Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Millennium 2 - Take Me Higher

Esse jogo é a sequencia de Millenium A New Hope, mas acaba servindo muito bem como jogo independente, já que apesar de ser a continuação, não é bem aquele tipo que você não entende absolutamente nada se não tiver jogado o título anterior, no entanto naturalmente é bem recomendável que se jogue o primeiro, afinal de contas uma coisa ou outra acaba tendo ligação que é mais naturalmente absorvida quando se viu a história desde o início.

Mais uma vez você assume o papel de Marine, mas dessa vez você já começa com um grupo, incluindo a fiel fada que usa sua orelha como moradia. Acredito que muita gente vai acabar achando a história familiar, isso porque ela lembra bastante histórias baseadas no filme de Akira Kurosawa "Os sete Samurais", como por exemplo o anime Samurai 7. Digo isso porque na trama você tem que ajudar o seu povo, que é pobre e isolado dos ricos, e assim é preciso que você ache 12 guerreiros para vencer os 13 senhores que dominam tudo.

O jogo em geral se mantém no mesmo estilo já adotado no primeiro, portanto ele foi também feito no RPG Maker e ainda é possível se fazer toda uma configuração da jogabilidade, como por exemplo os monstros serem visíveis ou aparecerem de forma aleatória. Uma coisa interessante é que qualquer um pode jogar de forma tranquila, pois os níveis de dificuldade vão desde muito difíceis até ridiculamente fácil, como no chamado "Modo história" que é para aqueles que querem mais aproveitar a trama do que o jogo mesmo, nesse modo os bônus são bem absurdos e deixa bem relaxado para quem não for um jogador muito bom.

Graficamente eu não vi uma grande evolução, o estilo continua o mesmo do primeiro jogo, parece que muitas coisas foram reaproveitadas aqui, no entanto é notável que existe um certo aperfeiçoamento em tudo, mas nada assim que faça você sentir que está jogando uma continuação completamente renovada, é mais para uns retoques mesmo. Apesar disso os elementos foram usados de uma forma que deixa tudo bastante fluído, é legal ver efeitos que colocaram para acontecer durante certos momentos, com coisas grandes acontecendo no cenário.

Por outro lado o combate continua da mesma forma que no primeiro jogo, o que eu realmente acho que deveria ter sido aperfeiçoado, já que ele usa é aquele sisteminha que tanto conhecemos onde somente aparecem as imagens dos personagens e não os seus corpos se movimentando e saltando durante os ataques, tudo isso se passa em turnos.

Enfim, fica aí essa dica de jogo no estilo RPG Maker, naturalmente acaba sendo mais atraente para aqueles que gostam mesmo do gênero, pois se você não se atrai, certamente não irá achar esse melhor, já que não existe uma inovação realmente relevante no jogo, por outro lado para quem quer jogar algo com um toque clássico, pode ser um bom investimento. Para quem se interessar pode dar uma conferida no site oficial do jogo.

Um comentário:

Ruan Carvalho disse...

Já viu Corpse Party?