Splatter é um jogo bizarro que parece ter saído de uma creepypasta (Medo de epilepsia)

Antes de tudo, se você for epilético, recomendo deixar essa matéria agora... Mas se ficou, primeiro dê uma bela olhada no nível de estranheza desse jogo para você ter uma ideia do que estou falando... De vez em quando nos deparamos com um jogo realmente esquisito. E Splatter definitivamente é uma obra que parece ter saído direto dos confins da deep web. Ele passa a sensação de que é uma daquelas obras aleatórias feitas por alguém desconhecido e que é tunado de mensagens subliminares para dominar sua mente e que vira uma creepypasta.
 
Você já deve ter ouvido uma dessas histórias sobre alguém que descobriu um jogo na internet e foi testar por acaso, mas logo começou a notar coisas estranhas. Histórias assim são naturalmente intrigantes e a explicação para existirem estouro nas vendas de obras como O livro maldito: Creepypastas macabras e contos de terror, que virou uma febre. E esse aqui é algo que realmente se parece com o que é descrito nessas histórias sinistras, pois te faz se perguntar "Mas o que diabos eu acabei de jogar?".
Eu já vi jogos com avisos para pessoas fotossensíveis muitas vezes, no entanto esse aqui realmente me preocupou. Como já presenciei pessoas que nunca tiveram problemas antes, do nada tendo um ataque epilético, se tem algo que me preocupa pra caramba, é olhar cores psicodélicas por aí e ter um ataque. Se você já ouviu falar do polêmico episódio de Pokémon que mandou 700 crianças para o hospital, vai começar a se preocupar também.

E Splatter definitivamente é uma experiência psicodélica das mais  esquisitas, com mudanças absurdamente rápidas de cores e distorções na imagem que fazem parecer um vídeo corrompido. Tudo isso acompanhado de uma poluição visual super exagerada no HUD que é difícil acompanhar toda a informação. Além de uma música psicodélica que te faz se sentir como um usuário de ácido.
A desenvolvedora Rat King Collective decidiu fazer um jogo indie que parece tentar colocar toda a essência de alguém sob efeito de alguma droga psicodélica, mas ao mesmo tempo um certo toque sinistro de obra obscura que você tenta acompanhar que tipo de mensagem exatamente está sendo passada ali.
 
Já na primeira abertura de jogo, notei isso, com uma mensagem dizendo que iriam tirar uma screenshot do meu PC, pois detectaram que eu estava em live, já que joguei ele pelo meu canal do Nerd Maldito na Twitch. E claro que já veio uma desconfiança enorme, né? Afinal de contas, por que precisam tirar uma foto do meu PC?
Depois apareceu um termo de uso bem fácil de ler, com letras enormes e em cada linha um detalhe do tipo de coisa que eu encontraria, mas com coisas que iam ficando cada vez mais sinistras. Na medida em que fui descendo, resolvi mudar o nome da live pra (+18), porque notei que ali a bizarrice não seria economizada nem um pouco, sendo com certeza um jogo estranho.
 
Na real, na hora que a coisa ficou estranha demais, resolvi ver o que acontecia ao clicar em NEGAR. E o resultado foi uma simulação da tela do meu PC, com uma quantidade enorme de pop ups antes de fechar. E inclusive esse jogo bizarro conta com popups como parte da estética, tem até um botão de dar tapa pra você bater nos pop ups. E sim, as propagandas nele são um tanto esquisitas demais...
Na primeira fase após o tutorial, você é colocado em um clube, com música psicodélica tocando, cores vibrantes e a tela distorcendo o tempo todo. E em cima a mensagem "Cometa assassinato". Os inimigos não parecem seres humanos, parecem humanoides enormes, aliens talvez? E tem símbolos de janelas em seus rostos.

Eu me pergunto se tudo isso significa algo ou se não significa nada e só é o resultado de alguém em uma viagem psicodélica. Porque é difícil não lembrar daquele ditado sobre os olhos serem as janelas para a alma, e que em um surto psicodélico, alguém pode deixar de ver humanos e ver outras coisas assustadoras tentando vir pegá-la. Me lembrou muito a cena de Serial Experiments Lain, onde aparece um gamer surtado no clube Cyberia, atirando nas pessoas.
O jogo tem muita informação mesmo, com um clima de anos 90, parecendo algo muito velho, com gráficos que lembram o CGI de jogos daquela década. Cheio de elementos sem textura. E um pager/bipe, onde você recebe notificações com os novos objetivos. Sempre pedidos muito estranhos como "Sinta o amor" ou "Re-energize". Às vezes o jogo te faz pressão pra você matar mais rápido, e a forma com que as coisas se movimentam, cambaleando e de repente pulando em cima de você, faz bater um nervoso com elas se acumulando.

Em um certo ponto do jogo, começa a mostrar narrativas, como o cara comentando sobre a primeira vez que jogou esse jogo. Já em outra fase, a coisa parece mais um programa de TV estranho sobre matança, enquanto mais adiante, você conta com um tipo de guia sobre meditação, te mandando relaxar enquanto mata. Algo curioso é que você não usa uma arma, você usa sua mão, apontando de formas diferentes pra indicar ataques diferentes.
Esse jogo esquisito facilmente entraria na mesma categoria de obras como Selfie : Sisters of the Amniotic Lens e //N.P.P.D. RUSH//- The milk of Ultraviolet. Eu acho que deveria inclusive existir um gênero pra esses jogos psicodélicos que parecem ter vindo direto do submundo. A quantidade enorme de informação e sensação de que estão fazendo uma lavagem cerebral em você é constante.

Enfim... Se você quiser se sentir como se estivesse em 2001 vagando escondido da sua mãe de madrugada e então achasse um jogo de PC em um fórum obscuro e decidisse testar, certamente vai gostar desse aqui. Splatter está disponível na Steam. Caso queira comprar jogos baratinhos, recomendo sempre dar uma olhadinha no preços das keys da Steam (e outras lojas) à venda na GMG, muitas vezes os preços deles estão bem abaixo do normal, e comprando keys lá, você acumula XP, que gera várias vantagens como descontos extras nas próximas compras e até jogos grátis! Dê uma conferida aqui.

Postar um comentário

0 Comentários