Mickey Mania - Quase um Cuphead da era 16 bits

Tenho que assumir que e surpreendi com o estouro que foi Cuphead, eu sei bem que esse jogo é maravilhoso visualmente, mas tem tanto jogo lindo hoje em dia que é fácil ser engolido pela montanha de lançamentos. Porém ele não é o primeiro jogo que usa esse visual de desenhos antigos e na era do Super Nintendo tivemos algo semelhante, que ironicamente é um jogo do Mickey, personagem que é obviamente a principal inspiração de Cuphead.


Ao mesmo tempo em que o jogo é robusto em história, é também uma falha, isso porque ele não usa uma história própria, mas sim coloca o personagem em uma aventura através dos temos, visitando momentos clássicos de curtas e longas de Mickey e ajudando cada uma de suas versões em vários universos.

Antes que alguns se perguntem, não, esse jogo não é o Disney's Magical Quest 3, que definitivamente é o mais popular jogo do Mickey no SNES, e talvez até mesmo o jogo mais popular do camundongo. Esse aqui é um jogo diferente que veio um ano antes, o Mickey Mania: The Timeless Adventures of Mickey Mouse.

O objetivo dele é mais ser uma homenagem ao personagem através dos tempos do que apresentar uma história original. Sendo assim cada fase é relacionada a uma animação do Mickey, que vão desde o Steamboat Willie, que é o seu primeiro curta apresentado para o grande público, até longa metragens como Mickey e o Pé de Feijão e outras obras.

E é exatamente nesse ponto que o jogo se assemelha a Cuphead, pois as animações são feitas imitando o design e especialmente as fases iniciais apresentam muito daquele estilo antigo. Por exemplo a primeira fase é em preto e branco. A coisa é realmente muito bonita de se ver, detalhada e se você assistiu o curta, vai notar bem os elementos usados.

Ao contrário da maioria dos jogos do Super Nintendo, aqui os personagens tem uma quantidade absurdamente alta de sprites, então ao invés de ser uma movimentação simples onde mexe uma perninha e outra enquanto corre, existe todo um visual fenomenal e super bem detalhada em cada movimento, indo desde o ataque até a forma de morrer.

Os fantasmas da fase que homenageia o filme Fantasmas Solitários surpreendem muito, cada aparição e forma de agir dependendo do lugar onde você está são cheias de detalhes e de brilhar os olhos. Esse jogo realmente acaba deixando claro que foi feito mesmo para ser uma homenagem ao Mickey feita com um carinho enorme.

As fases também apresentam uma ótima variação, não é aquele tipo de jogo em que você segue a mesma mecânica. A equipe criativa quis mesmo que o jogador experimentasse possibilidades baseadas no ambiente em que está. Sendo assim você verá coisas como uma fase em um ângulo de visão diferente que é inteiramente uma fuga de um inimigo. É tudo simplesmente muito bem feito mesmo e dá uma baita empolgação, isso sem contar com os chefes também muito variados.

Outra coisa é que usaram muito da capacidade do SNES de uma forma que poucos jogos ousaram, tipo Yoshi's Island, e mesmo não sendo um jogo que está na lista dos que utilizaram o Super FX, ele usou aquela mesmo a técnica que vemos em Super Castlevania IV e alguns elementos do cenário são 3D. É realmente algo muito bonito de se ver acontecendo no Super Nintendo.

Enfim, tá aí um belo de um jogo com um visual interessante que acabou não sendo tão falado assim, mas que tem seu brilho próprio. Aliás, outra semelhança com Cuphead é que esse é um dos jogos mais difíceis do Super Nintendo, então é algo feito para quem não se preocupa em ter uma experiência desafiadora de verdade, não pense que só porque é do Mickey foi feito pra crianças de hoje em dia. Naquela época não tinha esse negócio de criança não kkkkk.

Comentários