Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

sexta-feira, 11 de abril de 2014

A influência que H.P. Lovecraft deu a Game of Thrones

Sem dúvidas a série Game of Thrones chegou fazendo um enorme número de fãs, o que fez com que naturalmente uma parte desses fãs do seriado resolvesse migrar para algo mais e assim partiram para aos livros que deram origem à série da HBO, o "As crônicas de gelo e fogo", que já vendia bastante mesmo quando a série era apenas um sonho. E obviamente o conteúdo dos livros lembrava de alguma maneira algo ainda mais antigo e que tem um destaque ainda maior na cultura pop, que é o Senhor dos Anéis, e o autor não negou isso, George RR Martin realmente assumiu que teve uma certa influência em JRR Tolkien, porém ao contrário da afirmação absurda de que trata-se de uma mera cópia, isso é algo que realmente não tem nada a ver, as pessoas crescem lendo, assistindo, jogando e etc, então é natural que se inspirem naquilo que gostam, o que não quer dizer que seja um clone, e nesse caso as duas obras são reinos de fantasia semelhantes a era medieval e só.

Sendo assim, ele assumiu sim que teve inspiração nas obras de Tolkien, mas em entrevista, revelou que teve inspiração de vários outros autores, como Robert A. Heinlein, que assumiu ser o seu escritor favorito, Robert E. Howard, que é o criador de Conan, o Bárbaro e também H.P Lovecraft, que coincidentemente era amigo de Robert A. Heinlein. O mesmo fez a seguinte declaração sobre:

"Eu sempre amei Lovecraft, quando era mais jovem eu era doido por seus contos. Ele era sem dúvida um dos meus escritores favoritos, quando eu estava no segundo grau. Eu lia tudo dele, tudo em que conseguia colocar as mãos. Ocasionalmente eu cheguei a escrever alguma coisa baseada em sua obra. Há um personagem em meu romance Wild Cards, que é assombrado por pesadelos envolvendo as criaturas do Mythos. Eu escrevi uma série de pesadelos, que são a minha melhor imitação de Lovecraft. Não tenho certeza se me sai bem, mas tentei fazer o meu melhor para capturar o tom das estórias dele"

Naturalmente me chamou a atenção ele falar que Lovecraft o inspirou, mas achei mais interessante ainda saber que o inspirou dentro de Game of Thrones, porque em geral eu não tinha visto nada muito Lovecraftiano, e como não li os livros, fiquei pensando sobre onde diabos estariam as influências, e logo lembrei do culto que é apresentado e que adora um deus misterioso, e a cena que apresenta uma mulher parindo uma sombra O_O'. Muito bem, decidi dar uma pesquisada a fundo, o nome do deus é R’hllor, que com essa escrita me fez lembrar imediatamente da cidade de R'lyeh, dos Mitos de Cthulhu. Os adoradores de R’hllor acreditam em dois deuses, um é o próprio R’hllor, conhecido como Senhor da Luz, Coração de Fogo ou Deus da Chama e da Sombra. E o outro deus é conhecido como "Aquele que não deve ter seu nome proferido", "A Alma de Gelo", "O Grande Outro" e o "Deus da Noite e do Terror".

Agora temos que ver que Cthulhu é um deus do caos, e esse é o nome dado a ele por Francis Wayland, personagem de O chamado de Cthulhu, mas que o mesmo sabe que não é um nome adequado, já que essa criatura é tão poderosa que nem ao menos o seu nome pode ser pronunciado por um humano, já o deus de game of thrones é definido como "Aquele que não deve ter seu nome proferido", seria coincidência? Cthulhu vive submerso dormindo no sul do oceano pacífico, na cidade de R'lyeh apenas esperando um momento em que certas estrelas irão se alinhar de uma maneira exata e então ele despertará novamente, já o deus de Game of Thrones é "A alma de Gelo", e como vocês sabem "O inverno está chegando", será um deus esperando para se manifestar no momento certo também? Quanto a ele se chamar "O grande outro" ou "The Great Other" em inglês, na obra de Lovecraft, Cthulhu faz parte de um grupo de deuses chamado "The Great Old Ones". E por fim quanto a ser o "Deus da Noite e do Terror", Cthulhu é sempre visto como o "Deus do Caos".

Apesar de tudo isso em especial pode ter saído do subconsciente de George RR Martin, visto que o mesmo disse que quando criou R’hllor estava mais voltado para uma crença persa onde tudo pode ser visto de duas formas, tanto bem quanto mal, portanto um deus poderia ser apresentado como sombra e luz ao mesmo tempo, dependendo do ponto de vista, esse tipo de crença é conhecido como Zoroastrismo.
Agora quanto a referências assumidas e intencionais, há algumas, por exemplo em um dos mapas oficiais impressos para As crônicas de gelo e fogo aparece Em um dos mapas oficiais impressos para As crônicas de gelo e fogo aparece na parte leste do continente de Essos, uma cidade que tem o nome de Carcosa, que foi inventada pelo escritor Ambrose Bierce no conto Um habitante de Carcosa, e que futuramente Lovecraft pegou emprestado e tornando o lugar como parte dos Mitos de Cthulhu.

Existe um outro deus chamado Black Goat of Qohor, ou em bom português "O bode negro de Qohor" e tem esse nome por ser o deus da cidade livre de Qohor, o mesmo é uma das faces do "Deus de muitas faces", sendo assim na verdade trata-se de um mesmo deus mas que aparece com rostos diferentes dependendo do lugar onde é adorado. Os seguidores de R'hllor que moram na cidade de Qohor tem como objetivo queimar esse deus. Agora olhando para os Mitos de Cthulhu, existe Nyarlathotep pode representar a mesma coisa, já que ele é dado como "Deus das muitas máscaras" e segue o mesmo padrão de adoração ao mesmo deus, visto de formas diferentes. Ainda seguindo o nome de "bode" pode-se também lembrar de uma entidade chamada Shub-Niggurath e é chamada de "The Black Goat in the Woods" ou "O bode negro nas florestas".

Na região das ilhas de Ferro, os habitantes do lugar adoram a um deus conhecido como "O deus afogado", que morreu e acabou renascendo das ondas e isso o tornou imortal, e assim seus seguidores carregaram a frase "What is dead may never die," que é algo como "O que está morto nunca poderá morrer". Em comparação, existe um trecho do necronomicon (livro fictício criado por Lovecraft) em que está escrito "Não está morto o que eternamente jaz inanimado, e em realidades estranhas até a morte pode ser vencida". Já o culto de adoração a Cthulhu tem um canto que também lembra, ele é "Ph'nglui mglw'nafh Cthulhu R'lyeh wgah'nagl fhtagn" e que é traduzido como "Em sua casa em R'lyeh, Cthulhu está morto esperando sonhando" e como já falado, ele está esperando um alinhamento de estrelas para voltar e ressurgir no mar. Não bastando isso, o senhor dessas ilhas é Lord Dagon Greyjoy, tendo o nome como referência à criatura do conto Dagon.

Ainda na região de Essos, na parte leste é mostrado também uma cidade que se chama K'Dath, e a mesma é uma referência a um livro do Lovecraft chamado The Dream-Quest of Unknown Kadath e que faz parte do Ciclo dos Sonhos.

Enfim, é isso, legal ver essas referências apresentadas por George RR Martin no maior estilo easter egg, não acham?

2 comentários:

Victor Figueredo disse...

Além do senhor das ilhas de ferro ser Dagon Greyjoy, o simbolo da casa é uma lula gigante. Lulas Gigantes são consideradas lendas em Westeros e na Era dos Heróis podiam ser avistadas pelos navegadores próximo as ilhas de ferro.

Miya Seat Lee disse...

Quem escreve ficção fantástica acaba sempre bebendo das mesmas fontes...