Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

sábado, 5 de dezembro de 2015

Histórias de terror em duas sentenças

A internet é cheia de manias interessantes, a cultura pop vaga por esse reino virtual. E naturalmente coisas vem e vão, certas coisas ficam por muito tempo, outras são apenas um mero vislumbre, e há aquelas que ficam completamente no meio underground e somente quem realmente é fã de um certo tipo de coisa acaba ouvindo falar, e uma dessas manias que explodiu para um público exato (os fãs de terror) são as "Two-Sentence Horror Story" ou histórias de terror em duas sentenças.

Enquanto existem alguns contos aterrorizantes enormes tipo A casa sem fim ou As pernas muito, muito grandes de meu pai, mas todos sabemos que com um pouco de talento a pessoa é capaz de contar histórias muito rapidamente e ao mesmo tempo gerar uma atmosfera em cima daquilo indo bem direto ao ponto.

E as histórias de terror em duas sentenças são basicamente isso! A formula apresenta uma primeira parte criando um cenário, e então uma segunda parte que mostra uma reviravolta em cima desse ambiente, dando um baita de um toque aterrorizante a toda a coisa e na maioria das vezes deixando um final em aberto para que a própria pessoa pense no assunto sobre "O que foi aquilo?". Aqui algumas:

- A única pessoa que sobrou no mundo senta-se em uma cadeira em uma sala. Ele ouve alguém bater à porta.

- Depois de um dia duro de trabalho, cheguei em casa e vi minha namorada segurando nosso filho. Eu não sabia qual era mais assustador, ver minha namorada e meu filho recém nascido mortos ou saber que alguém invadiu nosso apartamento para colocar ambos lá.

- Acordo e vejo uma foto minha tirada com meu celular. Eu vivo sozinho.

- Eu o coloco na cama e ele me fala "Papai, veja se tem monstros embaixo da minha cama". Eu olho para seu entretenimento e o vejo, outro dele embaixo da cama, me encarando e sussurrando "Papai, tem alguém na minha cama".

- A sorridente face me olha no escuro por trás de minha janela. Eu vivo no 14º andar.


- A última coisa que eu vi foi o meu despertador tocando às 12:07, antes ela empurrava suas longas unhas podres no meu peito, sua outra mão abafando meus gritos. Eu me sentei, aliviado que foi apenas um sonho, mas quando olhei meu despertador apontar 12:06, ouvi a porta do meu armário ranger.

- O médico disse ao amputado que ele pode sentir um membro fantasma de tempos em tempos. No entanto ninguém lhe disse que em alguns momentos ele sentiria dedos gelados deslizando por seu membro fantasma.

- Eu não consigo me mexer, respirar, falar ou ouvir e é tão escuro na maior parte do tempo. Se eu soubesse que seria tão solitário assim, eu iria ter preferido ser cremado.

- Estávamos em um quarto escuro e ela me perguntou o motivo de eu estar respirando tão pesadamente. Eu não estava.

- Eu acordei ouvindo batidas no vidro. No começo, achei que era a janela até eu ouvir o barulho de novo vindo do espelho.

- Eu pensava que ter sido enterrado vivo era a pior coisa que poderia me acontecer. Até descobrir que uma "coisa" tinha sido enterrada comigo.

- Uma menina ouviu sua mãe gritar seu nome no andar de baixo, então ela levantou e estava a caminho do andar de baixo. Quando ela chegou nas escadas, sua mãe a puxou para seu quarto e disse "eu ouvi isso também".

- "Eu não consigo dormir", ela sussurrou, indo para a cama comigo. Eu acordei gelado, segurando o vestido que ela foi enterrada usando.


- Minha irmã diz que mamãe a matou. Mamãe fala que eu não tenho uma irmã.

- Minha filha não para de chorar e berrar no meio da noite. Eu visito seu túmulo e peço para ela parar, mas isso não ajuda.

Essa é uma mania e as pessoas não param de criar novas, acontecendo inclusive diversas adaptações de algumas das mais conhecidas, essa é uma das adaptações brasileiras de uma das mais populares:


E você? É capaz de bolar uma história de terror em duas sentenças? =D

3 comentários:

Rodrigo Pereira disse...

Nossa, me borrei mt mais com esse!kct mano

Matt Kist disse...

Legal esse formato. Mas acredito que é meio fácil de saturar os "plot-twist" desse formato. 80% vão ter a mesma conclusão. Tipo:

"É a terceira noite seguida que acordo e encontro minha esposa perambulando nua no quintal. Ela morreu faz 2 semanas."
ou
"Todas as noites, sem exceção, minha mãe me deseja bons sonhos enquanto beija minha testa. Mesmo estando morta há 10 anos."

A maioria vai ser assim. Porém tem alguns bem interessantes.
Vou tentar criar uma história dessas (além das duas acima, que criei como exemplo), vamos lá:

"Sob a sombra de uma grande e bela árvore, o garoto de 4 anos estende a mão sobre a barriga de sua mãe para sentir os chutes de seu irmão. Na árvore, sua mãe está enforcada mas seu irmão ainda chuta."

Ed disse...

Essa estrutura é prolífica no gênero fantástico (já fiz algumas), no gênero terror é realmente um desafio. Tem uma coleção de tirinhas chamada Deep Dark Fears que se aproxima bastante da proposta.

"De noite, quando estou sozinho, eu ouço vozes bem baixas chamando o meu nome. Aí começo a pensar que minha vida é um sonho, que na verdade estou em coma e as vozes são da minha família tentando me acordar."

"Quando acordo eu abro meu olhos bastante devagar. Qualquer coisa que estiver dentro do meu quarto vai ter uma chance de se fugir ou de se esconder."

"Eu tento não tirar meleca do nariz enquanto dirijo. Tenho medo de bater o carro, dar uma dedada no meu cérebro e todo mundo saber como morri."

"Quando me encontro em um lugar novo, sempre faço um rápido cálculo mental. Se eu morrer do nada, quando tempo vão levar pra encontrar meu corpo?"