Existiam vikings homossexuais? Confira!

Sabem, eu estava assistindo a série Vikings e notei que uma coisa extremamente comum apresentada é um homem convidar outro pra transar em trio com sua mulher. Na primeira vez eu pensei que era só algo que os criadores da série tinham colocado pra parecer mais interessante, um apelo a sexualidade, no entanto depois da terceira vez comecei a pensar "Devia ser normal os caras fazerem isso aí..." e aí me veio a pergunta sobre como um povo tão bruto e que curtia a pancadaria enxergavam homossexuais, por isso fiz uma pesquisa sobre, não consegui achar tanta coisa mas de qualquer forma acredito que seja uma curiosidade interessante.

Bom, o fato de ser gay na comunidade viking não era algo que gerava um preconceito, as pessoas não odiavam naturalmente, não achavam que era algo que ia contra as leis da natureza e nem havia condenação religiosa, ao menos não antes de se converterem para o cristianismo é claro, que foi quando começou o ódio religioso, porém antes disso não.

Mas apesar disso era um problema quanto as leis viking, porque um homem era obrigado a se casar, aqueles que não se casassem eram penalizados. Mas de qualquer forma no final era algo que se tornava um real problema já que naquela época as coisas eram complicadas, você precisava ter um herdeiro, pois tratava-se de um investimento para o futuro já que quando um homem ficava velho, ele precisaria que alguém cuidasse dele, e assim ao menos um filho era algo necessário. Então o cara não precisava amar a mulher, apenas se casar com ela.

Outro problema é que um homem tinha que mostrar que era alguém poderoso e que sabia se cuidar sozinho, portanto um homem transar com o outro não era visto nadinha com mal olhos quanto ao lado ativo da relação, inclusive nas invasões era normal os caras estuprarem não só as mulheres das aldeias, mas os homens também acabavam sentando uahahahaha.

Pelo o que vi, não existia uma palavra certa para homossexuais em geral, mas existia uma para gays passivos, que era níð, mas não era só isso, tratava-se de um insulto que significava covarde. E como já mencionei, se mostrar como poderoso perante a sociedade era algo necessário, por isso ser chamado de covarde gerava muita pancadaria, existiam um monte de palavras que começavam com níð e em geral tratavam-se de variações de insultos que comumente acabavam em morte, portanto níð era uma palavra usada principalmente para provocar, não significava necessariamente que o acusado era um gay passivo uahahahaha.

Após se casar os caras poderiam transar ainda com outras mulheres, e poderia rolar com homens também, não consegui achar se era necessário uma permissão especial da mulher, mas acredito que não, pelo jeito era algo bem liberal.  Mas não pegaria bem para a reputação de um viking se descobrissem que ele liberava o brioco. Ele estaria se mostrando fraco, que precisa de proteção, enquanto um homem tinha que mostrar que era fodão e comia todas as vadias e os vadios também(literalmente Ò_Ò).

Quanto as mulheres, existiam lésbicas também naturalmente e homens tinham concubinas, por isso era normal mulheres mesmo não sendo lésbicas, colocarem pra se pegar durante a relação sexual em que um homem decidisse inserir participantes. Mas existia uma lei que não era direcionada a sexualidade, mas sim a certos hábitos, portanto mulheres eram proibidas de cortar o cabelo de forma masculina, usar roupas de homens ou agir como um homem(ela tomava porrada se fizesse isso).

Mas bom, é isso aí uahahaha certamente tem muito mais além disso que achei, mas aí só vocês pesquisando mesmo. Espero que tenha matado a curiosidade de alguém! Ò_Ò

Postar um comentário

8 Comentários

  1. AUHAUHAHUAHUHUA Puta muito massa saber dessas coisas. Por um lado era meio trash né porque aparentemente a sociedade dos caras era bem machista. Mas por outro era bem legal isso de a putaria rolar solta HAUHAUHAUHA Os samurais gays também eram bem interessantes, dá uma pesquisada aí e faz um post (procura por "homossexualidade no Japão feudal" ou isso em Inglês) pra galera lelek.

    ResponderExcluir
  2. depois de ler isso eu tenho que admitir uma coisa... eu sou... retardado ‛__’

    ResponderExcluir
  3. Eita sociedade liberal essa ae? (tirando a parte machista), bem, acho melhor uma sociedade V1D4 L0K4 nas putaria do que uma assasina que mata por algum dogma idiota (~~le cristianismo e suas cruzadas~~).

    ResponderExcluir
  4. uheuhe e ilario imagina um cara fortao e barbudo liberando o brico uheuhe

    ResponderExcluir
  5. HUHUEHUHEUEHUEHUEHUEHUEHUEHUEHUEHUEHUEHUEHEUHEUHEUHEUHEUHEUHE ~le ataque de riso~ *morri.*

    ResponderExcluir
  6. Poxa, os vikings liberavam brioco legal, tscrsc husahusahusahusahu. Se mulheres vikings não podiam usar roupas de homem, devo desconsiderar algumas informações a mim apresentada em como treinar seu dragão, mas dragões existem. isso sim!

    ResponderExcluir
  7. Se mulheres não podiam agir como homens como e que na série, a mulher do protagonista era uma guerreira? Sem falar no mito das Valquírias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiro ela é uma escudeira segundo,agir de forma masculina é literalmente parecer homem,cortando o cabelo ou vestindo roupas masculinas,ela pode ser uma guerreira mais continua com sua sensualidade e o jeito de uma mulher comun de ser

      Excluir