Hell is Other Demons | Muitos pixels, tiroteios e hordas de demônios!

Esse é o tipo de jogo que deixa claro que hoje em dia é essencial ter um controle no PC para estar pronto para qualquer experiência. E sem dúvidas essa é uma experiência independente no mais forte estilo console old school e que consegue deixar aquele climinha viciante de você ir jogando de pouco em pouco e sempre voltar para tentar avançar um pouco mais, especialmente porque é natural repetir fases e tentar evoluir pela dificuldade presente.


A história desse jogo é um tanto misteriosa, começa com uma narração sobre o fim de uma guerra com a destruição da "resistência" e uma população que foi absorvida por um exército inconsciente. Além disso também é citado o "Inferno Pacificado" e como precisa de um herói. É meio difícil saber o que exatamente isso significa.

Eu fiquei encantado pra caramba com o visual do jogo, a abertura me lembrou demais a introdução de Blackthorne, com um certo efeito de luz e sombra usando uma paleta limitada de cores. e que acaba dando um toque muito especial. Isso porque a maioria dos jogos pixelizados não usa esse estilo, que faz passar a sensação parecida com a de imagens com cores super saturadas.

Aqui você assume o papel de um simpático bichinho que me lembrou o personagem de Rain World, não dá pra saber exatamente que criatura é, mas é semelhante a um esquilo. Porém tunado com armas! Isso porque você enfrenta horas infernais e para isso tem que segurar armas imensas prontas para fazer estragos.

Se você gosta de obras como Jet Set Knights e Toast Time, certamente vai achar bem encantador o estilo tão frenético aqui presente. Até porque também tem a semelhança no fato de que são cenários estáticos no geral. Apesar de um ou outro lugar você poder correr, a maioria é de ambientes em que você vê o cenário inteiro na tela, exceto por uma movidinha na câmera pra cima e pra baixo.

Aqui temos um mapa no estilo dos jogos do Mario pra NES e SNES, em que você vai passando das fases e liberando o caminho pra ir pra próxima, mas também pode retornar às anteriores, além de também entrar em ambientes especiais que não são fases, mas lugares para se fazer determinadas coisas que vão ajudar no progresso.

O objetivo é simples, matar todos os inimigos que aparecerem, eles vão surgindo aos  poucos e você tem que segurar o dedo no gatilho. No entanto enquanto segura, não pode pegar os itens que eles deixam cair, que varia entre dinheiro, vira e cargas para usar ataques especiais. Sendo assim você tem que se decidir entre atirar ou sugar coisas. Às vezes você pode ficar com o dedo do começo ao fim, mas ter pego muito pouca coisa, e é interessante coletar dinheiro nesse jogo.

À medida em que você vai destravando o mapa, alguns caminhos passam por lojas, e lá você compra habilidades e armas. Mas para equipar, também precisa comprar espaços, sendo assim às vezes você até tem um pulo extra e um ataque especial, mas não pode equipar os dois na fase porque não comprou espaço. E assim tem que ir variando, além de que dependendo da fase, é interessante equipar coisas diferentes.

Achei maravilhosos os chefes desse jogo, apesar de ser uma obra pixelizada com uma paleta de cores simples, eles conseguiram criar chefes que passam aquela sensação de grandiosidade, de você estar enfrentando uma baita de uma criatura épica. Algo curioso é que eles não são sempre obrigatórios, pois servem para destravar caminhos, e assim você pode fazer um atalho e não precisar enfrentar o chefe que tem na outra extremidade.

Enfim, jogo muito gostosinho para partidas rápidas mas que sempre te fazem voltar para tentar passar de uma nova fase. Foi lançado originalmente para  Kartridge e Switch, para depois vir para steam. Recomendo sempre dar uma olhadinha no preço dele na Greenman Gaming antes de comprar na steam, algumas vezes os preços deles estão bem abaixo do normal, e sempre lembre de olhar os cupons de desconto que eles espalham pelo site, que deixa a coisa mais barata ainda, dê uma conferida aqui.

Comentários