A streamer que perdeu contrato por acusação de preconceito contra homens

À partir da segunda década de 2000, minorias e grupos rebaixados pela sociedade ganharam voz. Acredito que a maioria concorde que as pessoas merecem e devem lutar para serem respeitadas. No entanto o que gera brigas é a forma com que essa luta deve ser feita. Muita gente considera exagerada a forma que alguns se manifestam, enquanto outros acreditam que só parece exagero porque quem é contra nunca teve que passar por isso. Mas às vezes esses argumentos podem ser usados de forma inversa, e foi exatamente o que aconteceu com a streamer Gabi Cattuzzo.

Como vocês devem saber, barracos envolvendo a luta para o direito das mulheres são comuns, mas normalmente essas tretas relacionadas a sexismo costumam ter homens como centro das atenções, como o youtuber que ficava matando de formas bizarras a feminista de Red Dead Redemption 2. Mas naturalmente  isso não é regra, e assim homens também podem se irritar com atitudes sexistas.



Mas bom, tudo começo quando Gabi postou uma foto em um touro mecânico no twitter e um seguidor comentou “pode montar em mim à vontade”. Isso a deixou muito irritada e respondeu “Sempre vai ter um macho fodido para falar merda e sexualizar mulher até quando a mulher tá fazendo uma piada, né?”. Até esse ponto tudo ok, afinal de contas convenhamos né? O cara falou safadeza e a garota ficou puta. Mas o resto do comentário é que chamou a atenção: “É por isso que homem é lixo”.

Claro que como foi algo que falou em público, o público acabou se envolvendo né? E um rapaz disse "Poxa Gabi tbm nao precisa generalizar : ( ". Mas foi a resposta que causou a ira do povo: "Precisa Sim. Quando a gente fala esse tipo de coisa vem os caras "ai mas não generaliza, não é todo mundo" e na PRIMEIRA oportunidade fica sendo escroto com mina. Homem que não é MERDA é exceção, não maioria. Tem que generalizar mesmo pra ver se esses filhos da puta acordam.". Aí começou a treta entre com o público, e a youtuber "Fala Ayu" tirou uns prints e mandou pra Razer, aqui:


Tudo esquentou ainda mais com uma petição pública para a Razer acabar com o contrato, fazendo Gabi deixar de representar da marca. Claro que no meio de uma treta dessas a coisa não demorou a andar e nem ficou sob os panos. E rapidinho chegou a 1000 pessoas, o que se você parar pra pensar, é uma quantidade cabulosa para alguém que não é um desses influenciadores surrealmente famosos.

Obviamente, marcas não querem ficar relacionadas a polêmicas negativas, tipo aquela influenciadora digital que quebrou uma estátua de 200 anos e perdeu o emprego. Pois é... Aconteceu algo semelhante a Gabi, que apesar de não ser demitida da coisa, a Razer disse que o contrato estava para acabar e que não renovaria. Isso sem contar como a imagem da moça que ficou marcada negativamente né? Dificultando negociações com outras empresas. Aqui a carta aberta da Razer:

Mas claro que isso não podia parar por aí, já que a internet gosta de sangue. E opiniões surgiram dos dois lados. Um começou a fuçar toda a história digital da garota e trazer vídeos de comentários, postagens, tudo que pudesse prejudicá-la. Outro apareceu para protegê-la e se manifestar contra a atitude da Razer, dizendo que isso foi injusto também gerando um boicote com a marca.
Gabi fez um pedido de desculpas em relação ao acontecimento: "O cara comentou algo desagradável, fiquei putassa e respondi de forma 10x pior e babaca 🤷‍♀️ Não tem muito a se dizer, só que foi um comentário desprezível da minha parte e que estamos aí tentando melhorar, né?". E como na internet é cheia de gente perigosa, ela anunciou que ia dar um tempo de redes sociais por causa de ameaças, aqui prints que ela postou:


Em meio a tanto ódio e solidariedade, as opiniões também foram variadas em relação a isso, com muitos se mostrando preocupados e outros fazendo exatamente o contrário.

Postar um comentário

0 Comentários