Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Blade & Bones - Muito mais que um Dark Souls brasileiro

Hoje eu vou falar sobre uma verdadeira maravilha criada por brasileiros e que por algum motivo misterioso não é tão falado. Digo isso porque normalmente quando um jogo é brasileiro, nós fazemos a festa e mesmo sem isso, uma coisa que o jogo tem é um visual maravilhoso, o que naturalmente acaba por chamar a atenção de forma mundial.

A história se passa em um mundo extremamente exótico e com clima de lenda oriental. É falado sobre um deus chamado Niro, que criou o mundo e também a raça chamada Orin. No entanto quando essa raça passou a forjar espadas, Niro ficou frustrado e como punição lhe tirou as vozes. A única forma de devolver a fala aos Orin é encontrando as sete primeiras espadas, que estão espalhadas pelo mundo.

Indo direto ao ponto, esse jogo vai lembrar imediatamente Dark Souls, isso porque usa todo aquele sistema de combate cabuloso em que você não pode de maneira alguma subestimar os inimigos, pois independente do quão comuns sejam, eles podem te matar de maneira extremamente fácil. No entanto é um erro pensar que é um cópia, pois o que temos aqui é um baita de um jogo atmosférico com uma personalidade própria.

O mundo de Asocrac é aberto e você pode explorar de forma livre, existindo diversos lugares com visuais completamente diferentes. Por exemplo existem ambientes com neve, florestas, vulcões, desertos e mais! É muito maravilhoso explorar e ver a coisa começar mudar até ficar com um visual totalmente novo.

Além disso esse mundo é cheio de detalhes que dão um certo frio na barriga, por exemplo você as vezes pode olhar para o horizonte e ver a silhueta de duas estátuas gigantescas, e se desejar pode ir até lá conferir, mas existem estruturas variadas pra todo lado, torres em ruínas, imensos cristais vermelhos, mãos gigantescas feitas de pedra e assim vai.

Além de tudo, o mundo é cheio de segredos, sendo que alguns só são revelados com certas condições, como por exemplo o ciclo de dia e noite fazem certas coisas aparecerem e desaparecerem. As noites apresentam variados tipos de lua e alguns mistérios só são revelados quando expostos à luz de determinada lua.

A forma que você encontra as espadas lembra um pouco Shadow of the Colossus, pois você aperta o botão e várias borboletas de luz saem voando em todas as direções do mundo, se você seguir uma delas, irá parar onde uma das espadas está e obviamente um chefe cabuloso te espera para um combate nada amigável.

Uma grande surpresa que tive foram referências a um certo universo que amo demais. E descobri isso tomando um belo de um susto, pois estava andando pela floresta quando abriu um portal azul e saiu um personagem que eu pensei ser inimigo, mas assim que se aproximou, vi que usava vestes iguais à do Diabo do Chapolin (Aquele do Chirrim-Chirriom interpretado pelo Seu Madruga). E obviamente achei bizarra a veste, afinal o universo tem todo um clima oriental, mas aí ele me falou "Com licença, poderia me ajudar? Sou Ambrose Bierce, escritor".

Pra quem não sabe, Ambrose Bierce é o escritor de Um Habitante de Carcosa, e logicamente quando falou isso, tomei um susto com o easter egg hahaha. Aliás, é cheio de referências ao universo do Rei de Amarelo, leia o nome do mundo do jogo ao contrário e você verá, ou um dos inimigos presentes que se chama The Pale Mask King e seu visual é muito semelhante ao visual do Rei de Amarelo.

Enfim, tá aí uma bela de uma obra maravilhosa que injustamente não está sendo falada, definitivamente recomendo, se você é fã de jogos bastante difíceis, com certeza vai adorar se aventurar por esse universo. Sendo um jogo brasileiro isso é ainda mais empolgante e ainda é baratinho, confiram a página na steam.


Nenhum comentário: