Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Powers - Série lotada de Super Vilões baseada em HQ

Esse é um seriado com uma proposta bastante interessante e que assim que li uma sinopse, eu soube que precisava dar uma chance pra ele, por isso imediatamente e assim o fiz. O que posso dizer é que tem seus altos e baixos, e realmente o público pode variar um bocado, tendo tanto aqueles que amarão e idolatrarão a série, quanto aqueles que acharão um verdadeiro lixo forçado, e ainda os que poderão achar que é uma série parada exatamente no meio termo.

A história é interessante pra caramba e apresenta uma realidade alternativa onde algumas pessoas desenvolvem super poderes, mas ao contrário do que costuma acontecer em tramas desse tipo, metade dessa gente não virar super herói, mas sim super vilão. As pessoas passam a aproveitar e se divertir com os poderes, se sentem especiais e viram uma ameaça para a sociedade, o que naturalmente faz com que uma divisão da polícia surja e fique especializada em investigar casos envolvendo pessoas com super poderes.

Quando comecei a ver o primeiro episódio, tenho que assumir que olhei feio pra coisa, o início parece muito forçado e com um climinha de série de baixo orçamento que tem uma ideia legal, mas é conduzida de uma maneira desinteressante e que faz parecer um teatrinho, apresentando o drama de um policial que tinha poderes e acabou os perdendo e entrando pra divisão de investigação que caça exatamente o que ele foi um dia. A cena inicial em especial não me surpreendeu nem um pouco, e eu acho que deveria, ela mostra um vilão sendo preso e atacando um monte de policiais, mas tive uma sensação de algo meio cartunizado, com policiais sérios e um super vilão com habilidades brilhantes. Outra coisa que me fez lembrar, foi uma série que eu detesto demais e que ao ler a sinopse, eu nem tinha lembrado dela, que é "Heroes", o que desanimou ainda mais. Porém com o passar dos minutos, a coisa foi ficando mais intensa e no fim do episódio já me senti mais seguro da coisa e pensando "Até que foi legal".

Eu adorei o universo criado, de certa forma a mitologia criada lembra Watchmen, mostrando um mundo que parece real, mas com pessoas adotando nomes forçados e saindo por aí para lutar, com a diferença que essas pessoas realmente tem poderes, o que torna a coisa menos charmosa, mas que inevitavelmente lembra. Existe também a reação da sociedade, aqueles que odeiam os Powers e os querem mortos, não confiando em nenhum, mesmo os que ajudam. Há os "Power Kids", que são jovens que descobriram seus poderes e se juntam para se divertir e se exibir, e os "Wannabe", que são pessoas fascinadas por Powers e que querem ser um, acreditam ser, mas não descobriram seus poderes ainda e eles são descobertos do nada.

A trama ainda tem um grande foco em um criminoso que todos acreditam que está morto há anos, mas de repente começa a mostrar seu rastro novamente, e uma droga perigosa que passa a ser usada por Powers e deixa seus poderes ainda mais intensos.

Enfim, essa é uma série que como falei, pode gerar reações variadas, em geral não a achei espetacular e viciante, mas pareceu interessante, um universo um pouco forçado, mas ao mesmo tempo muito interessante e que pode ser uma ótima opção mais "calma" pra quem quer algo apenas para se entreter e passar o tempo. Uma coisa curiosa que só descobri depois, é que o seriado realmente é baseado em uma revista em quadrinho que começo a ser publicada em 2000, mas não sei dizer se é fiel.


Nenhum comentário: