Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Dead Effect - O jogo que te fará gritar feito uma garotinha

Tem alguns jogos que eu começo a jogar e penso "Nossa, que atmosfera fraca..." no entanto existem outros que o meu pensamento constante é "Meu Deus do céu... EU ESTOU MUITO FUDIDO!" e esse é exatamente o caso de Dead Effect, um jogo de terror muito assustador que me fez tremer na base e ter medo de atravessar cada novo local, sempre tentando imaginar o que está por vir ou o que poderia estar me perseguindo.

A história realmente me atraiu muito, não é algo inovador, porém é o tipo de trama de ficção científica que me atrai, lembrando filmes como Alien e Pandorum. Aqui é apresentado uma nova tecnologia de se viajar na velocidade da luz, para colonizar pela primeira vez um planeta, esse se chama Tau Ceti f, no entanto repentinamente um dos soldados desperta de sua câmara criogênica e estranha ao perceber que não chegou ao destino, mas as coisas pioram ao descobrir que parte da tripulação está morta, e a outra te ataca violentamente assim que te vê.




É inevitável lembrar de DOOM 3 com esse jogo, simplesmente há muita semelhança visualmente, apesar de que o jogo consegue ser mais bonito, visto que saiu muitos anos depois e houve uma bela evolução gráfica. Mas a semelhança não é algo negativo, afinal há muitos jogos parecidos por aí, e o visual é realmente espetacular, cheio de detalhes e um clima sombrio que combina demais com o que o jogo transmite. Por isso há luzes que se apagam, diversos efeitos de partículas, tremedeira, é um verdadeiro espetáculo visual.

A jogabilidade é de um jogo de tiro em primeira pessoa à moda antiga, porém com um baita de um clima de terror realmente assustador. Portanto creio eu que a maioria não ousaria apenas sair correndo e atirando, o jogo é capaz de te fazer gritar muitas vezes e dá um enorme nervosismo, graças a isso se você vê um corredor escuro, já acaba te fazendo pensar "O que eu encontrarei ali?", e isso é algo simplesmente magnífico para um jogo de terror, um clima realmente pesado e atraente!

Há armas que podem ser melhoradas, e cada uma tem as suas vantagens e desvantagens, depende de cada jogador sobre o que é melhor usar, e claro também depende da munição. Os inimigos são simplesmente medonhos, apesar de lentos, eu senti minha mão tremer ao mirar para alguns vindo andando bem lentamente em minha direção, e quando percebi que eles podiam pular a qualquer momento e se mover rápido, nem preciso dizer que o desespero tomou conta rapidinho hahaha.

O áudio do jogo ficou ótimo, algo realmente importante em jogos de terror, visto que a atmosfera é necessária, portanto sons de portas abrindo, barulhos esquisitos vindo certos lugares, e claro os assustadores sons dos inimigos acabam te transportando de forma intensa para essa atmosfera, capaz de te fazer muitas vezes começar a imaginar o que está por vir antes mesmo de poder ver.

Por incrível que pareça o jogo é um port de uma versão móvel, algo que me impressionou, pois apesar de ter sido aperfeiçoado para a versão de computador, eu jamais iria imaginar que antes ele foi lançado para uma plataforma tão menos potente. Mesmo assim a equipe foi bastante cuidadosa, não lançando de qualquer jeito. Eles lançaram primeiro como "versão antecipada" na steam, para dar uma polida a mais no jogo, algo que é digno de palmas, visto que a maioria das empresas é desleixada ao fazer ports.

Enfim, Dead Effect é um bom jogo de terror, com certeza muita gente vai amar e eu recomendo com certeza, gostei dele de uma forma geral, ótimos gráficos, jogabilidade assustadora, porém é também um jogo mais para passa tempo do que algo extremamente marcante, se você é fã de Ficção Científica Espacial certamente vai gostar. Vale a pena dar uma conferida no site da G2A, pois lá eles costumam vender keys da steam por um valor bem mais barato que na própria steam e ainda aceitam boleto bancário. Dê uma conferida no preço que tá lá, clicando aqui.

Nenhum comentário: