Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

domingo, 20 de setembro de 2015

Layers of Fear - Um jogo sobre pinturas e insanidade

Embora eu goste de jogos de terror, uma coisa que infelizmente tenho que assumir é que a maioria deles parecem obras bem genéricas. Quem nunca viu o típico jogo do monstro te perseguindo, que se passa em um hospital abandonado? No entanto Layers of Fear é o tipo de obra que consegue ter algo que vai além da originalidade, que é uma essência própria muito especial.


Quando escrevi a matéria sobre Silent Hill, expliquei o quanto aquele jogo fazia a diferença no sentido de terror. Não é apenas algo assustador, mas ao mesmo tempo belo. Esse detalhe faz com que tudo mude, ele tem uma essência própria fantástica e que o torna um jogo único, é aquele tipo de coisa que te faz pensar "Nossa, isso passa o sentimento de Silent Hill", existem inúmeros jogos que passam isso, como o medonho Grey, ou mesmo o simpático Agapan.
Com Layers of Fear você nota bem que é o tipo de jogo capaz de fazer isso, mostrando algo novo, diferente, lindo e medonho ao mesmo tempo. É um jogo que te faz olhar para um monte de obras de arte, achar bonito, mas sentir exatamente o que esse tipo de obra consegue passar no cenário certo, o terror. Quem nunca achou de arrepiar aquelas mansões rústicas super luxuosas e cheias de quadros de pessoas como se estivessem olhando pra você?

Aqui você assume o papel de um artista insano, ele quer completar a sua "magnum opus", ou seja a sua obra prima, o quadro que ele sabe que será a melhor coisa que conseguirá fazer em toda a sua vida. E assim ele usa sua mente doentia para pegar inspiração e cada vez mais colocar detalhes no terrível quadro.
Só pela história você já vê o quanto o negócio tem um toque próprio né? Quando penso em quadro e terror é impossível não pensar no espetacular O retrato de Dorian Gray, e já no começo do jogo há mesmo uma citação que aparece no livro. Além de se você procurar, no próprio começo do jogo é possível achar uma edição guardada em uma prateleira. Uma referência realmente muito legal e adequada para se fazer.

Esse é um jogo que realmente mexe e brinca pra valer com toda a realidade que tem, o tipo de obra que você vê que não foi feita por pessoas preguiçosas. Isso porque é espetacular a variação de coisas que acontecem. Simplesmente o tempo todo está rolando algo diferente, se você for desenvolvedor de jogos ou ter ideia do quanto é trabalhoso fazer um jogo, chega a sentir o cansaço da equipe, porque o tempo todo tem ambiente novo, e o tempo todo tem situações novas.

No jogo você tem a sua sala de pintura, onde vai cada vez mais adicionando detalhes novos à sua obra prima, mas para isso precisa de mais inspiração, portanto precisa abrir uma porta que tem na frente da pintura e ir até um lugar da casa. Porém as coisas sempre mudam, toda vez que você abrir a porta, terá algo diferente e um caminho com coisas completamente novas terá que ser seguido, até você pegar o que precisava e então continuar andando para uma hora, atrás de uma das portas estar novamente sua oficina de pintura.

Estão lembrados daquela técnica usada constantemente no medonho jogo Hektor? Onde você sai de uma porta, olha pra trás e tem uma parede, ou um corredor? Pois é, aqui isso acontece sem parar, porém diferente de Hektor, aqui não tem coisas aleatórias, o jogo é linear e isso permitiu que os criadores fizessem coisas completamente bem trabalhadas a cada virada.

Você percebe como os criadores brincam com você enquanto anda, cada porta apresenta situações novas e transmitem demais a loucura. É simplesmente fantástico entrar em um lugar e ser uma salinha quadrada com uma porta em cada canto, você vai abrindo uma a uma e tem uma parede de tijolos bloqueando, e então você abre novamente a que entrou e lá está um corredor imenso.

Os caras conseguiram me impressionar com a engine Unity de uma maneira que eu não me impressionava desde o fabuloso The Last Tinker. Isso porque a quantidade de efeitos aplicados em Layers of Fear é espetacular! O cenário parece uma massinha de modelar, de tanta coisa se modificando diante de seus olhos e formando uma coisa nova o tempo todo, é maravilhoso demais.

Os criadores aproveitaram bem a forma de alterar o ambiente de forma atmosférica, por exemplo você entra em uma cozinha e tem um quadro imenso com uma cesta de frutas, a porta de entrada se tranca e você vai pra outra, na hora que você vira de costas pro quadro, ouve um barulho e vê uma maçã caindo perto dele. Você fica desconfiado, procura mas não acha nada, então vira pra porta de novo pra tentar abrir e ouve novamente o som e vê outra maçã se movimentando como se tivesse acabado de cair, e dessa vez tem certeza que foi do quadro, e quando vai tentar de novo, começam a cair maçãs do quadro, uma atrás do outro, e vão apodrecendo, e a podridão vai pegando nas paredes, o lugar começa a ficar escuro, e tudo cada vez mais bizarro.

É simplesmente incrível, a sensação é de se estar dentro de um de seus quadros, algo bizarro, você vê cada um dos ambientes e sempre desconfia, sempre sabe que alguma coisa vai acontecer. A tensão é maravilhosa e muito intensa. Existe uma delicadeza tão grande nesse jogo, que ironicamente ele mesmo acaba sendo arte pura e parecendo um quadro estiloso em meio a vários outros genéricos.

Enfim, fica aí essa dica de jogo de terror realmente muito bom, para aqueles que gostam de situações diferentes acontecendo e adoram ser surpreendidos com variedades. Vale a pena dar uma conferida no site da G2A, pois lá eles costumam vender keys da steam por um valor bem mais barato que na própria steam e ainda aceitam boleto bancário. Dê uma conferida aqui.


5 comentários:

Gabriel Villar disse...

Fiquei na dúvida. Esse jogo tem inimigos tipo o Amnésia ou é mais pela história e exploração tipo o Gone home?

Skywalkerpg disse...

Tem inimigos, no entanto é algo linear, quando te pegam é algo que deveria acontecer mesmo. Tipo você vendo uma mulher andando em direção a uma porta escura e indo atrás, quando ela te pega, você desmaia e acorda em um lugar que é continuação da coisa, não reinicia no escritório de pintura não.

Willian Topa disse...

Esse jogo é muito pesado ?

Skywalkerpg disse...

Jogos em Unity em geral não são pesados não, no entanto esse precisa de um pouco de memória, pois o jogo não para de se modificar em tempo real, os cenários ficam trocando sem parar com um abrir e fechar de portas. Mas em geral acho que ele não é pesado não.

Bem-Vindos disse...

Quero ter um ataque cardiaco jogando isso. Comprado e baixado.