Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

terça-feira, 7 de abril de 2015

Entrevista com Hitman - Um drama que me surpreendeu!

Esses dias me deu uma baita de uma vontade de assistir alguma coisa, inicialmente pensei em um filme de terror como sempre, mas logo pensei "Ah... Acho melhor assistir um filme de ação..." e decidi assistir Hitman, baseado no jogo Hitman: Codename 47, e apesar de saber que é um jogo bem estiloso, eu já estava esperando um filme com muitas explosões e tiroteios sem parar, afinal de contas é assim que Hollywood é. Fui ao netflix e procurei, rapidamente achei um tal de "Entrevista com Hitman", um nome esquisito que me fez pensar ser um documentário sobre o filme, talvez um making off, mas não era o que eu queria assistir e assim fui ao google pra ver se não veio com esse nome para o Brasil, e a minha surpresa foi ao achar no IMDB o nome original "Interview with a Hitman" o que me fez confirmar e achar que era o que eu procurava.

A verdade é que acho que o diretor foi bem safado ao escolher esse nome HITMAN em todos os posters do filme, não bastando isso tem um careca segurando uma arma com silenciador. Acho que é possível que quando o filme chegou ao Brasil, tenha confundido os tradutores graças a isso, ou talvez eles seguiram o estilo safado, afinal de contas por aqui é normal se falar "Assassino", "Matador de aluguel" mas Hitman eu nunca vi ninguém falar sem ser em relação ao jogo, portanto acredito que o título poderia sair perfeitamente como "Entrevista com o Assassino" ou algo do tipo. Então em meio a vontade de assistir logo, vi sim que era de 2012 o filme, mas não parei pra pensar muito sobre o que eu procurava ser de 2007 e fui ver. Em dez minutos eu já tinha notado que era tempo demais pra um processo tão lento, e parei pra pesquisar direito e confirmar que aquele não era o Agente 47, comecei a rir mas decidi ir até o fim.

A história apresenta um assassino profissional chamado Viktor, e que acaba se reunindo com um jornalista para contar toda a sua história, começando por sua infância perturbada e em como ainda criança entrou para o mundo do crime e se descobriu como um assassino nato. Como vocês podem ver, a ideia base do filme junto ao título acaba parecendo também uma cópia safada de Entrevista com o Vampiro, só que com um assassino no lugar de um vampiro.

Então a visão inicial que tive do filme foi péssima, parecia ser mais um mockbuster que algum filme com uma gota de criatividade, mas parece que o universo é cheio de surpresas, pois e não é que acabei me deparando com um baita de um filme luxuoso? Esse é daqueles filmes que apresentam as coisas de uma maneira realista, não tem aquela sensação de ficção que é comum se ver em filmes do tipo, tudo segue um rumo que tem os pés no chão e com uma trama super bem montada.

No começo do filme, fiquei chocado com algumas cenas, isso porque uma criança cometendo assassinato em geral já é algo um tanto forte, mas não me surpreende tanto, só que a forma que acontece e o forte sentimento de dor que o filme consegue passar é algo bem intenso. Na hora fiquei bastante surpreso e bateu aquela sensação esquisita de "Nossa... Que coisa mais horrível eu acabei de ver...", só que esse é um dos charmes do filme, não é apenas durante a fase de Viktor criança que isso acontece, mas sim durante vários momentos do filme.

Também é muito legal as reviravoltas e forma que certos elementos se encaixaram bem, é o tipo de filme que você precisa prestar atenção nos nomes dos personagens para fazer as ligações e entender bem as explicações sobre quem é quem e o motivo de certas coisas estarem acontecendo.

Enfim, tá aí um drama fantástico e para aqueles que querem assistir algo com uma história bem trabalhada, certamente um filme safado em pegar certos elementos para chamar a atenção, mas que acaba compensando bem as coisas com um bom desenvolvimento. Recomendo!

Nenhum comentário: