Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Diablo III - Reaper of Souls

Foi anunciada a primeira expansão pada Diablo 3 e aqui está uma sinopse que um representante da blizzard me mandou:

Maltael, o Arcanjo caído da Sabedoria, desapareceu após os eventos apresentados no final de Diablo II: Lord of Destruction®. Em Reaper of Souls, ele retorna como o Anjo da Morte e captura a Pedra Negra das Almas, que contém a essência do Mal Supremo. Agora cabe aos jogadores encontrar Maltael e detê-lo antes que ele cause um mal irreversível ao mundo.
Por sorte, um novo herói está pronto para se juntar à causa e levar a justiça à Maltael: o Cruzado. Impelidos por uma jornada de séculos para purificar a corrupção que infecta sua amada fé-Zakarum, os Cruzados são guerreiros da justiça endurecidos por anos de combate incessante e brutal contra os males que assolam o leste de Santuário. Além de usarem armaduras pesadas e uma série de armas cruéis e implacáveis, esta nova classe jogável em Reaper of Souls emprega magia de batalha para fortalecer aliados e enfraquecer inimigos. O Cruzado é um tanque sobre pernas e acrescenta poder e versatilidade a qualquer grupo de aventureiros.

Vídeo do cruzado em ação e apresentação da expansão:

Vídeo da cinemática de abertura do jogo(em inglês):


3 comentários:

Rian disse...

Nunca chegei a jogar o 3 ,noty não aguenta... Pra quem jogou e gostou muito do 2 , o 3 é do mesmo nível? pelo que eu vi parece mais um mata mata e esse gráfico então parece que aviadaram pra essa nova geração, sem o climinha satânico e macabro do 1 e 2 , mas eu só acho nunca joguei.

Rafael Ninja disse...

O 3 peca por ser muito fácil, no normal, e em duas dificuldades acima, pelo menos, o jogo não me ofereceu desafio suficiente para temer, nem mesmo o boss final.
A parte de RPG foi simplificada ao máximo, a ponto de você não distribuir seus status ao cada nível. As habilidades vão se destrancando sozinhas ao longo da aventura e a forma como você distribui elas pelos atalhos é que determina sua bulid. Ou seja, nada de ficar planejando qual habilidade adquirir ou evoluir, é só botar qualquer merda e ver se rola, se não, é só trocar de novo, não tem nem um custo para fazer isso.
É praticamente um Action Point & Click.
A jogabilidade é meio que travada por conta da DRM, isso deixa ele bem menos fluido do que poderia ser. Recomendo jogar off-line com sever simulators para não ter problemas com lag ou desconects. Mas ai seu personagem vai ficar salvo apenas no seu PC, e não poderá usa-los em partidas on-line ou comprar e vender itens dele.
Os cenários randômicos são bem vagabundos no sentido de proporcionar aventuras diversificadas ou com estruturas interessantes, é tudo bem genérico nas partes não pré-determinadas. Mas o pior foi que eles acabaram com a alegria de explorar o mapa, visto que depois de sair, quando você volta tudo deu um reset e as partes que você explorou estão novamente ocultas.
O grande trunfo de Diablo 3 é a busca por itens mais fortes. Mas isso também só vai até certo nível, quando você não consegue mais achar itens melhores que os seus, dai é apelar para casa de leilões.

Agelus disse...

Gostei da animação e da proposta da historia, mas quando eu vejo o gameplay realmente sinto falta daquele estilo de Diablo que era bem mais sombrio.O jogo Inquisitor postado aqui no blog me empolgou mais.