The Plucky Squire faz o jogador viajar entre a graciosidade do 2D e 3D

Existiu um momento em que o 3D começou a substituir o 2D até perceberem que nem sempre significava que era melhor, e então voltamos a ver jogos 2D maravilhosos e mais atraentes do que muitas obras genéricas, tanto que tem aquela lista de 100 jogos 2D com visuais maravilhosos. No entanto chegou a um ponto em que perceberam que já podíamos ir além e usufruir dos dois e por isso jogos como FEZ encantaram o mundo e The Plucky Squire é um desses  jogos que quis ir além.

The Plucky Squire parece ter sido feito com foco em mostrar toda a emoção de jogar um jogo na infância, com muitos dos principais elementos. Personagens fofinhos, música animada, gráficos coloridos e uma jogabilidade agitada. Além da história focada em contos de fada e dando uma variada realmente notável na jogabilidade.
O que mais chama a atenção naturalmente é a própria variação da jogabilidade, colocando você no papel de um jovem herói de um livro de histórias ilustrado. E nessa parte o jogo é em um 2D realmente muito bonito. Porém quando o vilão descobre que ele é o cara malvado e que o seu destino é perder, resolve outra estratégia, que é expulsar o protagonista do livro.

E assim o jogo acaba mudando para 3D em um visual incrível, se passando em um quarto de criança. E a coisa chama a atenção exatamente nesse mistureba. Quando o jogo foi anunciado para PC, Switch, PS5, Xbox Series, o povo foi à loucura. Confira:

Postar um comentário

0 Comentários