Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Cross of the Dutchman - Jogo medieval curto e divertido

Existem alguns jogos que apesar da simplicidade acabam sendo encantadores graças a sua essência. Esse é bem o caso de Cross of the Dutchman, um jogo que não é inovador mas que você nota facilmente todo o carinho aplicado nele, se passando na era medieval e com uma tempo de duração extremamente curto, mas que bate aquele sentimento de satisfação quando você termina. Se você é um apaixonado pela vida na idade média, certamente vai adorar!

Quando zerei eu não tinha ideia, mas esse jogo é baseado em um fato histórico. Apresenta a vida de Pier Gerlofs Donia, durante o século 16 e como ele era um simples fazendeiro que vivia com sua família. Mas devido aos terríveis ataques de saxões à comunidade local, não teve escolha a não ser liderar seu povo e partir para a luta.



Imaginem qual não foi a minha surpresa ao descobrir que o cara realmente existiu? Especialmente porque enquanto jogava foi impossível não pensar na história de outros brutamontes de bom coração, com uma espada gigantesca, de outras obras como o mais do que violento A Sombra do Abutre, ou até mesmo o brasileiríssimo A Fúria do Cão Negro. Então me ficou aquela dúvida se Pier não inspirou também outros personagens tão parecidos.

A jogabilidade é de um Action RPG bem simples, você anda por aí e ao clicar em cima dos inimigos o personagem ataca. Também deve coletar moedas quebrando barris e abrindo baús ou de alguns inimigos derrotados. Além de que é possível falar com personagens para pegar missões e assim sair vagando.

No jogo é tudo muito compacto, a ação ocorre inteiramente em uma vila que é dividida em alguns mapas, não tenho certeza ao certo do número mas acho que são quatro. As coisas vão acontecendo em lugares variados e assim é preciso resolver os problemas do lugar, ir e voltar diversas vezes. E eventos vão acontecendo, lugares antes bloqueados vão sendo liberados. Graças à guerra o ambiente também muda levemente, como estruturas que desabam devido ao fogo ou batalhas.

Assim como o ambiente compacto, também existe um leve sistema de evolução do personagem, em que você pode comprar golpes especiais ou evolução do atributo energia (usada para fazer ataques especiais) e vida. Isso te incentiva a explorar o cenário atrás de mais moedas para poder comprar as habilidades.

Vez ou outra você nota algumas variações na jogabilidade que acabam dando um charme especial à coisa, como por exemplo as missões em Stealth, onde você deve andar com cautela pela noite enquanto guardas andam com lamparina e assim passar por trás, saber esperar o momento certo e também sentir aquela tensão de quase ser pego.

Esse é um jogo com muito bom humor e você vê certos momentos hilários como quando vai resgatar uma mulher e fala "Shhh, vim te resgatar, fale baixo para sairmos daqui." e em resposta a mulher diz "VEIO ME RESGATAR? IIIIIHUUULLL!!!" atraindo um monte de guardas pra descerem o cacete em você.

O visual é uma fofura, com um design meio cartunizado que agrada bastante e é notável que tudo foi feito com muito carinho, apesar de que em certos momentos o jogo pode ficar lento com a quantidade de inimigos na tela. Outra coisa espetacular e marcante é a trilha sonora medieval, você anda pelas ruas da vila e sente um climinha tão intenso com aqueles comerciantes, fazendeiros e tudo mais. É uma sensação gostosa que acho que não sinto desde a trilha sonora do maravilhoso Stronghold.

Infelizmente o jogo não é só alegria e tem alguns problemas irritantes, a tradução para português por exemplo no começo me fez pensar que tinha sido feita pelo google tradutor. Mas devido às piadinhas bem adaptadas acho que foi mesmo uma pessoa. Mas não teve revisão infelizmente, parece que o tradutor fez às pressas ou muito desatento. Por exemplo tem um momento que pier ajuda um cara e vendo a gratidão do homem, diz "Não foi um ato egoísta. Eu preciso de alguém com suas habilidades". Mas não tem sentido algum isso... Então imagino que o correto seria "Não foi um ato altruísta" e o tradutor escreveu sem pensar.

Outra coisa mais do que irritante são os controles, infelizmente quando você clica em um lugar, se estiver fora do alcance do personagem, ele faz coisas do tipo bater em uma cerca e continuar andando naquela direção. Você também esbarra em outros personagens e os arrasta e o combate com múltiplos inimigos as vezes irrita porque você sente facilmente a imprecisão da coisa.

Enfim, se você gosta de jogos medievais que apresentam uma jogabilidade bem pura mas divertida como o clássico Dink Smallwood, provavelmente vai adorar. Vale a pena dar uma conferida no site da G2A, pois lá eles costumam vender keys da steam por um valor bem mais barato que na própria steam e ainda aceitam boleto bancário. Dê uma conferida aqui.

2 comentários:

Matt Kist disse...

Sky, você que é todo dos jogos undergrounds, fique de olho em Vagante e Factorio, ambos ainda estão em desenvolvimento.
Vagante é um "rogue-lite" plattaformer no melhor estilo Spelunky, e Factorio é uma mistura de minecraft com jogos de automação como Transport Tycoon com sua visão isométrica. Eu especialmente não curti muito o Factorio, prefiro OpenTTD, mas Vagante eu achei muito bom.
Ah, lembrei, esses dias eu vi no google play um tamagotchi do cthulhu e lembrei de ti, kkkk, é o "cthulhu virtual pet".

Skywalkerpg disse...

Obrigado pelas dicas, espero que saiam no steam hehehe. Normalmente eu prefiro falar dos jogos quando estão disponíveis para a compra porque atualmente a quantidade é gigantesca demais, me sobrecarrega.

Eu tinha esse do Cthulhu, mas ele tava começando a gritar demais pedindo pra eu dar mais cultistas pra ele comer e junto com a baixa memória do meu celular tive que tirar meu Cthulhinho da jogada kkkkk.