Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

The Typing of The Dead: Overkill - Um jogo tarantinesco

Existem alguns jogos que fazem um baita esforço para apresentar uma história séria e estilosa, que todos notem o quanto é sombria, porém existem outras que os criadores aparentemente falaram "Quer saber? FODA-SE!" e criam a história mais zuada possível, indo ao extremo da tosqueira. Esse é bem o caso do fantástico The Typing of The Dead: Overkill.

Eu tenho que assumir que nunca fui muito fã de The House of the Dead, sempre me pareceu meio superficial a ideia da câmera se mover sozinha e eu ter apenas que apontar e atirar. No entanto assim que eu vi o trailer desse jogo, fiquei ansioso para experimentar, isso porque é notável que o visual de grindhouse foi completamente intencional e acabou ficando muito bem com a franquia, gerando um jogo que mistura esse tipo de jogabilidade tosca com uma história digna de filme trash.

Para quem assistiu Planeta Terror, definitivamente irá sentir uma enorme semelhança, aliás se eu por acaso tivesse visto o trailer e no final colocassem que era um filme baseado no jogo, definitivamente eu não iria suspeitar em momento algum que não era.

A história apresenta um agente fodão conhecido apenas como G e um policial playboy que não para de xingar. Os dois se odeiam, no entanto acabam unindo suas forças para combater um gênio maléfico que está fazendo experiências e trazendo mortos de volta à vida.

A jogabilidade é clássica, mantendo o contínuo tiroteio em uma tela que se mexe sozinha, além de colocar alguns bônus espalhados pelo cenário, por exemplo você pode atirar em um pacote de vida se estiver machucado, no entanto é necessário ser bastante ágil nesses momentos, já que a câmera pode chegar ao seu limite de tempo apontado para um lado e mudar de posição, ou mesmo o tempo que você pode gastar em um pacote, pode ser o suficiente para inimigos se aproximarem e te atacarem.

Existe um sistema de atualizações, portanto você pode coletar dinheiro durante os cenários e fazer com que a sua arma fique cada vez melhor, pagando uma quantia para que dê mais dano, tenha um pente maior de munição, ou mesmo diminua o recuo, permitindo que você tenha uma precisão maior a cada tiro.

Durante o jogo, as coisas mais estranhas acontecem e piadas são inevitáveis, gerando belas gargalhadas, por exemplo quando vocês matam um mutante voador com poderes telpáticos, ele cai no chão e fala pros dois dizerem à irmã dele que a ama. Mas o que realmente deixa o policial impressionado é o fato da aberração falar sem mover a boca hahaha.

Não jogue esse jogo perto de pessoas respeitosas, isso porque não é apenas a quantidade de sangue, mas o palavrão rola solto e isso não se resume aos momentos em que você está jogando, por exemplo já no menu inicial aparece um narrador extremamente tosco dizendo o que o povo que faz análises do jogo acharam, e saem coisas como "Eu quero chupar o cacete de quem criou esse jogo" hahaha.

Enfim, ta aí um jogo muito divertido e que certamente vai gerar belas gargalhadas, além de ser ótimo para passar o tempo sem compromisso, apenas metendo bala sem parar. Quem se interessar clique aqui.

Um comentário:

Vinicius Magalhaes da Silva disse...

Eu também sou dono de um site do blogspot mas o meu não tem ligação no google nem nada mas tem um relato de um fã que eu achei bem interessante de um fã vai em aconteceu com migo uma vez eu não sei mas ele pediu pra eu escrever do geitinho que ele escreveu na postagem e foi isso que eu fiz