Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

terça-feira, 19 de abril de 2016

Sobrenatural: Capítulo 2 - Simples mas com personalidade

Quando assisti o primeiro Sobrenatural eu não sabia exatamente o que tinha naquele filme que o fazia não parecer só mais um lixão. Era esquisito porque em geral tratava-se de um filme clichê com todos os elementos já apresentados e abusados em outras obras. Mas agora que finalmente assisti o segundo da franquia, vi que é algo que se trata da atmosfera, a mitologia criada em cima da coisa e forma de apresentação.

Muito provavelmente parte da coisa é graças à fotografia apresentada no primeiro que era interessante pra caramba. Afinal de contas quem é que não sentiu o impacto daquela cena com o personagem parado e com a mudança de ângulo de câmera a aparição do demônio olhando diretamente pro espectador? Aquilo foi provocante demais, causou um impacto.


E no segundo filme também existe esse charme como um todo, mas pelo menos ao meu ver um dos problema é que acaba não tendo o mesmo efeito do primeiro porque parece que não foi muito além, manteve no mesmo nível. Creio que especialmente para quem é fã do primeiro pode acontecer aquele efeito da expectativa matar o entretenimento, o que felizmente não foi o meu caso, já que esperava um filme neutro.

A história é uma sequencia completamente direta do primeiro, sendo assim aqui temos a mesma família tentando ter uma vida normal, mas com espíritos atormentando especialmente a mãe e o filho vivendo no limite, com um medo constante de dormir e perder seu corpo para a multidão de espíritos que tenta possuí-lo.

Um problema que achei foi manter exatamente o mesmo "defeito" que tanto me incomodou no primeiro filme, a dupla de nerds paspalhões. Sinceramente parece que o cara não se decidia se queria criar uma comédia ou um filme de terror e decidiu tacar esses personagens lá pra de vez em quando aparecerem e te fazer sentir estar assistindo uma aventura de arrepiar com uma galerinha do barulho.

Sendo assim, esse é um daqueles filmes que eu vejo que deveria ser meramente esquecível, apenas mais um dos vários filmes de terror que já assisti, porém o nome "Sobrenatural" me causa um impacto, eu sei que é AQUELE FILME LÁ, e não apenas "Qual filme? Ah... Pera aí... Acho que já vi sim...".

Ao meu ver é uma obra que deveria ser o padrão de filme de terror, isso porque infelizmente acho que o padrão desse gênero é ser "ruim" enquanto deveria ser "legal". Pense em quantos filmes de terror você já não assistiu e eram a mesma coisa? Não provocaram sensações alguma, e embora eu não saiba dizer exatamente o que senti com Sobrenatural 2, sei dizer que SENTI, e isso já é o suficiente pra ele não ser só mais um.

Existem alguns momentos que me provocaram extremamente no filme e adorei, mas sei que nem todo mundo vai gostar, por exemplo (RELAXA NÃO FALO SPOILERS) o final do filme me fez voltar várias vezes a cena pra ver de novo e de novo, tentando entender que diabos foi aquilo. Quando fui procurar no google, a busca já foi sugerida. Ou seja, é um final que gerou o que falar e muita gente foi atrás na internet, algo feito puramente pra ser provocante e ao meu ver um fim espetacular, pois admiro muito o desconhecido, acho intenso, mas sei que nem todo mundo aceita simplesmente não saber de algo e pode odiar demais.

Enfim, parece um filme feito com paixão, por um fã mesmo de filme de terror, alguém que tava afim de fazer aquilo. Não é surpreendente como Invocação do Mal, mas também não é uma verdadeira desgraça como Willow Creek. Sendo assim, acho um filme perfeito pra quando tiver com uma galerinha e quiserem assistir algo mas não sentirem que foi perda de tempo total. Quem se interessar em ter esse no estoque de filmes pra assistir pode dar uma conferida aqui.

Um comentário:

Saitama - sama disse...

Lembro quando assisti Insidious pela primeira vez... Eu estava na casa de um amigo meu, ele convidou um monte de gente para assistir. Eu não tomei muitos sustos, toda vez que acontecia um eu só conseguia ficar rindo da reação da pessoas ali presentes. Por exemplo: naquela cena do capiroto olhando pra você, inicialmente aconteceu aquele choque inicial quando você toma um susto. Mas ao invés de gritar que nem uma garotinha, eu olhava ao meu redor, via o rosto das pessoas ao meu lado, e então um filme de terror se tornou uma comédia para mim. kkkkkkkkkkkkkk