Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

quinta-feira, 2 de março de 2017

Watch_Dogs 2 - Um simulador de "Anonymous"

Uma coisa que eu sempre dizia em relação ao primeiro Watch_Dogs é que ele certamente iria "estourar" quando tivesse uma continuação. A base disso era o fato de que o primeiro Assassin's Creed também gerou críticas bem negativas, no caso por missões repetitivas e quando veio Assassin's Creed 2, a coisa caiu nas graças do povo. Ambas as franquias apresentaram conceitos inovadores e somando isso ao fato de serem títulos da Ubisoft, logo imaginei que o primeiro apresentou algo legal e o segundo seria algo feito por uma equipe já experiente e pronta para criar algo para o povo amar. Pois foi dito e feito!

Watch_Dogs 2 teve uma campanha bem mais discreta que a do primeiro jogo, mostrando assim que a Ubisoft quis ir com calma. Mesmo assim como o primeiro teve vários problemas técnicos e o tão conhecido Downgrade, muita gente desceu o cacete falando que o jogo seria horrível. Mas no fim das contas assim que foi lançado ele alcançou notas Muito Positivas no steam, mostrando que caiu nas graças do povo.

Dessa vez você assume o papel de Marcus, um dos membros do grupo de hackers Dedsec, que luta por direitos da população, invadindo grandes corporações e pessoas poderosas em geral. Expondo a quebra de sigilo que a tecnologia trouxe e fazendo os mais variados tipos de missões enquanto tenta manter uma boa opinião pública e conseguir seguidores.

Achei curioso como a coisa pareceu com Assassin's Creed até na atmosfera, isso porque aqui o primeiro jogo também tem um toque bem sombrio e o segundo é algo muito mais alegre. Enquanto Aiden (personagem do primeiro jogo) e Altair (protagonista de Assassin's Creed 1") são homens maduros e sérios. Marcus e Ezio (protagonista de Assassin's Creed 2) são garotões alegres.

Até mesmo a cidade tem um climinha bem mai feliz, no primeiro jogo você jogava em Chicago e era tudo bem sombrio. Nesse a coisa se passa em São Francisco, onde tudo é muito alegre, e que aliás é considerada como uma das capitais gays do mundo. É notável que a Ubisoft focou na diversidade em geral, colocou um protagonista negro e a equipe dele é toda diversificada.

O Dedsec já tinha aparecido no primeiro jogo, no entanto era algo misterioso, lá você os via vez ou outra em vídeos ou notícias sobre o que fizeram. Então dá um pouco de nó no cérebro de repente você estar dentro daquele grupo. É lógico que já era algo programado, pois não é revelado nada sobre eles em Watch_Dogs 1, fica o mistério do começo ao fim.

Graças a esse mistério eu achei meio estranho quando vi só personagens jovens, algo cheio de piadinhas e descolado. Mas me fez pensar que era mais óbvio, afinal de contas se pensa nos Anonymous (de onde obviamente foi tirada a inspiração) como algo realmente com um toque de juventude, essa rebeldia constante e como é bem mais fácil achar pessoas jovens falando sobre.

Mas não se limitaram apenas a idade dos personagens, mas todo um clima descolado em geral como fazer grafite em lugares altos para divulgar a causa, memes, referências constantes à cultura pop, inclusive com bate papos do tipo "Quem ganha em uma luta, Alien ou Predador?". Além de que os personagens são bem boca suja como Aiden nunca foi, então é normal um palavrão surgindo aqui e ali.

Aqui você tem uma base, sendo assim tem que voltar de tempos em tempos para pegar missões e fazer coisas, infelizmente não demora muito para que voltar ao lugar seja apenas pelas missões, poisa quantidade de coisas disponíveis é bastante limitada. São basicamente duas, comprar roupas ou usar a impressora 3D para imprimir acessórios e armas.

A ideia da impressora 3D é fantástica demais, porém em pouquíssimo tempo você já consegue tudo, as duas coisas mais legais são o drone e o carrinho de controle remoto. De resto são só armas normais, sem nada demais, não há atualizações para ficarem mais poderosas ou outras bugigangas. A sensação acaba sendo de uma ideia maravilhosa que se dedicaram pouco.

Quanto às roupas do personagem, é outra coisa que você pega rapidamente o que quer, não há uma variação muito grande, mesmo com lojas na cidade. De qualquer forma pra pessoas como eu que não se interessam muito em produzir um visual destaque para o personagem, acaba sendo algo que rapidamente se deixa de lado.

No fim das contas terminei o jogo com uma fortuna e as missões em que tinha que pegar dinheiro passei a só ignorar. Inicialmente eu não resistia ver aquele símbolo $ paradinho em um canto do mapa e ia lá me esforçar pra invadir e pegar, depois comecei a sentir que era perda de tempo fazer isso. É até estranho, afinal de contas a quantidade de coisas que daria pra fazer com dinheiro, tipo melhoria do lugar onde o personagem fica ou outras coisas descoladas como um skate elétrico, mas não... A sensação foi semelhança a aquela que tive em Mafia 2, que a coisa era grandiosa e podia ter sido usada mais.

Algo que sem sombra de dúvidas rouba a cena e dá uma sensação de liberdade maravilhosa é o drone. Quando o vi nos trailers nem achei nada demais, só foi um "Tá... Você  controla um helicóptero de brinquedo...". Porém jogando vi o quanto a coisa é fantástica e te faz se sentir muito mais livre de uma forma bem rápida.

A coisa é bem prática, você pode estar correndo por aí e aperta o botão do drone, fazendo com que o personagem imediatamente o solte e você passe a ver por aquela perspectiva, depois disso é voar a vontade, ir bem alto e observar o lugar ao redor, olhar por janelas, procurar pontos de acesso. É simplesmente demais.

Por exemplo, se você quer subir em um prédio não é necessário ficar dando voltas nele e procurar um lugar para se pendurar. Dá pra só lançar o drone e começar a rodear até ver uma boa rota até o topo. O mesmo com lugares cheios de bandidos, sair espiando por aí e se escondendo enquanto marca inimigos ou mesmo os distrai para um certo lugar é muito bom.

Há uma série de atividades pela cidade, corrida de moto, corrida de kart, motorista particular, áreas de gangue para invadir, missões alternativas de coisas variadas como invadir caixas eletrônicos e tirar um sarro das pessoas que tentam sacar dinheiro, investigar o motivo de certas pessoas estarem sendo demitidas ou até mesmo procurar por um serial killer.

Apesar da variação das missões existe algo que acaba tornando boa parte delas repetitivas ao extremo, que é o fato de você em quase todas ter que localizar um lugar, achar um ponto de acesso mas ele vai estar bloqueado, então é preciso achar o gerador daquele lugar, ativá-lo e então lá acessar. Depois disso ou você pega sua recompensa ou vê alguém por uma câmera.

Sendo assim acho que Watch_Dogs 2 é um jogo pra você não focar muito nas missões alternativas, mas sim nas principais, assim como o primeiro jogo. Aliás, não achei a evolução muito grande em relação ao primeiro não, graficamente está muito semelhante e assim como há novidades, tem coisas no primeiro que não tem no segundo. Vendo isso só percebo como a frustração das pessoas com o primeiro jogo é mais por rancor devido aos problemas no lançamento e downgrade do que uma análise real da coisa.

Há um sistema de evolução de personagem, você precisa conseguir seguidores, você consegue com todo tipo de missão ou atividade que fizer. Os seguidores são como se fosse uma barra de experiência, conseguindo uma determinada quantidade você pode acessar o aplicativo e destravar habilidades.

Uma coisa que achei fenomenal foi o modo online, é algo meio semelhante a Dark Souls, então você está jogando uma campanha, mas pessoas podem se conectar a qualquer momento para ajudar ou te hackear. Porém você não perde mesmo que um hacker consiga o objetivo, é possível inclusive só ignorá-lo e no final ainda ganha seguidores.

Ou seja, você pode estar lá jogando e do nada "Você está sendo hackeado, encontre o hacker!". Daí em meio à multidão você precisa olha os NPC's e ir tentando identificar com seu celular para ver quem é o hacker disfarçado ali e eliminá-lo. Mas mesmo que não consiga antes dele terminar o download, você ganha seguidores só por ter participado do evento, é um prêmio de consolação.

Da mesma forma a qualquer momento você pode encontrar a opção de entrar no jogo de alguém, e assim do nada você vê um jogador ali andando, fazendo as coisas deles, mas ele não te ver. Se você decidir hackear ele, terá que se esconder e pode ficar manipulando o lugar enquanto ele te procura, é bem fantastico.

Há outros modos online, como "Elimine o alvo", você pode ser contratado como caçador de recompensa com outros jogadores. Quando alguém chega a um alto nível de procurado e tem muitos policiais atrás isso pode aparecer no seu jogo e você é recompensado por caçar aquele jogador também. Sendo que múltiplas pessoas podem entrar nesse tipo de missão.

Ou seja, esse é um jogo que quando você chega ao nível 5 estrelas de procurado, não é só helicóptero e carro blindado que vai estar atrás de você não, mas sim pessoas reais. A adrenalina é muito maior quando de repente aparece na tela escrito que caçadores de recompensa estão atrás da sua cabeça e podem usar habilidades hackers pra manipular seu carro lançando-o para os lados ou elementos da cidade.

Há ainda o modo cooperativo, que é o que eu realmente queria que tivesse no primeiro jogo, você pode entrar em missões com os amigos e saírem pela cidade, seja fazendo o caos só para se divertir, seja invadindo lugares de forma estratégica com bônus para cumprirem determinadas coisas enquanto invadem.

Enfim, recomendo jogar dando foco às missões principais ou ao modo online, pois focar demais nas secundárias pode acabar causando um enjoo desagradável, por mais que nas primeiras horas seja puramente divertido infernizar a vida dos bandidos. Vale a pena dar uma conferida no site da G2A pra ver o preço que está lá, pois eles costumam vender keys da steam por um valor bem mais barato que na própria steam e ainda aceitam boleto bancário. Dê uma conferida no preço que tá lá, clicando aqui


Nenhum comentário: