Ghostland | Horror que apresenta o limite da sanidade

Achei super curiosa a proposta desse filme. Hoje em dia existe uma legião de fãs da obra de H.P. Lovecraft, e aqui o que temos não é uma adaptação de suas obras, mas algo que explora a essência da loucura sem ser algo necessariamente lovecraftiano, mas também apresentando uma fã dos Mitos de Cthulhu.

A princípio a história é bastante padrão com uma família (uma mãe e duas filhas) se mudando para uma casa onde uma tia faleceu e deixou o lugar como herança. É um ambiente novo em uma cidadezinha rural onde vão ter que começar tudo do início, mas assim que chegam, não há tempo nem pra arrumar as coisas e a casa já é invadida para então uma chacina começar.

Esse filme é do mesmo gênero de filmes de Os Estranhos e Você é o Próximo. Ou seja, tem aquele climinha super agonizante de personagens lutando loucamente para sobreviver e tomando tanta porrada que o rosto se deforma. É o tipo de obra que obviamente não é para qualquer pessoa, pois incomoda em sua essência as cenas realistas de espancamento e pressão psicológica.

Mas o que diferencia a coisa é o toque de insanidade adicionado e que em um certo ponto chega a lembrar Layers of Fear, com aquelas mudanças estranhas e algo que antes estava em um lugar e de repente não está mais. Além disso explora como a mente pode ser tanto um refúgio quanto uma prisão para uma pessoa louca.

Acho que exploram de uma maneira muito interessante a ideia de trauma. Vemos muito frequentemente personagens que ficaram traumatizados com algo, mas essa apresentação costuma ser pelo lado de fora e quando mostra o ponto de vista da pessoa é algo rápido e sem muito foco, tipo ela vendo uma alucinação.

Apesar de tudo é um filme que vai direto ao ponto, sendo assim é daquelas obras que talvez você tenha que digerir um pouco pra saber se gostou ou não. No meu caso eu já terminei desconfiando que tinha me agradado bastante e agora que passaram alguns dias, vejo que de fato deixou uma boa impressão com aquele toque diferencial que falta tanto na maioria dos filmes, porém entendo quem não agradar, afinal de contas é um filme com uma experiência rápida e frenética, podendo deixar a sensação de que falta algo.

Outro detalhe é que é que esse filme parece meio hipster. Não sei dizer bem o que é que o define assim, talvez a sensação de um grupo de apenas mulheres em uma "aventura", não sei... Mas me passou bastante aquela essência de filmes como It Follows e Southbound, não que a história tenha algo a ver, mas me passou aquele climinha de algo meio independente, mas com um certo investimento.
Enfim, no Brasil estranhamente o filme recebeu dois nomes, A Casa do Medo - Incidente em Ghostland e Pesadelo no Inferno. Vai saber o motivo né? Me agradou bastante, mas acho que vai realmente variar de pessoa pra pessoa, além de obviamente também depender do gosto por esse tipo de gênero mais brutal.

Postar um comentário

0 Comentários