Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Discordianismo - A religião que prega o próprio caos

Imagine você andando pela rua em meio a uma multidão, como sempre você está insatisfeito com alguma coisa, seu trabalho, relação amorosa, problemas familiares, o problema de sempre que faz a sua vida não ser tão gostosa quanto você gostaria que fosse. De repente em meio a multidão surge uma pessoa, ela tem uma maçã dourada na mão e estende, te oferecendo. Assim que você bate os olhos na maçã, sabe que se mordê-la, verá a realidade ao seu redor de uma maneira que nunca viu antes, a maneira real, todas as desgraças e insatisfações de sua vida terão lógica e não haverá mais a quem culpar ou o pensamento de que uma divindade, o destino ou mesmo você é o responsável por aquilo. Você poderá vê o caos, mas depois disso, nunca mais deixará de enxergá-lo, não terá mais para onde recorrer ou se lamentar, e apenas aceitar aquilo que a realidade é, a maioria das pessoas ao seu redor vai achar completamente estranho o seu jeito de pensar ou mesmo te chamar de louco, alguns vão achar insuportável a sua presença. Você morderia essa maçã?

Discordianismo é sem dúvidas uma das religiões da nova era mais bizarras que existe, difícil de entender e ainda mais complicado de adotar, isso porque os próprios textos sagrados são uma verdadeira bagunça e os artigos daqueles que a adotam costumam ser totalmente fora do controle, onde a pessoa escreve facilmente que algo é e não é ao mesmo tempo, e que você precisa enxergar aquilo, sendo que boa parte dos textos te faz sentir que está caindo em uma piada feita pelo autor, o que faz com que muitos não a levem a sério, enquanto outros a veem como genial e limitada apenas a pessoas de mente bem aberta.

Essa religião foi criada no final da década de 1950 e prega que ao contrário do que a maioria das religiões diz, o universo não é para ser visto como um lugar que precisa de ordem que os humanos tem que lutar para deixar tudo perfeitamente organizado e que o desejo de uma grande entidade é ver tudo bonitinho. Ao invés disso a realidade é mostrada como ordem e desordem ao mesmo tempo e que a perfeita harmonia é o próprio caos, que todas as coisas dependem puramente de ponto de vista e graças a isso, as coisas não podem ser vistas totalmente como boas ou ruins, mas sim como maneiras de se ver algo, sendo assim tudo é bom e ruim ao mesmo tempo, tudo é feio e bonito, baixo e alto, doce e amargo. É o próprio caos, e quando a pessoa é capaz de compreender que as coisas ao seu redor são apenas como deveriam ser, ela estará livre, ou não! Ela estará completamente presa! Entenderam? É uma religião sobre essência e onde o tudo e o nada é o mesmo.
Principia Discordia é o livro sagrado do Discordianismo, e muita gente certamente vai se sentir lendo o "Guia do Mochileiro das Galáxias" de uma forma que pode ser aplicada ao mundo real. Isso porque boa parte do livro, isso se não toda, parece falar coisas muito absurdas e ridículas, que podem parecer meramente um grupo de regras que não devem ser levadas a séria, até que vem uma pessoa e explica o que aquilo quer dizer e então o que parecia uma piada passa a ter um baita de um sentido imenso.

A Deusa adorada no Discordianismo é Eris, que também é conhecida como Discórdia e é a deusa do caos Grego-Romana, o que acaba sendo perfeita para o cargo de adoração, já que é exatamente disso que a religião trata, por outro lado nada é obrigado no Discordianismo e assim a pessoa não precisa adorar a ninguém, Eris pode ser meramente simbólica, pois a essência dessa religião é caótica e regras são completamente moldáveis, inclusive não existe a obrigação de ser a única religião da pessoa, podendo assim fazer com que a pessoa adore a um deus e seja Discordiana, mas claro, a pessoa pode sentir uma harmonia com o caos, dando a ele o nome de Eris e ser grato a essa "coisa" que molda o universo da forma que é.

Um bom exemplo das "regras" apresentadas que pode ser levada inicialmente como ridícula, é a "Lei dos Cinco", onde tudo no universo deve obrigatoriamente ser assemelhado ao número cinco, tudo contém cinco ou é ligado ao número cinco imediatamente, sendo que normalmente o primeiro pensamento é a mão, que contém cinco dedos, mas você pode pegar qualquer coisa e deve ligar ao número cinco, por exemplo pensar no seu corpo e pensar em dois braços, duas pernas, uma cabeça, pegar uma tesoura e ver que tem duas lâminas, dois cabos e um meio onde os outros são ligados. Algumas coisas será muito difícil ligar ao número cinco, mas você vai conseguir. Inicialmente isso parece ser algo ridículo, pois poderia se fazer o mesmo com qualquer número, certo? Então ora que algo tão bobo assim? E é nesse ponto que se chega na parte filosófica da coisa. Você certamente já chegou a uma época que viu religiosos falando sobre o fim do mundo. "Caramba, no ano 2000 o mundo vai acabar! Pensa, o número é 2000, vai ser a virada da década, do século, do milênio e ainda vai ter um eclipse solar! Serão DOIS MIL ANOS depois do nascimento de Cristo! Será coincidência? Eu acho que não!", havia muito esse papo, mesmo com a virada real sendo em 2001, mas isso importava? Não! O que importava era a simbologia, os pontos achados, qualquer pessoa pode pegar algo em uma doutrina e ligar esses pontos a qualquer coisa, sendo assim o número cinco nada mais é do que fazer a pessoa enxergar o caos e ver que aquilo meramente são os olhos de uma pessoa vendo algo e querendo considerar como fruto de um projeto maior "Caramba! São tantos pontos juntos que não pode ser errado!".
Os cinco mandamentos do Discordianismo são:

1 -   Não há nenhuma Deusa exceto a Deusa e Ela é Sua Deusa. Não há nenhum Movimento Erisiano além do Movimento Erisiano e ele é o Movimento Erisiano. E que todo Núcleo da Maçã Dourada também é o lar de um Verme Dourado.
2 -    Um Discordiano Sempre Deve Usar o Sistema Oficial de Numeração de Documentos.
3 -    De um Discordiano é Requerido durante o Desabrochar de sua Iluminação que Saia Sozinho e que Coma Prazerosamente um Cachorro-Quente em uma Sexta-Feira. Esta Cerimônia Devocional Que Serve para Quebrar Todos os Populares Paganismos desta Época: dos Cristãos Católicos (Sem Carne Nas Sextas), dos Judeus (Sem Carne de Porco), dos Indianos (Sem Carne Bovina), dos Budistas (Sem Carne Alguma) e dos Discordianos (Sem Pães de Cachorro-Quente).
4 -    Um Discordiano deve Abster-se de Pães de Cachorro-Quente. Pois foi este o Consolo de Nossa Deusa Quando Confrontada com a Esnobada Original.
5 -    Um Discordiano é Proibido de Acreditar Naquilo Que Lê.

Um detalhe engraçado é que nos cinco mandamentos é lido sobre Sexta-Feiras, apesar disso os Discordianos tem apenas cinco dias da semana e eles não são os nossos, o que parece um erro, mas não existem erros no livro, pois tudo é o caos e tudo é e não é, como diz o próprio quinto mandamento, não se pode acreditar no que lê.

O símbolo do Discordianismo se chama "Cao Sagrado" e é igual ao yin yang, porém um lado é branco, o outro é dourado, sendo que do lado branco há uma maçã dourada e do lado dourado há um pentágono. A explicação sobre ele também é completamente confusa, sendo dito que não é como um yin yang e que simboliza tudo que qualquer um jamais precisa saber sobre absolutamente qualquer coisa.

Enfim, tem coisa pra cacete no Discordianismo, muita gente segue pra valer, e se você quiser saber mais sobre, é só comprar o Principia Discordia, abrir sua mente (Você vai precisar) e tentar adentrar na essência transmitida. Discordianos tem uma harmonia com a existência, pois sabem que tudo é culpa deles e nada é culpa deles, então ao se lamentar de algo, no fim das contas vão simplesmente compreender que é como deveria.

3 comentários:

Unknown disse...

Prefiro ficar acreditando no Segredo do Universo, e usando as regras dos "números supremanticos"...

Luiz s correa disse...

Prefiro chamar o Hyoga!

Luiz Guilherme disse...

Essa religião não tem no As Aventuras de Billy e Mandy?