Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

quarta-feira, 16 de março de 2016

Fazendo altas aventuras em The Division

Bom pessoal, eu já tinha feito uma matéria sobre The Division, falando um pouco sobre mecânicas que observei na versão beta do jogo, eu tava pensando em na versão final modificar a matéria e adicionar novos parágrafos com mais coisas, no entanto em geral tudo que foi apresentado lá continuou, sendo assim achei melhor fazer essa matéria complementar e focado mais na experiência em si.

Primeiramente tenho que dizer que o lançamento foi turbulento, notas altíssimas na mídia especializada e análises dos usuários com marcador "Neutro" no steam, em sites de jogos gente descendo o cacete nos comentários dizendo que é um lixo e outros dizendo que é uma maravilha inacreditável.


Especialmente sendo o lançamento de uma grande empresa nada de muito surpreendente nisso, afinal de contas as pessoas são super dramáticas e já vão jogar com raiva, além da forte influência daquele negócio da expectativa matar a diversão, ou seja a pessoa quer tanto, mas tanto jogar aquilo, que o que ela espera é mais empolgante até mesmo do que viu, o resultado é ela ir jogar e perceber que não é tudo que esperava e fica furiosa! Ela não pode dar uma nota 7 em lugares que permitem escolher, tem que dar nota 0, dizer que é a pior coisa que já jogou em toda a sua vida e que quer vomitar!

Exatamente esse tipo de atitude que me faz desconfiar ao ver a gritaria de um lançamento, ainda mais sendo um MMO que é o tipo de jogo que em geral costuma receber mais ódio ainda e ter mais notas baixas. Por isso me surpreendi tanto ao ver as notas absurdamente altas do jogo Tree of Life no steam, porque sempre costumo ver o povo descer o cacete.

Mas eu não tinha expectativa aqui, e lá fui eu novamente me aventurar pelo universo de The Division, dessa vez sozinho, com o intuito de jogar a história primeiro, prestar atenção e só depois jogar com algum amigo, queria primeiro conhecer bem o universo, ouvir cada mensagem do jogo e ver os acontecimentos.

Acho que a primeira coisa que tenho que falar é da dublagem em português, a primeira vez que joguei foi em espanhol (na beta não tinha a dublagem brasileira) e quando tem duas pessoas falando em línguas diferentes eu me perco completamente, como eu estava jogando com um amigo simplesmente não conseguia prestar atenção nas cutscenes do jogo, mas aqui a coisa foi diferente.

Pra falar a verdade mais pra frente percebi que eu não precisava jogar sozinho pra prestar atenção direito na história, bastava estar no mesmo idioma e não iria me confundir. E realmente gostei bastante da dublagem, sei que por mais que algo seja bem feito alguns vão dizer que é o maior lixo que já viram, só que realmente gostei, achei bem fluída e ótimas escolhas.

Os caras se colocaram demais no papel dos personagens, por exemplo os malandros falam com erros de português e tudo mais "Eles tão matando tudo nóis!", e as provocações são demais, podendo tirar algumas gargalhadas de vez em quando, ainda mais com o fato de que eles reagem a certas situações como por exemplo se acharem os fodões quando estão em grupos mas você vai matando os membros e ele s começam a ficar apavorados.

O começo do jogo é bem estiloso, a criação do personagem se passa em um reflexo de um carro, você olha com ele no vidro do carro e aí pode alterar cabelo, rosto, acessórios, barba, etc. No começo achei extremamente limitados os modelos, o que é ruim, mas no fim acabei conseguindo fazer um cara diferente, mesmo assim acho que a Ubisoft poderia ter colocado mais opções de personagens pra sentir uma real variada na coisa.

O jogo tem um centro de comando onde você tem três alas para melhorar, a de segurança, a médica e a de tecnologia. Esse é um lugar que vai se modificando dependendo de como você escolhe melhorar, graças a isso quando você está em grupo e entra nele, os outros jogadores desaparecem e você só pode vê-los no mini mapa. Mas assim que saírem todos passam a se ver de novo.

Essas três alas representam também as três árvores de talento de seu personagem, quanto mais você melhorar uma ala, mais vantagens e habilidades terá. Sendo assim cada jogador pode seguir no que achar melhor e você verá pessoas com habilidades variadas já que você não pode equipar todas as coisas que conseguir.

A ala médica vai te conceder vantagens do tipo um espaço a mais para carregar kits médicos e habilidades como curar o grupo. Um jogador que se baseia completamente nesse tipo de personagem acaba dando um foco a mais no suporte da coisa como lançar uma torre de cura que atinge um círculo ao redor dela.

A ala de segurança concede vantagens no ataque, podendo fazer por exemplo o grupo dar mais dano ou receber menos dano, melhorando essa ala você recebe vantagens como ganhar balas extras em alguns casos especiais. Quem investe nesse tipo de habilidade costuma ser um jogador bem mais agressivo em campo.

E há a parte da tecnologia, essa ala te dá vantagens como uma mina em forma de bola que é colocada no chão e sai em busca de um inimigo para só então explodir, ou uma torre que pode ser arremessada, isso permite que você faça coisas como lançá-la atrás de um lugar onde um inimigo tá pegando cobertura e assim ela causa um baita dano.

Com os itens seu personagem melhora bastante, é possível carregar três armas e cada uma delas tem vários acessórios que quanto melhores mais efeito causarão. Você vai deixando seu personagem tunado com isso, sem contar com os diversos outros itens de proteção ou aperfeiçoamento que você equipa. É possível consegui-los comprando nos lojistas, matando inimigos ou vasculhando lugares.

Eu tava gostando muito de jogar sozinho até chegar na primeira missão de destravar a área de tecnologia, no começo eu notei que a coisa tava difícil e eu tava apanhando muito, mas o fim da missão me pareceu simplesmente impossível, após morrer umas dez vezes seguidas, desisti com muita amargura sabendo que ali era o fim e eu ia ter que atravessar de novo o lugar que tanto sofri pra passar.

Na vez seguinte que entrei no jogo eu decidi colocar o orgulho de lado e jogar com um grupo e... Não é que achei fantástico pra caramba? Em geral eu não gosto muito de jogar com desconhecidos, me preocupa como será a educação deles e tal, por isso só jogo com amigos, mas realmente em The Division achei a experiência bem incrível.

Ao chegar em qualquer área de missão você pode apertar o botão para procurar grupo, e assim é escaneado por agentes disponíveis por perto e que queiram fazer essas missões. Não demora muito e já aparece um ou dois pra te ajudar na coisa. Depois disso é só entrar pra ação e começar o tiroteio da coisa.

As missões de The Division tem foco no tiroteio, então já fiquem avisados quanto a isso! Mas apesar de tudo elas tem certas variações como levar uma maleta até um lugar (O personagem vai andando bem lentinho), ativar certas coisas, vasculhar ambientes em busca de determinados objetos e assim vai... Você de repente recebe ordens para fazer algo novo.

O microfone é aberto, então assim que você entra em um grupo pode falar e os outros jogadores irão ouvir. Apesar de tudo não é algo regional, sendo assim é bom você saber ao menos um pouco de inglês, apesar de que o povo não fala muito, a maioria das vezes ficam bem calados, a não ser os que falam espanhol, esses falam bastante hahaha.

O jogo também tem várias missões alternativas que você encontra de forma aleatória, podendo ajudar civis e assim ganhando experiência. Existe um sistema de nível no personagem, normalmente a forma de ganhar mais experiência em missões são fazendo as principais, as de alas, mas dá para ganhar um pouco nessas extras ou simplesmente matando bandidos.

A "Dark Zone" que na versão brasileira ficou como "Zona Cega" é uma área da cidade em que há alto nível de infecção e não há leis. Lá o PVP é ativado, achei essa ideia muito boa, uma área especial para quem quer PVP, mas também tem NPC's lá e são muito fortes, porém é uma área que pode valer demais apena.

Quer bons itens? a Zona Cega tá cheia deles, porém se você for morto lá, seus itens caem no chão e os jogadores podem saquear seu corpo, ou seja se você conseguir algo muito bom, se prepara pra correr porque ele ainda não é seu!

Existe ainda vendedores especiais por lá, eles tem itens muito melhores a venda, por outro lado é preciso ter ranking mínimo na Zona Cega pra comprar certos itens, ou seja isso é um baita de um incentivo a jogadores entrarem naquela área e começarem o tiroteio.

Pra encaixar isso na história eles colocaram que os habitantes do lugar são bandidos ou traidores da The Division que acabaram indo pra lá. Se você começar a atirar em outro jogador é colocado como traidor e um prêmio é colocado por sua cabeça, se um jogador mata um traidor ele ganha um XP altíssimo!

Enfim, inovador o jogo não é, mas eu achei a experiência do The Division realmente ótima para se passar o tempo e acho que especialmente para aqueles que não tem expectativa no jogo podem se divertir demais com a coisa. Um ótimo passa tempo, definitivamente recomendo.


Um comentário:

alex5432 disse...

Pelo que ouvi a história do jogo é fraca, e a jogabilidade é estranha, sem dizer que falam que quando você faz as 4 primeiras missões da missão principal você já fez todas as missões pois as outras são todas iguais, com esse mesmo modelo...
Bom pelo o que ouvi só posso dizer uma coisa: se procura diversão num jogo de rpg com armas de fogo, seja sozinho ou com um grupo de amigos, e ainda não jogou borderlands, vá jogar borderlands, que tem um preço muito mais acessível, e a diversão é garantida.