Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

domingo, 16 de novembro de 2014

A terra em que Deus mentiu - Capítulo 01

Esse é um conto interativo, nada tem a ver com os contos que anteriormente publiquei aqui, portanto tentem buscar ligação. É algo mais voltado para o clima de terror com aventura, algo que se passa em um universo de fantasia, portanto não tem nada a ver com "Eu sou Deus" e sem os momentos filosóficos sobre o dia a dia, assim como os capítulos serão bem menores, portanto se você estiver esperando por algo daquele estilo, já aviso que não achará aqui.




Ao final de cada capítulo colocarei opções de escolha sobre como começará o próximo capítulo, os leitores devem votar e podem usar tanto os comentários do facebook quanto do próprio blog. Respostas como "Ah... Estou indeciso entre a 2 e a 4" serão ignoradas, portanto mesmo que fiquem indecisos, se quiserem que seu voto seja contado, coloque apenas um. Para facilitar a contagem de votos, por favor coloque no TOPO do comentário o número e só depois comente, isso porque tem comentários do tipo "Ah eu queria votar no 1, mas o 2 é bem legal só que o 3 acabou sendo mais interessante mas no final das contas eu escolho o 1 mesmo.", na hora da contagem para não ter que ler todos os comentários novamente, é melhor ter já no topo o número escolhido, e evita confusão também. Se der empate, a última opção empatada que tiver recebido voto pela última vez ganha. E por fim, peço que apontem os erros de português, não se sintam envergonhados de apontar meus erros, cometo muitos e é melhor deixar arrumadinho, afinal de contas o povo que começará a ler depois poderá ter uma leitura mais gostosa sem me ver escrevendo coisas como "Nóis é", por isso se não for incômodo, anotem os erros e avisem nos comentários, enfim, aproveitem.
Capítulo 01

É noite, e André se arrasta pelo chão, barro entra em suas unhas, ele vê muito sangue para todo lado e tenta se afastar o máximo possível, porém o estreito morro ao lado da estrada de terra o impede de ir além, ele choraminga, gemidos podem ser ouvidos na estrada, o homem se sente completamente perdido e retira o seu celular, mas não há sinal, o que o faz dizer:

-Merda! Merda! Eu preciso sair daqui, eu preciso voltar pra casa.

Um sonoro som viscoso faz com que o homem olhe para trás e veja novamente a gigantesca asa com penas brancas no meio da estrada de terra. Ele sente um arrepio, mas dessa vez um homem vestido em um manto está ali, usando uma espada, que bate violentamente várias vezes na coisa com asas, até que ela pare de se debater, o homem então se abaixa e parece estar comendo a carne da criatura que acabou de atacar.

Nesse momento, André percebe que pode ser a oportunidade que precisava, e se vira, ele começa a andar em direção a estrada e novamente olha para o horror ali presente. Há pedaços de corpos humanos para todas as partes, cabeças, braços, orgãos internos, e partes que ele nem ao menos consegue identificar, assim como muita madeira e restos de uma carruagem. A ânsia de vômito é contínua, o homem tenta fazer a menor quantidade de barulho possível. Ao olhar para o outro lado da estrada, percebe que há uma descida que dá em uma floresta, mas parece ser perigoso, por isso decide seguir pela estrada, para o lado oposto ao que o homem da espada está.

Enquanto anda, ele percebe que ainda há algumas pessoas vivas, assim como pedaços de cavalos espalhados entre os restos humanos. Uma mulher que teve as pernas arrancadas implora por ajuda no chão, sua voz está baixa, ela parece estar prestes a morrer. André sente pena e começa a se aproximar, porém fica paralisado assim que percebe que nas sombras próximo ao morro, algo se mexe, ele ouve um som metálico e percebe que há alguém ali. Momentos depois pode ver uma pessoa se aproximando, é um homem forte, vestido em uma armadura e com um rosto difícil de ser descrito, talvez devido a escuridão. Parece um cavaleiro medieval.

André dá alguns passos para trás e o homem se aproxima rapidamente, arrancando o celular de sua mão e jogando no chão, depois segurando sua camiseta e puxando bruscamente para olhar mais de perto, para logo depois lançar André no chão, virar a cabeça para o lado e dizer:

-Olhem a merda que eu achei aqui.

O homem que atacou a criatura de asas se levanta rapidamente e olha, enquanto um terceiro surge. Logo o homem de armadura diz:

-É melhor partir logo ele ao meio e sairmos daqui.

André dá um grito de horror ao ouvir isso, mas logo se cala com um forte soco que o cavaleiro lhe dá, fazendo-o cair no chão, após isso recebe um chute na barriga que o faz perder o fôlego e começa a sentir fortes batidas nas costas, para enfim receber um pisão em sua cabeça que o faz gemer sem forças. O terceiro homem se aproxima e fala:

-Espera um pouco, é o que estou pensando?
-Exatamente essa porcaria que tu tá pensando.
-Droga... Isso não é nada bom, mas podemos tirar proveito disso.
-Como? Atraindo mais alados pra mocinha ali comer?
-Não, pense, ele é novo por aqui, pode ser muito útil, podemos usá-lo a nosso favor.
-É você que sabe. - Diz o homem retirando seu pé da cabeça de André e indo em direção a pessoa com um manto.

O terceiro homem começa a arrastar André e o coloca sentado encostado no morro, após isso volta ao lugar onde estava, pega o celular no chão e arremessa em direção a floresta para então ir até um dos corpos e retirar sua roupa. André observa horrorizado quando o homem retorna, lhe lança um manto e diz:

-Veste isso.
-O que?
-Apenas faça o que estou mandando e logo você vai entender direitinho.

Sem forças, ele se veste com o manto fedorento e olha aterrorizado tentando imaginar o que irá acontecer, e o homem começa a falar:

-Como veio parar aqui?
-Eu não sei, eu não lembro, de repente eu vi essas carruagens e fui pedir ajuda e aí eu não sei o que aconteceu que todos começaram a morrer e...

Ao ouvir isso, o homem dá uma sonora gargalhada, como se achasse muita graça do que foi dito e assim fala:

-O azar parece pregar peças em mim, então de repente você apareceu aqui do nada?
-Sim, isso, eu... Eu acho que eu estava em casa... Na rua... Eu não sei, e de repente estava aqui e...
-Calma, calma, calma amigo... - Diz o homem dando mais uma breve risada - Parece que você é exatamente o que imaginei que era, e não apenas um maluco suicida, mas você está com sorte, ou talvez nem tanta assim, porém veja bem, eu vou te dar uma oportunidade de escolha, algo que nem todos tem.
-Que escolha?
-De seguir o caminho que quiser, algo que o meu amigo ali não te daria, mas eu tenho uma visão mais profunda das coisas, então sei que tudo o que você precisa é saber de algumas regras.
-Quais?
-Bom, me diga uma coisa, qual a sua religião?
-O que?
-Não temos muito tempo para isso amigo, portanto vamos direto ao ponto, ok? Portanto sem "O que?" quando você tiver uma pergunta para responder. Agora responda!
-Eu sou católico.
-Ótimo... Bom, bom mesmo, e você é uma boa pessoa?
-Como assim?
-O que foi que eu acabei de falar sobre perguntas estúpidas? - Diz o homem com um sorriso que fica bem sombrio no escuro.
-Eu acho que sou... Eu sempre fui voluntário na igreja e fazia doações, nos dias frios organizava grupos para conseguir agasalhos para doar a mendigos, e também levava comida quente. Era algo voluntário, então acho que sim.
-Pois meus parabéns amigo! Você veio para o céu! Observe que maravilha... - Diz o homem fazendo um gesto de apresentação com a mão esquerda, como se estivesse introduzindo a apresentação de um espetáculo prestes a começar, e ao olhar, André novamente vê a chacina no meio da estrada. - É isso aí, acho que não tem forma mais modesta de dizer. Parece que o céu que todos esperavam não é exatamente o que queriam, mas bom, nós nos viramos com o que temos, não é mesmo?
-Eu não estou entendendo.

O homem se senta ao lado de André e coloca o braço por cima de seus ombros, como se desse um abraço camarada, e desliza a outra mão no ar dizendo:

-Toda essa maravilha que você está vendo é o que chamamos de Reino do Éden, e o que você deve estar se perguntando agora é "Mas... Mas e Deus? E todas as promessas? E o que ele falou sobre um lugar de maravilhas e onde não há morte... Eu fui uma pessoa tão boa e pura em minha vida, como posso vir ter parado aqui?", pois é meu amigo, essa aqui é a terra em que Deus mentiu! Chato, né? Você é mais um dos felizardos que descobriram que o criador tem um senso de humor sádico, porém se você leu a Bíblia, já devia saber muito bem disso, afinal de contas já viu histórias como a de Abraão? Quero dizer "Mate seu filho pra provar sua fé"? Aquilo é loucura cara, não era mais fácil ele só olhar no coração do cara? O nosso salvador também gosta de se divertir!
-Ai meu Deus... - Diz André imaginando que de alguma maneira acabou nas mãos de psicopatas e que pode morrer a qualquer momento.
-Pois é... Mas fazer o que? Então vamos para algumas regrinhas básicas, eu não me importo com o seu nome, e ninguém se importa também, então como é tradição aqui, o primeiro a encontrar algum infeliz novato nessas terras, o batiza. Seu nome será Ladur, por isso esqueça o seu nome antigo, ninguém te chamará por ele, e você nunca deve falar em voz alta.
-Do que você está falando?
-Eu não sei em que ano você nasceu, mas por aquele objeto que eu peguei e joguei fora, percebi que é de uma era tecnologicamente avançada, e como você pode ver, aquilo ali é uma carruagem, e aquelas vestes de meu amigo é uma armadura, ou seja, não deve parecer nada moderno pra você. Isso porque o nosso senhor impôs algumas regrinhas nesse lugar, nós todos devemos viver como se estivéssemos na era medieval, claro que podemos falar de coisas como nossas vidas anteriores a essa maravilha, ou tentar fazer criações avançadas demais para aquela época, não há nada que impeça, exceto... Que há um pequeno castiguinho a ser dado. Está vendo aquela coisa de asas ali? Pois é... Ela sozinha destruiu essa caravana inteira e matou todo mundo, chato né? E sabe por que? Digamos que para o meu azar, alguém estava vestido de forma nada adequada para a era medieval, e alguém estava empunhando um aparelho um pouco avançado demais. Isso atrai essas incríveis criaturas aladas, e a propósito, venha ver de perto como são belas.

O homem se levanta e segura André pelo pescoço, ele estremece e se levanta muito dolorido, os dois começam a se aproximar e logo que estão bem perto da enorme asa, diz:

-Olha que maravilha.

André solta um grito de horror que logo é abafado pela mão do homem, que tapa com força. A criatura é enorme, muito maior que um homem normal, veste um manto branco, e no lugar de sua cabeça, há um enorme nariz com uma boca em baixo. André tenta se afastar o homem diz:

-Bonito né? Mas os anjos são meio nervosos por essas redondezas... Digamos que eles odeiam os humanos com todas as suas forças e querem destrui-los, esse aí é só um exemplo, a classe desse narigudo se chama "Virtude", normalmente atraída por aromas gostosos, você não está cheirando tão bem assim, mas vai saber né?
-Que... Que droga... - Diz André olhando para a realista criatura no chão e se lembrando que a viu descer e atacar ferozmente as carruagens que passavam pelo lugar. Pensando também na possibilidade de tudo aquilo ser real, e também em estar ficando louco.
-Agora a parte boa da coisa, a Virtude não te devorou! E você encontrou ótimos amigos aqui! Então eu vou te dar algumas escolhas, você pode vir conosco, nos ajudar e em breve te venderemos como escravo, ou você pode ir para o lado oposto da estrada e arriscar a sorte. E antes que pergunte, não, nós não iremos negociar com você. Eu sei que você preferiria muito mais uma recepção de pessoas amistosas, mas o Éden não é bem um lugar para se confiar nas pessoas, você entende né? É preciso ganhar a vida por aqui, as coisas são meio complicadas, mas a parte boa é que você terá proteção, e aí, o que diz?

1 - Ir com os homens para ser vendido.
2 - Ir para o lado oposto.
3 - Tentar negociar.
4 - Ser rude e mostrar que não está nem um pouco com medo para tentar ganhar o respeito dos homens.

Como vocês já devem ter deduzido, essa é uma história que se passa no mesmo universo do livro "O céu não existe". Por favor apontem os erros que cometi, e se realmente quiserem que uma opção ganhe, argumentem o motivo, isso pode convencer outras pessoas. Vocês tem até amanhã 17/11/2014 para votar.

11 comentários:

Danillo henrique do vale disse...

1-ir com os homens

666Barao disse...

4-ser fodão

Dorgado disse...

4

Danillo henrique do vale disse...

a historia nem começa e o pessoal quer matar o carinha :( chato isso ,
gente vamo leva a historia mais a serio

Dominique#JB disse...

2
Ótimo conto! Acho que ele deveria ir sozinho e tentar a sorte, nunca se sabe em quem confiar...

adventista com muito orgulho! disse...

4-Cara não acredito que temos uma nova historia, e estou fazendo parte dela, kkkkk.
Bom ele deve impor respeito, e mostrar que não é um humano comum hehehehe

Miya Seat Lee disse...

2 - Afinal, já sabendo as regras, quem precisa de uns broncos?

Já apontar erros de português não é tarefa fácil. Como não dá para copiar e reenviar já alterado, não posso ajudar muito...
A maior parte se trata de erros de pontuação e acentuação. Importante: Linha 19, deScida e ao se utilizar de "porém", deve-se por a vírgula antes e depois! Há também algumas questões estilísticas...

Mas está muito bom, parabéns!

Skywalkerpg disse...

Arrumei o descida, valeu. =D

GCL gameplay disse...

Desculpe está respondendo logo no capítulo 1 já que estamos atualmente no capítulo 51 mas eu queria fazer uma pergunta

Você queria ver essa história A terra que deus mentiu em forma de anime? Se sim fale aqui com migo,su não fale sues motivos vlw

Skywalkerpg disse...

Bom, legal certamente seria, mas acho que com a concorrência dos próprios japoneses para terem suas histórias transformadas em animes eles não ligam muito pra histórias de gringos, especialmente os desconhecidos e pobres kkkkkkkkk.

GCL gameplay disse...

Poise mas eu sempre tenho uma frase para isso "Nos sempre devemos sonha grande" até pq não vai demora muito pra a história dessa vira uma animação ou anime com a história quase ingual ou elas mesma,por isso devemos se os pioneiros(criadores) de uma história tom boa como essa que eu sempre penso seria os personagens até pq eu tenho um amigo que desenha a nível de mangás e quando eu falo sobre essa história sempre sai algo com qualidade boas de criação poise mas é isso aí

Faleu