Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Cognition: An Erica Reed Thriller - Um jogo viciante!

Sabem aqueles jogos que você está lá cumprindo algum objetivo e então diz para si mesmo "Eu só vou fazer mais isso e então vou sair do jogo." mas então você cumpre o objetivo e começa outro e diz a mesma coisa, e quando vai ver já se passaram duas horas e você ainda não saiu do jogo? Pois é, definitivamente esse é o caso de Cognition, um jogo que achei envolvente e viciante demais. Acredito que até mesmo aqueles que não gostam de point and click ficarão viciados nesse porque ele consegue ter um estilo que te prende.

Quando eu vi o primeiro trailer desse jogo, achei legal, parecia atraente e fiquei com vontade de experimentar, mas eu nem imaginava o quanto ia achar divertido esse jogo. Ele é um point and click cheio de ação e tensão, fazendo com que mesmo o público de jogos mais agitados se atraia por ele.

Você controla a agente do FBI Erika Reed e é obcecada para encontrar um assassino em especial, sendo assim ela tenta ligar todos os casos que participa a esse assassino. Os vilões do jogo são bastante estilosos, o que acaba lembrando alguns filmes antigos de psicopatas em que eles cometem seus crimes de formas diferentes.

A cena inicial do jogo já é toda cheia de adrenalina, com você perseguindo um assassino e estando prestes a pegá-lo, tudo acontece muito rápido e há uma música de fundo que torna o momento bastante épico, fazendo com que você se apresse em finalizar o objetivo. Assim que essa cena passa, você tem uma apresentação com uma surpresinha e então vem esse vídeo aqui (assistam porque vale a pena):
É isso aí galera! O jogo é apresentado em forma de série de TV, ele é dividido em episódios, sendo que cada um dos episódios você tem que resolver um caso diferente e tem essa abetura, vão dizer que não é de arrepiar ver algo do tipo? Simplesmente é muito empolgante a forma de apresentação que a equipe do jogo escolheu pra apresentar ele.

Erika também tem um segredo, ela tem algumas habilidades psíquicas, que a permitem observar o lugar e rever alguns acontecimentos bastando tocá-los, isso faz com que o jogo fique extremamente envolvente porque você só tem visões de uma certa parte do acontecimento, sendo assim às vezes você precisa rever diversas vezes uma cena e tentar interpretar ela. Não bastando isso, você pode também fazer uma combinação de elementos do lugar e fazer uma projeção de algo que antes estava presente no lugar para observar melhor, por exemplo tem um lugar no primeiro caso em que você escolhe uma corda amarrada em um cano, uma mesa pouco a baixo dessa corda e um bocado de sangue na parede e tenta ligar esses elementos, isso fará ser projetado um homem enforcado na sala, e assim você possa olhar diretamente pra ele e tentar entender direito o que ocorreu. E algumas dessas visões ainda são bastante agressivas e confusas, podendo inclusive assustar e te fazendo pensar bem se você quer clicar de novo no botão pra ver, já que pode surgir um enorme olho na tela junto com um grito e uma série de flashs confusos.

Apesar de ser um jogo point and click, ele não para e há momentos que você tem mesmo que interagir, por exemplo se você for dar um tiro em um lugar, a visão pode mudar pra primeira pessoa e assim você tem mesmo que mirar, te atacam, você tem que usar o mouse e interagir com os elementos presentes no ambiente para que você possa fazer coisas diferentes, porém escolher a coisa errada ou demorar demais pode resultar em sua morte.
Durante as investigações você consegue uma série de contatos e vai aumentando sua quantidade de opções de interação, assim como adicionando eles a sua lista do celular, dessa forma quando você estiver e algum problema, pode ligar para alguns deles sem ter que ir até certa parte da cidade e falar pessoalmente, isso torna o jogo muito mais vivo e faz com que você se sinta realmente investigando o caso.

O jogo tem gráficos que usam o estilo cell shader, deixando assim com uma enorme cara de histórias em quadrinhos, não bastando isso ele realmente usa técnicas do estilo, e assim as falas são ilustradas em quadros comuns em HQ's e também em alguns momentos enquanto outros personagens falam, surgem quadrinhos na tela apresentando eles conversando com você.

A música do jogo é impecável, realmente envolvente e muitas delas ficam na cabeça, deixando o clima perfeito para cada momento, assim como a dublagem é bastante convincente, muitas vezes me peguei pensando se os personagens eram parecidos com os dubladores, pois as vozes são realmente bastante vivas.

A única coisa que eu realmente não gostei no jogo foi a falta de atalhos para certas coisas, você tem que controlar tudo pelo mouse e isso desagrada muito, não é legal ter que movimentar o ponteiro até o botão de menu e clicar nele toda vez que você for usar, principalmente quando você não sabe o que fazer e tem que ficar testando. Mesmo assim não é algo que chega a irritar, mas que faz falta.

Enfim, aí está um jogo que definitivamente você precisa jogar porque a diversão é garantida, eu comecei a jogar pensando que era apenas mais um point and cilck, mas fiquei realmente surpreso em como esse jogo foi feito com carinho e cria uma atmosfera extremamente envolvente, vale a pena!

Um comentário:

Helder Nascimento disse...

interessante pacas.
faz tempo que eu num jogo um jogo com essa emoção...