talvez eu tenha cobrado demais e sido maldoso demais. Por exemplo mesmo com os personagens parecendo um monte de patos sem cabeça correndo pra lá e pra cá, você nota como a atmosfera é pesada e o clima luxuoso da coisa. Qualquer um percebe que não é um filme espacial qualquer e há uma seriedade no universo.

No fim das contas Alien: Covenant é um filme com visual magnífico, atmosfera pesada, mas pra um filme de duas horas de duração, parece um desperdício imenso não terem tentado focar mais em uma história que adicionasse algo de diferente à franquia e evitado uns deslizes tão irritantes. É divertido, mas podia ser muito mais. Quem se interessar pode conferir aqui.


Nenhum comentário: